4 principais anticoncepcionais para acne

Atualizado em junho 2023

Alguns anticoncepcionais para acne, como a drospirenona, o dienogeste ou a clormadinona, possuem um efeito antiandrogênico, que ajudam a controlar os níveis hormonais, diminuindo a oleosidade da pele e a formação de espinhas.

Normalmente, esses anticoncepcionais, além da substância antiandrogênica, possuem um estrogênio na sua composição, como o etinilestradiol, sendo o efeito na pele observado entre 3 e 6 meses de uso contínuo da pílula.

O anticoncepcional para espinhas ou acne deve ser indicado pelo ginecologista, de acordo com os níveis hormonais e se existe alguma condição associada, como ovários policísticos que podem estar causando a acne.

Imagem ilustrativa número 1

Principais anticoncepcionais para acne

Os principais anticoncepcionais para acne são:

1. Drospirenona 

O anticoncepcional para espinhas ou acne contendo drospirenona, além de prevenir uma gravidez, possui efeito antiandrogênico, reduzindo as lesões de acnes e a produção de sebo, o que reduz a oleosidade da pele e a formação de espinhas.

Esse anticoncepcional pode ser encontrado em embalagens contendo 28 comprimidos, sendo 21 com drospirenona (brancos), e 4 comprimidos inativos (verdes).

Além disso, também pode ser encontrada em pílulas contendo drospirenona + etinilestradiol, contendo 21, 24 ou 28 comprimidos.

Nomes comerciais: a drospirenona sozinha pode ser encontrada com os nomes comerciais Slinda ou Ammy. Já os comprimidos contendo drospirenona + etinilestradiol, podem ser encontrados com os nomes Elani 28, Elani Ciclo,Yaz, Yasmin, Ceci, Iumi, Angeliq ou Niki, por exemplo.

2. Ciproterona

A ciproterona é um progestágeno indicado para o tratamento da acne grave, quando outros tratamentos, como uso de cremes ou pomadas, ou antibióticos, não são adequados, pois reduz os níveis de androgênios no corpo.

Esse anticoncepcional é encontrado contendo acetato de ciproterona + etinilestradiol, sendo indicado apenas para o tratamento dos sintomas de alterações dos hormônios andrógenos em mulheres, e não deve ser usado exclusivamente para prevenir a gravidez. 

No caso de se necessitar de um anticoncepcional apenas para prevenção da gravidez, deve-se consultar o ginecologista para avaliar qual a melhor opção. Veja como escolher o melhor anticoncepcional.

Nomes comerciais: o acetato de ciproterona + etinilestradiol pode se encontrados com os nomes comerciais Selene, Diane 35, Repopil, Diclin, Dunia, Tess, Climene, Arterane, Lydian ou Ferane, por exemplo. Saiba como tomar o Selene e o Diane 35.

3. Dienogeste

O dienogeste + valerato de estradiol é indicado como contraceptivo oral para prevenir a gravidez, possuindo atividade antiandrogênica, e por isso, pode ajudar a reduzir a acne.

Além disso, também pode ser encontrado contendo apenas dienogeste, mas que não tem efeito contraceptivo, sendo indicado apenas para o tratamento da endometriose.

Nomes comerciais: o dienogeste + valerato de estradiol pode ser encontrado com o nome comercial Qlaira. Já os comprimidos contendo apenas dienogeste são encontrados com os nomes comerciais Allurene, Pietra ED, Kalist ou Diost, por exemplo.

4. Clormadinona

A clormadinona combinada com o etinilestradiol é indicado como anticoncepcional oral para prevenir a gravidez e para o tratamento da acne papulopustulosa moderada.

Esse anticoncepcional é encontrado contendo 21 contendo acetato de clormadinona + etinilestradiol, ou 24 comprimidos de acetato de clormadinona + etinilestradiol (rosa) + 4 comprimidos inativos (brancos).

Nomes comerciais: o acetato de clormadinona + etinilestradiol pode ser encontrado com os nomes comerciais Belara, Belarina, Liberfem, Amora, Cherry ou Aixa, por exemplo.

Quando usar anticoncepcional para a acne

Os anticoncepcionais podem ser uma opção para o controle das espinhas em algumas mulheres, especialmente quando:

  • Acne que não melhorou com o uso de produtos tópicos, como ácido retinoico, adapaleno ou peróxido de benzoíla ou antibióticos. Veja quais os remédios mais usados para tratar a acne.;
  • Desejo de usar algum método contraceptivo, além de controlar as espinhas;
  • Espinhas que pioram ou ficam mais inflamadas no período pré-menstrual;
  • Quando a causa da acne é alguma doença que aumenta os níveis de androgênios no organismo, como síndrome dos ovários policísticos.

Como o anticoncepcional modifica os níveis de hormônios no corpo da mulher, deve-se consultar o ginecologista antes de iniciar o seu uso.

Além disso, os anticoncepcionais podem causar alguns efeitos colaterais, como enjoo, dor e sensibilidade nas mamas, ou sangramento fora do período menstrual, devendo-se sempre ter acompanhamento regular do ginecologista. Entenda melhor como funciona o anticoncepcional e tire suas dúvidas sobre como usar.

Marque uma consulta com um ginecologista na região mais próxima:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Ginecologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Como funcionam

Os anticoncepcionais mais indicados para auxiliar do tratamento da acne, agem diminuindo a produção de sebo pelas glândulas sebáceas, reduzindo a hiperqueratinização folicular e diminuem a proliferação da bactéria que causa a acne, chamada de P. acnes.

Além disso, os anticoncepcionais para acne reduzem a inflamação, melhorando por isso a aparência da pele e diminuindo o aparecimento de novas espinhas.

Parar o anticoncepcional pode causar acne

É muito comum que a mulher que parou de usar anticoncepcional sinta a pele mais oleosa e com surgimento de espinhas, por isso, pode-se usar produtos que limpam a pele do rosto, para controle da oleosidade, como loções ou sabonetes vendidos em farmácias.

Caso os sintomas sejam muito intensos, deve-se ir ao dermatologista para uma avaliação da pele e prescrição de tratamentos mais individualizados. Entenda melhor os tipos de acne, e o melhor tratamento para cada um.  

Quando não se deve usar anticoncepcional

O uso do anticoncepcional combinado é contraindicado nos casos de:

  • Gravidez e amamentação;
  • Crianças;
  • Homens;
  • Tabagismo;
  • Pressão alta;
  • Presença de sangramento vaginal sem explicação;
  • Diabetes descontrolada;
  • História prévia de trombose, ataque cardíaco ou derrame cerebral;
  • História prévia ou familiar de doenças que aumentam a coagulação do sangue;
  • Câncer de mama;
  • Cirrose ou câncer do fígado;
  • Enxaquecas muito fortes.

Além disso, também não deve ser usado em pessoas com hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da fórmula do anticoncepcional. Saiba quais são as principais complicações dos anticoncepcionais.