Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como é feito o tratamento para urticária

A urticária, que corresponde frequentemente a uma reação alérgica na pele, tem cura quando a causa é identificada e tratada rapidamente. Os sintomas podem desaparecer espontaneamente ou pode ser necessário tratamento para aliviar o intenso desconforto que provoca, sendo importante a orientação dada um médico.

Quando os sintomas de urticária duram mais que 6 semanas, passa a ser considerada crônica e, por isso, pode ser mais difícil de controlar, sendo nestes casos ainda mais importante a orientação médica. Saiba como identificar a urticária.

A melhor forma para tratar a urticária consiste em tentar identificar se existe uma causa que está provocando os sintomas e evitá-la o máximo possível, para que a urticária não volte a surgir. No entanto essas causas podem ser muito variadas, incluindo desde alimentos, até ao uso de medicamentos e alguns objetos. Dessa forma, identificar a causa do problema pode ser uma tarefa bastante difícil.

Como é feito o tratamento para urticária

As principais formas de tratamento para urticária são:

1. Evitar as causas

A forma mais simples e eficaz de tratamento da urticária é identificar o agente causador dos sintomas e, assim, evitar o contato. As causas mais comuns de desencadear a reação alérgica na pele são:

  • Consumo de alguns tipos de comida, especialmente ovos, amendoins, marisco ou nozes;
  • Uso frequente de medicamentos, como antibióticos, Aspirina ou Ibuprofeno;
  • Contato com alguns objetos do dia-a-dia, principalmente feitos com látex ou níquel;
  • Ácaros ou contato com o pêlo de animais;
  • Picadas de insetos;
  • Estímulos físicos, como pressão na pele, frio, calor, excesso de exercício ou exposição solar;
  • Infecções frequentes, como gripes, resfriados ou infecções urinárias;
  • Exposição a algumas plantas ou pólen.

Para ajudar a identificar o que pode estar provocando o surgimento da urticária, o alergologista pode fazer testes de alergias que permitem identificar algumas causas específicas, como sensibilidade a ácaros ou a pêlo de animais, por exemplo. Entenda como funcionam estes tipos de teste. Pode também ser útil fazer análises ao sangue para excluir outras causas possíveis de urticária.

No entanto, quando não é possível encontrar a causa através dos vários testes de alergias disponíveis, é recomendado fazer um diário alimentar e de medicação, tentando identificar se algum destes poderá estar a provocar ou a agravar a urticária.

2. Uso de anti-histamínicos

O uso de medicamentos anti-histamínicos, popularmente conhecidos como anti-alérgicos, é recomendado quando não é possível identificar a causa, é difícil evitar o contato com o agente desencadeador da urticária ou quando os sintomas são muito desconfortáveis e podem atrapalhar as atividades do dia-a-dia. Assim, é recomendado consultar o alergologista para que seja indicado o melhor anti-histamínico para cada caso, para ajudar a aliviar os sintomas.

Geralmente, este tipo de medicamentos pode ser utilizado durante um longo período de tempo, pois não apresentam muitos efeitos colaterais, podendo ser tomados diariamente para reduzir os sintomas, como coceira e vermelhidão na pele.

Além disso, algumas técnicas caseiras, como aplicar compressas frias na pele nas áreas afetas, ajudam a diminuir o desenvolvimento dos sintomas e o desconforto provocado pela urticária. Veja uma receita de um ótimo remédio caseiro para aliviar a urticária.

3. Uso de medicamentos corticoides

Quando surgem episódios de sintomas muito intensos, que não melhoram com o uso dos anti-histamínicos, o médico pode aumentar a dose ou recomendar o uso de medicamentos corticoides, como a Prednisolona, que possui um efeito anti-inflamatório potente, mas que também apresenta muitos efeitos colaterais, como aumento do peso, pressão alta, diabetes ou enfraquecimento dos ossos, devendo, por isso, ser utilizada durante pouco tempo e sempre sob orientação médica.

4. Associação de anti-histamínicos e corticoides

O uso em conjunto de medicamentos anti-histamínicos e corticoides é indicado pelo médico no caso da urticária crônica, que é quando os sintomas duram mais que 6 semanas, são intensos, surgem frequentemente ou nunca desaparecem. Assim, o tratamento para esse tipo de urticária é feito com anti-histamínicos, que pode ser completado com o uso de corticoides, como Hidrocortisona ou Betametasona, que aliviam bastante os sintomas, mesmo quando não se evita a causa da urticária.

Para além dos anti-histamínicos e dos corticoides, existem outros tratamentos que poderão ajudar a resolver as urticárias mais difíceis de tratar, como por exemplo, ciclosporina, omalizumab, entre outros. Saiba mais sobre o Omalizumab.

Nos casos em que a urticária é acompanhada de sintomas graves, como inchaço da língua ou dos lábios ou dificuldade para respirar, por exemplo, o médico pode recomendar o uso de uma caneta de epinefrina (adrenalina) para que seja injetada imediatamente na pessoa assim que surgirem esses sintomas. Veja quando é indicado utilizar a caneta de epinefrina.

Os doentes com urticária crônica devem ser alertados pelo médico alergologista para os sinais de alarme ou de gravidade que possam surgir e devem aprender a atuar nessas situações, daí ser fundamental a orientação em consulta da especialidade.

Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem