Xaropes caseiros para tosse (seca e com catarro)

  1. Tosse seca
  2. Tosse com catarro

Alguns xaropes como o de cenoura com mel e o de orégano, ajudam a aliviar a tosse seca, porque hidratam a garganta e possuem propriedades calmantes, diminuindo o reflexo da tosse naturalmente.

Já o xarope de guaco e poejo, e o xarope de beterraba, por exemplo, possuem propriedades expectorantes e broncodilatadoras, ajudando a diluir as secreções e aliviando a tosse com catarro.

Embora ofereçam benefícios, os xaropes caseiros não devem substituir o uso de remédios. Assim, esses remédios naturais devem ser usados somente para complementar o tratamento prescrito pelo médico.

Xaropes para tosse seca

A tosse seca pode ser causada por uma alergia respiratória, asma, cigarro ou poluição, por exemplo. Veja as possíveis causas de tosse seca e como tratar.

Algumas opções de xaropes que ajudam a aliviar a tosse seca são:

1. Xarope de cenoura

Um bom xarope caseiro para tosse seca é o xarope de cenoura, que ajuda a aliviar a tosse, porque lubrifica, diminuindo a irritação da garganta.

Ingredientes:

  • 1 cenoura média;
  • 1 colher de sopa de açúcar mascavo;
  • 1 colher de sopa de mel;
  • Suco de 1/2 limão.

Modo de preparo:

Lavar bem e cortar a cenoura em rodelas bem finas. Colocar a cenoura em um pote de vidro com tampa. Acrescentar o suco de limão, o mel e o açúcar, misturando bem com uma colher. Tampar o pote e deixar a mistura repousar de um dia para o outro em temperatura ambiente.Tomar 1 colher deste xarope 2 vezes por dia.

Esse xarope não é indicado para crianças menores de 2 anos e pessoas com alergia ao mel. Da mesma forma que o xarope de cenoura não é recomendado para pessoas com intolerância à frutose ou síndrome do intestino irritável. Além disso, esse xarope deve ser usado com moderação por quem possui diabetes

2. Xarope de orégano

O xarope de orégano possui propriedades antitússicas que ajudam a aliviar a tosse seca.

Ingredientes:

  • 1 colher de sopa de mel;
  • 1 colher (de chá) de orégano.

Modo de preparo:

Misturar os ingredientes num recipiente de vidro e aquecer por 10 segundos no microondas. Aguardar amornar e tomar de 2 a 3 vezes ao dia. Confira outros benefícios do orégano.

Esse xarope não é indicado para pessoas com alergia ao orégano ou mel, assim como não é recomendado para mulheres grávidas ou que estejam amamentando.

Além disso, esse xarope não é recomendado para crianças menores de 2 anos, pessoas com intolerância à frutose ou síndrome do intestino irritável. Esse xarope deve ser usado com moderação por pessoas com diabetes.

3. Xarope de gengibre e limão

O xarope de gengibre e limão fortalece o sistema imunológico e possui ação anti-inflamatória, ajudando a reduzir a irritação na garganta e aliviando, assim, a tosse seca.

Ingredientes:

  • 250 mL de água;
  • 1 colher (de sopa) de suco de limão;
  • 1 colher de sopa de gengibre fresco ralado;
  • 1 colher de sopa de açúcar mascavo.

Modo de preparo:

Colocar a água e o açúcar em uma panela e levar ao fogo para ferver, mexendo bem até dissolver bem o açúcar. Após apagar o fogo, adicionar o gengibre, tampar a panela e deixe amornar. Transferir a mistura para um pote de vidro com tampa e adicionar o suco de limão, misturando bem. Tomar 1 colher de chá desse xarope, até 3 vezes ao dia.

O xarope de gengibre não deve ser usado por crianças com menos de 6 anos, pessoas com pedra na vesícula, doenças hemorrágicas ou que usam medicamentos anticoagulantes.

Mulheres grávidas e pessoas que usam remédios para controle da pressão alta ou da diabetes só devem consumir esse xarope sob a orientação de um médico.

4. Xarope de equinácea

A equinácea é uma planta rica em compostos antialérgicos, antioxidantes, anti-inflamatórios e imunoestimulantes, ajudando a aliviar os sintomas de gripes, alergias e resfriados, como nariz entupido e tosse seca.

Ingredientes:

  • 300 mL de água;
  • 2 colheres de chá de raízes de equinácea;
  • 2 colheres de sopa de açúcar mascavo.

Modo de preparo:

Colocar o açúcar em uma panela e levar ao fogo baixo até derreter nas bordas. Adicionar as raízes de equinácea e a água, deixando ferver por 10 minutos. Deixar a bebida amornar e coar. Tomar 1 colher de sopa, até 3 vezes por dia.

Esse xarope não é indicado para crianças, mulheres grávidas ou em período de amamentação. Assim como também não é recomendado para pessoas com tuberculose, leucemia, esclerose múltipla, ou doenças autoimunes, como artrite reumatoide, lúpus e psoríase. Além disso, esse xarope deve ser usado com cautela por quem tem diabetes.

Xaropes para tosse com catarro

A tosse com catarro pode surgir devido a situações como bronquite, bronquiolite e tuberculose, por exemplo. Conheça outras causas da tosse com catarro.

Algumas receitas caseiras de xaropes para tosse com catarro são:

1. Xarope de guaco e poejo

O guaco e o poejo são plantas medicinais com ação expectorante, anti-inflamatória e broncodilatadora, ajudando no tratamento da tosse com catarro.

Ingredientes:

  • 2 colheres de chá de folhas de poejo;
  • 4  folhas de guaco lavadas e secas;
  • 500 mL de água;
  • 3 colheres de sopa de açúcar mascavo.

Modo de preparo:

Em uma panela grande, colocar o açúcar e levar ao fogo médio até caramelizar bem. Colocar na panela a água, as folhas de guaco e de poejo, mexendo bem, até dissolver todo o açúcar. Deixar ferver por 10 minutos. Aguardar amornar e coar. Transferir a mistura para um pote de vidro com tampa. Tomar de 1 a 2 colheres desse xarope por dia.

Esse xarope não deve ser usado por crianças com menos de 2 anos, mulheres grávidas ou em período de amamentação. Pessoas com doenças renais, respiratórias crônicas, tuberculose ou câncer, não devem consumir esse xarope.

Esse xarope também não deve ser usado por pessoas que estejam usando a planta medicinal Ipê roxo (Tabebuia avellanedae) ou remédios anticoagulantes. Além disso, esse xarope deve ser usado com cautela por pessoas com diabetes, porque contém açúcar.

2. Xarope de beterraba

O xarope de beterraba é um ótimo remédio caseiro para acalmar a tosse com catarro devido às propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes que possui.

Ingredientes:

  • 1 beterraba;
  • 2 colheres de sopa de açúcar mascavo.

Modo de preparo:

Lavar e cortar a beterraba em rodelas, colocando em um pote de vidro com tampa, limpo e seco. Adicionar o açúcar e misturar bem com uma colher. Em seguida, tampar o pote e deixar descansar por 24 horas.

Tomar 2 colheres de sopa desse xarope 3 vezes ao dia. Para crianças pequenas, é recomendado tomar apenas 1 colher de sopa até 3 vezes ao dia. Veja outras receitas de xarope de beterraba.

Esse xarope deve ser usado com cautela por pessoas com diabetes, porque pode aumentar os níveis de glicose no sangue.

3. Xarope de alho, cebola e mel

O xarope de alho, cebola e mel possui ação expectorante, anti-séptica e anti-inflamatória, ajudando a diluir o catarro e aliviando as tosses.

Ingredientes:

  • 1 cebola ralada;
  • 1 dente de alho amassado;
  • Suco de 1/2 limão;
  • 3 colheres de sopa de mel.

Modo de preparo:

Em um pote de vidro com tampa, colocar a cebola e o alho, cobrindo-os com o mel e o suco de limão. Mexer bem essa mistura com uma colher ou espátula. Tampar o pote e deixar na geladeira de um dia para o outro.

Para crianças, pode-se dar 1/2 colher de chá desse xarope, até 3 vezes ao dia. Já adultos podem tomar 1 colher de chá desse xarope, até 3 vezes por dia. Esse xarope pode ser armazenado em geladeira por até 1 semana.

O xarope de alho, cebola e mel não deve ser usado por crianças menores de 2 anos e pessoas com alergia ao mel. Da mesma forma que esse xarope não é recomendado para pessoas com intolerância à frutose ou síndrome do intestino irritável. Além disso, esse xarope também deve ser usado com moderação.

Saiba como preparar outras receitas para tosse no vídeo a seguir:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em novembro de 2022. Revisão clínica por Manuel Reis - Enfermeiro, em novembro de 2022.

Bibliografia

  • HADIPOUR, E.; et al. Biological effects of red beetroot and betalains: A review. Phytother Res. 34. 8; 1847-1867, 2020
  • ARREOLA, Rodrigo; et al. Immunomodulation and Anti-Inflammatory Effects of Garlic Compounds. Journal of Immunology Research. 1-13, 2015
Mostrar bibliografia completa
  • AHMAD Shakeel; JAMEEL Mehwish et al. Medicinal Importance of Allium Species: A Current Review. International Journal of Pharmaceutical Science and Research. 2. 3; 29-39, 2017
  • AL-QUDAH Tamara; ZAHRA Umber et al. Lemon as a source of functional and medicinal ingredient: A review. International Journal of Chemical and Biochemical Sciences. 14. 55-61, 2018
  • NICACIO, L, S, Gabriela et al. Breve Revisão sobre as propriedades fitoterápicas do Zingber Officinale Roscoe - o gengibre. Periódicos PUC Minas. Vol.7. 2.ed; 74-80 , 2018
  • LEYVA-LÓPEZ Nayely; GUTIÉRREZ-GRIJALVA Erick. Essential Oils of Oregano: Biological Activity beyond Their Antimicrobial Properties. Molecules. 22. 1-24, 2017
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Informações Sistematizadas da Relação Nacional de Plantas medicinais de interesse ao SUS: Mikania Glomerata Spreng., Asteraceae – Guaco. 2018. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/informacoes_sistematizadas_relacao_nacional_plantas_medicinais_interesse_sus_guaco.pdf>. Acesso em 11 nov 2022
  • AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA - ANVISA. Formulário de fitoterápicos: farmacopéia brasileira 2ª edição. 2021. Disponível em: <https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/farmacopeia/formulario-fitoterapico/arquivos/2021-fffb2-final-c-capa2.pdf>. Acesso em 11 nov 2022
  • WAGNER, L. et al. Herbal Medicine for Cough: a Systematic Review and Meta-Analysis. Forsch Komplementmed. Vol.22, n.6. 359-368, 2015
  • SHERGIS, Johannah L. et al. Natural products for chronic cough: Text mining the East Asian historical literature for future therapeutics. Chron Respir Dis. Vol.12, n.3. 204-211, 2015
  • SHARIFI-RAD, Mehdi et al. Echinacea plants as antioxidant and antibacterial agents: From traditional medicine to biotechnological applications. Phytotherapy Research. Vol.232, n.9. 1-11, 2018
  • MEO, Sultan A. et al. Role of honey in modern medicine. Saudi Journal of Biological Sciences. Vol.24, n.5. 975-978, 2017
Revisão clínica:
Manuel Reis
Enfermeiro
Pós-graduado em fitoterapia clínica e formado pela Escola Superior de Enfermagem do Porto, em 2013. Membro nº 79026 da Ordem dos Enfermeiros.

Tuasaude no Youtube

  • Remédios Caseiros para a Tosse

    03:28 | 1536374 visualizações