Como é feito o tratamento para mononucleose

Fevereiro 2021

A mononucleose infecciosa é causada pelo vírus Epstein-Barr e é transmitida principalmente pela saliva e não existe um tratamento específico, pois o corpo elimina o vírus naturalmente após cerca de 1 mês, sendo apenas indicado que a pessoa permaneça em repouso, beba bastante líquidos e mantenha uma alimentação saudável e equilibrada. 

No entanto, quando os sintomas não desaparecem ou são muito fortes, o médico pode receitar também corticoides para reduzir a inflamação causada pelo vírus ou antivirais que ajudam a eliminar a infecção e aliviar os sintomas.

Em algumas situações, o médico poderá solicitar alguns exames como ultrassom para verificar se o baço está aumentado ou exame de sangue para analisar se o vírus foi totalmente eliminado do organismo.

Como é feito o tratamento para mononucleose

1. Medicamentos

Não existem medicamentos que possam tratar a mononucleose, pois o vírus é eliminado pelas defesas do próprio corpo. No entanto, como a mononucleose pode causar sintomas desconfortáveis, como febre, dor de cabeça, dor na garganta ou cansaço intenso, o clínico geral pode indicar medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, como paracetamol, ibuprofeno e aspirina.

Em alguns casos, no mesmo tempo em que ocorre a mononucleose, pode acontecer alguma infecção por bactérias na garganta e somente nessas situações o antibiótico é recomendado. 

Os medicamentos antivirais, como o aciclovir e o ganciclovir, por exemplo, podem auxiliar na diminuição da quantidade de vírus no corpo. Porém, nem sempre são aconselhados, sendo indicados apenas em casos em que as defesas do corpo estão comprometidas e os sintomas são muito fortes.

Os corticoides podem ser receitados pelo médico, principalmente quando a garganta está muito inflamada e a febre não passa, ou seja, não devem ser usados em todas as situações. 

O tratamento para mononucleose nas crianças é praticamente igual ao tratamento nos adultos, exceto pelo uso da aspirina, pois esse medicamento pode favorecer o desenvolvimento da síndrome de Reye, em que ocorre inflamação do cérebro e acúmulo de gordura no fígado. O mais importante é oferecer bastante líquido à criança para evitar desidratação. 

2. Tratamento caseiro

Algumas recomendações são indicadas para melhorar os sintomas da mononucleose como:

  • Repouso: é importante descansar, principalmente no caso de febre e dores musculares;
  • Gargarejo com água e sal: ajuda a diminuir a dor e a inflamação na garganta;
  • Beber bastante água: é importante manter a hidratação para facilitar a recuperação;
  • Evitar atividade física: porque as atividades físicas podem causar ruptura no baço.

Para não transmitir o vírus para outras pessoas é importante lavar as mãos várias vezes ao dia, além de evitar o compartilhamento de objetos contaminados com saliva, como talheres e copos.

Além disso, algumas plantas medicinais podem ser indicadas pelo médico para complementar o tratamento recomendado e ajudar no alívio dos sintomas, como é o caso do chá de equinácea. Isso porque essa planta medicinal possui propriedades anti-inflamatórias e imunoestimulantes que ajudam a fortalecer o sistema imune que está comprometido na mononucleose e a aliviar os sintomas como dor de cabeça, no abdômen e inflamação da garganta.

Para fazer o chá de equinácea, basta acrescentar 1 colher de chá de folhas de equinácea e 1 colher de chá de folhas de maracujá picadas em 1 xícara de água fervente e deixar repousar por cerca de 15 minutos. Depois, coar e beber o chá cerca de 2 vezes por dia.

Sinais de melhora e piora

Os sinais de melhora da mononucleose incluem diminuição e desaparecimento da febre, alívio das dores de garganta e de cabeça, diminuição e desaparecimento do inchaço das ínguas, desaparecimento das placas esbranquiçadas da boca e garganta e das manchas vermelhas no corpo.

No entanto, quando os sintomas não desaparecem após 1 mês, é possível que seja notado o aparecimento de alguns sintomas indicativos de piora, como dor abdominal intensa, aumento das ínguas do pescoço, aumento da inflamação e dor de garganta e aumento da febre, sendo importante consultar o médico o mais rápido possível para que o tratamento mais adequado seja recomendado.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • OLIVEIRA, Juliana et al. O vírus Epstein-Barr e a mononucleose infecciosa. Rev Bras Clin Med. Vol.10. 6.ed ; 535-543, 2012
  • MAYO CLINIC. Mononucleosis. Disponível em: <https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/mononucleosis/diagnosis-treatment/drc-20350333>. Acesso em 16 Out 2019
  • HEALTH LINE. Mononucleosis. Disponível em: <https://www.healthline.com/health/mononucleosis#treatment>. Acesso em 16 Out 2019
  • E MEDICINE HEALTH. Mononucleosis. Disponível em: <https://www.emedicinehealth.com/mononucleosis/article_em.htm#what_causes_infectious_mononucleosis>. Acesso em 16 Out 2019
Mais sobre este assunto: