Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

O que é acloridria, causas, sintomas e tratamento

A acloridria é uma situação caracterizada pela ausência de produção de ácido clorídrico (HCl) pelo estômago, aumentando o pH local e levando ao aparecimento de sintomas que podem ser bastante desconfortáveis para a pessoa, como náuseas, inchaço abdominal, fraqueza e refluxo gastroesofágico.

Essa situação pode ter diversas causas, no entanto está mais frequentemente associada com infecção crônica pela bactéria Helicobacter pylori (H. pylori), mas também pode acontecer como consequência do uso de medicamentos ou de doenças autoimunes. Devido às várias causas da acloridria, o tratamento pode variar de acordo com a causa, sendo importante que seja feito de acordo com a recomendação do gastroenterologista para que exista melhora dos sintomas.

O que é acloridria, causas, sintomas e tratamento

Causas de acloridria

A acloridria é mais frequentemente causada pela atrofia do estômago, sendo muitas vezes relacionada com a gastrite autoimune e a gastrite crônica, e está também normalmente relacionada com a infecção pela bactéria H. pylori. Além disso, a acloridria pode ser causada por doenças autoimunes, uso de medicamentos para diminuir a acidez do estômago e hipotireoidismo, por exemplo.

Essa situação é mais comum em pessoas que possuem mais de 60 anos e que já passaram por procedimentos cirúrgicos no estômago.

Principais sintomas

Os sinais e sintomas de acloridria estão relacionados com a ausência de ácido clorídrico e pH do estômago elevado, podendo haver:

  • Náuseas;
  • Refluxo;
  • Desconforto e inchaço abdominal;
  • Fraqueza;
  • Diarreia ou prisão de ventre;
  • Diminuição da absorção de nutrientes como cálcio, ácido fólico, ferro e vitaminas C e D, podendo haver desnutrição;
  • Perda de cabelo;
  • Má digestão;
  • Perda de peso.

Além disso, como na acloridria é comum a ausência da liberação de fator intrínseco pelas células parietais do estômago, é comum também que a pessoa desenvolva anemia perniciosa, que é um tipo de anemia caracterizada pela deficiência de vitamina B12. Isso porque o fator intrínseco é responsável também por promover a absorção dessa vitamina no organismo. Saiba como identificar a anemia perniciosa.

Outro tipo de anemia que a pessoa com acloridria pode desenvolver é a anemia ferropriva, também conhecida como anemia por deficiência de ferro, já que o ácido clorídrico também auxilia no processo de absorção de ferro.

Qual a diferença entre hipocloridria e acloridria?

Diferentemente a acloridria, a hipocloridria é caracterizada pela diminuição da produção de ácido clorídrico. Ou seja, as células do estômago são ainda capazes de produzir e secretar HCl no estômago, no entanto em menores quantidades, o que também faz com que o pH do estômago aumente e leve ao aparecimento de sinais e sintomas que podem ser bastante desconfortáveis. Conheça mais sobre a hipocloridria.

Como é feito o tratamento

O tratamento da acloridria varia de acordo com a causa e, por isso, é importante que a pessoa relate todos os sintomas apresentados ao gastroenterologista ou clínico geral e realize também todos os exames solicitados, pois assim é possível que o médico indique o tratamento mais adequado. No entanto, dependendo da causa, o tratamento pode não ser capaz de restabelecer completamente a produção de ácido clorídrico, mas sim capaz de aumentar um pouco a quantidade de HCl secretada, caracterizando a hipocloridria.

No caso da acloridria estar relacionada à infecção por H. pylori, pode ser indicado o uso de antibióticos para tratar a infecção e evitar outras infecções que podem acontecer com mais frequência na pessoa com acloridria. No caso de ser causada pelo uso de medicamentos, o médico deve avaliar a possibilidade de troca ou de suspensão do medicamento, por exemplo.

Bibliografia >

  • GUYTON Arthur, HALL John. Tratado de fisiologia médica. 13º. Brasil: Elsevier, 2017. 822; 844.
  • TILL, Holger et al. Esophageal and Gastric Disorders in Infancy and Childhood. Berlin: Springer, 2017. 1387-1395.
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem