Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Acinetobacter: o que é, como acontece a infecção e como tratar

Acinetobacter corresponde a um gênero de bactérias frequentemente associadas a infecções relacionadas ao ambiente de saúde, as IRAS, sendo o principal representante desse gênero o Acinetobacter baumannii, que além de estar relacionado com infecções em ambiente hospitalar também apresenta resistência à maioria dos antibióticos utilizados, tornando o tratamento difícil.

Essa bactéria é considerada oportunista, pois causa doenças em pessoas que apresentam fatores que favorecem a sua ocorrência, como diminuição da atividade do sistema imune e tempo prolongado de internamento em Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O Acinetobacter sp. pode ser encontrado frequentemente na pele, no entanto em pessoas hospitalizadas é frequentemente identificada na garganta e em secreções do trato respiratório.

Acinetobacter: o que é, como acontece a infecção e como tratar

Como acontece a infecção

A infecção por Acinetobacter sp. acontece principalmente em ambiente hospitalar através do contato com superfícies contaminadas ou por meio do contato com outra pessoa infectada, sendo as mãos consideradas a principal via de transmissão e infecção.

Esse tipo de infecção é mais fácil de acontecer em pessoas que estão internadas por longos períodos no hospital na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), possuem feridas na pele, têm o sistema imunológico comprometido ou respiram com ajuda de aparelhos, por exemplo.

A principal doença causada pela Acinetobacter baumannii é a pneumonia, havendo o desenvolvimento de sinais e sintomas respiratórios, no entanto essa bactéria pode atingir a corrente sanguínea e espalhar-se facilmente para outros órgãos, levando ao aparecimento de outros sinais e sintomas.

Diagnóstico da infecção por Acinetobacter sp.

O diagnóstico da infecção por Acinetobacter sp. é feito em ambiente hospitalar, já que a maioria das pessoas que apresentam essa infecção estão internadas, através da coleta de amostra de sangue e/ ou de secreção traqueal, que é enviada para o laboratório de microbiologia para que seja feita a análise.

As amostras são processadas e analisadas de acordo com os aspectos macro e microscópicos das colônias bacterianas obtidas após incubação a 37ºC, que é a temperatura ideal de crescimento bacteriano. Em seguida, as bactérias são identificadas e é realizado o antibiograma, em que é verificado o perfil da bactéria de sensibilidade e resistência aos antibióticos, sendo essa informação importante para que o médico possa indicar o medicamento mais adequado para a pessoa e que seja capaz de eliminar a bactéria. Entenda como é feito o antibiograma.

Como evitar e tratar

Como a Acinetobacter sp. é multirresistente, ou seja, apresenta diversos mecanismos de resistência contra os antibióticos normalmente utilizados, e possuem capacidade de formar biofilme, que é a capacidade da bactéria de aderir aos dispositivos médicos e multiplicar-se, o tratamento é difícil. Por isso, a pessoa que foi identificada com infecção por Acinetobacter sp. multirresistente deve permanecer no hospital em isolamento e com precauções de contato, ao mesmo tempo em que é realizado o tratamento com antibióticos que a bactéria ainda é sensível, pois assim evita-se que o microrganismo seja espalhado e que outras pessoas sejam contaminadas.

Para evitar a infecção, a principal ação a ser tomada é a lavagem correta das mãos, já que as mãos correspondem ao principal meio de transmissão de infecções no meio hospitalar. Além disso, é importante não fazer uso de antibióticos sem a recomendação do médico, pois pode estimular o desenvolvimento de resistência das bactérias, e, quando no hospital, evitar ficar próximo de pacientes que estejam em isolamento ou, caso seja necessário entrar em contato, lavar as mãos antes e depois do contato com a pessoa e usar equipamento de proteção individual. Saiba mais sobre como evitar as infecções hospitalares.

Tratamento com fagos

O tratamento com fagos, também chamado de fagoterapia, é um tipo de tratamento em que são utilizados bacteriófagos para combater infecções que são difíceis de tratar principalmente devido à multirresistência a antibióticos. Os bacteriófagos, ou simplesmente fagos, são vírus que possuem a capacidade de destruir bactérias e, por isso, o seu uso no tratamento de infecções multirresistentes pode ser eficaz.

Cada bacteriófago é responsável pelo combate de uma ou um grupo de bactérias e, por isso, no tratamento de doenças pode ser feito um "coquetel" de bacteriófagos específico para o combate de determinada infecção. Recentemente, a fagoterapia foi eficaz no tratamento contra Acinetobacter baumannii multirresistente, em que os bacteriófagos foram capazes de eliminar as bactérias e, assim, combater a infecção e melhorar a qualidade de vida da pessoa.

Apesar de ser uma técnica antiga, o tratamento com bacteriófagos tem ganhado destaque nos último anos devido à grande quantidade de microrganismos multirresistentes.

Conheça mais sobre os bacteriófagos.

Bibliografia >

  • Ana Carolina de Almeida Scarcella1 Ana Sílvia de Almeida Scarcella2 Ana Laura Remédio Zeni Beretta3. Infecção relacionada à assistência à saúde associada a Acinetobacter baumannii: revisão de literatura. Revista da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas. Vol 49. 1 ed; 18-21, 2017
  • CDC. Acinetobacter in Healthcare Settings. Disponível em: <https://www.cdc.gov/hai/organisms/acinetobacter.html>. Acesso em 13 Nov 2019
  • PREFEITURA DE PORTO ALEGRE. Manual de Orientação para Controle da Disseminação de Acinetobacter sp Resistente a Carbapenêmicos no Município de Porto Alegre. Disponível em: <https://cevs.rs.gov.br/upload/arquivos/201706/30122749-20120521095513manual-de-controle-da-disseminacao-do-acinectobacter.pdf>. Acesso em 13 Nov 2019
  • GOMES, Daniela B. C. et al. Acinetobacter baumannii multirresistentes: emergência de resistência à polimixina no Rio de Janeiro. Vigil. sanit. debate. Vol 04. 3 ed; 28-34, 2016
  • ASLAM, Salma; SCHOOLEY, Robert T. What’s Old is New Again – Bacteriophage Therapy in the 21st century. Antimicrobial Agents and Chemotherapy . 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem