Bebê prematuro: desenvolvimento, cuidados e alimentação

O bebê é considerado prematuro quando nasce antes dos 9 meses, que é entre 38 e 42 semanas de gestação, ou seja, antes de completar as 37 semanas de gestação, podendo ter menos de 1500 Kg de peso corporal.

Como o organismo do bebê prematuro ainda não está desenvolvido, ele pode precisar ficar no hospital em um berço aquecido ou incubadora, aparelhos com oxigênio, ter uma sonda para se alimentar e receber maiores cuidados de higiene para evitar infecções.

Assim que o bebê ganha peso, aprende a respirar e a mamar sozinho ele é liberado pelo pediatra e pode ir para casa. A partir deste momento, o bebê pode se alimentar e ter os mesmos cuidados que outra criança. No entanto, se o bebê tiver algum problema de saúde, os pais devem adaptar os cuidados de acordo com as indicações do pediatra.

É importante lembrar que as características do sono, da fala, das brincadeiras favoritas e da alimentação acontecem em ritmos diferentes para cada bebê. Por isso, em casos de dúvidas sobre o desenvolvimento do bebê, é recomendado passar por uma consulta com o pediatra.

Bebê prematuro: desenvolvimento, cuidados e alimentação

Peso do bebê

A tabela abaixo indica o peso ideal do bebê com 37 semanas, assim como outros parâmetro importantes como altura e tamanho da cabeça, de acordo com a Organização Mundial de Saúde:

 

Menino com 37 semanas

Menina com 37 semanas

Peso para idade

2 a 3,6 kg

1,84 a 3,3 kg

Altura para idade

44 a 51,5 cm

42,6 a 50 cm

Tamanho da cabeça para idade

31,2 a 35,4 cm

30,5 a 34,6 cm

Se o bebê apresentar valores acima ou abaixo desses intervalos, é importante passar por uma consulta com o pediatra para avaliar o desenvolvimento da criança.

Desenvolvimento do bebê

O bebê prematuro pode apresentar dificuldades quanto ao crescimento e desenvolvimento cognitivo, precisando de um acompanhamento melhor do centro de saúde e maior atenção dos pais e da família. No entanto, esses atrasos podem ser corrigidos até os 2 anos de idade da criança.

Para estimular os sentidos e a coordenação motora do bebê, os pais ou responsáveis podem conversar com voz suave, calma e olhando nos olhos; cantar algumas músicas; fazer massagens; e variar as posições da criança. Veja outras formas de estimular os sentidos do bebê.

O bebê precisa ficar hospitalizado?

Nem todos os bebês prematuros precisam ficar hospitalizados. No entanto, como o organismo da criança ainda não está completamente desenvolvido, ele pode ter dificuldades para engolir, respirar ou ter o sistema imunológico mais delicado. Por isso, alguns bebês podem precisar ficar no hospital por um período. Entenda melhor quando e porque o bebê precisa ficar internado.

Quando o bebê recebe alta

Normalmente o bebê é liberado para ir para casa quando atinge o peso mínimo de 1,6 Kg, apresentando ganho de peso por pelo menos 3 dias seguidos, até que seus órgãos funcionem bem, sem ajuda de aparelhos, e que consiga se alimentar sem o uso de sondas.

O bebê deve passar por 3 consultas durante a primeira semana após a alta hospitalar, onde a primeira é feita na maternidade onde nasceu, após 48h da alta, e as demais consultas são feitas nos centros de saúde ou em visitas das equipes de saúde da família em casa.

Quando vacinar o bebê prematuro

O programa de vacinação do bebê prematuro só deve ser iniciado quando o bebê tem mais de 2Kg e, por isso, a vacina BCG deve ser adiada até o bebê atingir esse peso e ter o mínimo de 1 mês de vida.

Porém, nos casos em que a mãe tem hepatite B o pediatra pode decidir fazer a vacinação antes de o bebê atingir os 2 Kg. Nesses casos, a vacina deve ser dividida em 4 doses em vez de 3, sendo que a segunda e a terceira doses devem ser feitas com um mês de intervalo e a quarta, seis meses após a segunda.

Como cuidar do bebê em casa

Cuidar de um bebê prematuro em casa pode ser desafiador e criar muita ansiedade e preocupação para os pais, mas é importante lembrar que o bebê recebeu alta médica por estar melhor e mais desenvolvido. Por isso, a maioria dos cuidados é semelhante à dos bebês nascidos a termo (nascidos após 37 semanas).

1. Como evitar problemas respiratórios

Durante os primeiros 6 meses de vida o bebê prematuro pode apresentar problemas respiratórios, pois os pulmões ainda estão se desenvolvendo. Um dos problemas mais comuns é a síndrome de morte súbita, que é causada por dificuldade em respirar durante o sono. Para diminuir esse risco é importante:

  • Deitar o bebê de barriga para cima, encostando os pés do bebê no fundo do berço;
  • Utilizar lençóis e cobertores leves no berço do bebê;
  • Evitar usar almofadas no berço do bebê;
  • Manter o berço do bebê no quarto dos pais até, pelo menos, os 6 meses de idade;
  • Não dormir junto com o bebê na cama ou no sofá;
  • Evitar ter aquecedores ou ar condicionado perto do berço do bebê.

Além disso, se o bebê tiver algum problema respiratório é importante seguir as indicações do pediatra ou dos enfermeiros, que podem incluir fazer nebulizações, por exemplo.

2. Como garantir a temperatura correta

O bebê prematuro tem mais dificuldade em manter a temperatura corporal equilibrada e, por isso, pode ficar com frio rapidamente após o banho ou ficar muito quente quando tem muita roupa, por exemplo. Para verificar se o bebê está com frio, pode-se usar um termômetro ou tocar na pele da criança e ver se está fria, quente ou morna e ver se tem manchas roxas nos pés, nas mãos e nos lábios.

Se o bebê estiver com frio, com temperatura abaixo de 36ºC, é recomendado agasalhar o bebê, colocando um gorro, casaco, sapato e, se necessário, cobri-lo com uma manta.

3. Como diminuir o risco de infecções

Os bebês prematuros têm um sistema imune pouco desenvolvido e, por isso, nos primeiros meses de idade apresentam um risco de infecção maior. Porém, existem alguns cuidados que ajudam a diminuir as chances de infecções, que incluem:

  • Lavar as mãos depois de trocar fraldas, antes de preparar comida e depois de ir ao banheiro;
  • Vacinar o bebê de acordo com o recomendado pelo pediatra;
  • Pedir às visitas para lavar as mãos antes de entrar em contato com o bebê;
  • Evitar contato do bebê com pessoas gripadas ou resfriadas;
  • Evitar ir com o bebê para lugares fechados e com muita gente, como centros comerciais, supermercados ou parques;
  • Impedir que fumem dentro de casa;
  • Manter a casa arejada com as portas e janelas abertas.

Além disso, se precisar sair de casa, deve-se dar preferência para locais ao ar livre e com menos pessoas ou em horas que estão mais vazios, como praças e parques naturais.

4. Como deve ser a alimentação

Para alimentar corretamente o bebê prematuro, os pais ou responsáveis devem receber orientações na maternidade, pois é comum que o bebê não consiga mamar sozinho no peito da mãe, precisando ser alimentado por um pequeno tubo em uma técnica chamada de relactação. Veja como é feita a relactação.

No entanto, quando o bebê já consegue pegar e sugar o peito da mãe, ele pode ser alimentado diretamente da mama. Caso ele ainda não consiga sugar o peito, pode-se também dar o leite em um copinho, não sendo recomendado usar mamadeiras.

Como o bebê prematuro dorme muito, é importante que a mãe o acorde e estimule no horário das mamadas, esfregando o bico do peito ao lado da boca do bebê, por exemplo.

O bebê prematuro tem necessidade calórica maior quando comparada à outras crianças, porque cresce e se desenvolve muito rápido nos primeiros meses. Normalmente eles mamam a cada 2 ou 3 horas, de 8 a 12 vezes por dia e a duração da mamada varia de acordo com cada bebê, uns podem mamar por 20 minutos em cada peito e outros por 10 minutos. É importante saber que quando o bebê estiver está saciado, ele mesmo soltará o peito.

Durante a amamentação, o bebê prematuro é mais lento e pode ficar muito cansado. Por isso, é importante fazer pausas durante as mamadas para que a criança descanse e volte a mamar.

O pediatra pode recomendar o uso de fórmulas infantis para alguns bebês nos casos em que a mãe não consegue amamentar ou quando a amamentação no peito é contra indicada, como no caso de doenças contagiosas ou uso de alguns medicamentos. A quantidade da fórmula deve ser indicada pelo pediatra e o intervalo das refeições deve ser de 2 a 3 horas.

5. Como é o sono do bebê

De um modo geral, o bebê prematuro dorme bem e muitos dormem mais do que as crianças nascidas a termo e, por isso, precisam de mais estímulos. Se o bebê estiver trocando o dia pela noite, pode-se fazer alguns ajustes na casa durante a noite para não despertá-lo, como diminuir os ruídos, a iluminação e a movimentação na casa quando estiver perto da hora de dormir.

Se precisar alimentar o bebê durante a noite, tentar acender somente a luz de um abajur e falar bem baixinho para não despertar o bebê.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • INSTITURO NACIONAL DA SAÚDE DA CRIANÇA, DA MULHER E DO ADOLESCENTE FERNANDES FIGUEIRA. Prematuridade. Disponível em: <http://www.iff.fiocruz.br/index.php/8-noticias/64-prematuridade>. Acesso em 31 Ago 2021
  • UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Cuidados com o bebê prematuro: orientações para a família. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cuidados_bebe_prematuro_3ed.pdf>. Acesso em 31 Ago 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. Gráficos de Crescimento. Disponível em: <https://www.sbp.com.br/departamentos-cientificos/endocrinologia/graficos-de-crescimento/>. Acesso em 31 Ago 2021
  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Caderno de atenção Básica: Saúde da criança: crescimento e desenvolvimento. 2014. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/saude_crianca_crescimento_desenvolvimento_1ed.pdf>. Acesso em 31 Ago 2021
  • FIOCRUZ. Principais Questões sobre a Alta do Recém-nascido de Risco. 2019. Disponível em: <https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/atencao-recem-nascido/6207/>. Acesso em 31 Ago 2021
Mais sobre este assunto: