Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como é feito o tratamento para mononucleose

Atualizado em Outubro 2019

A mononucleose infecciosa é causada pelo vírus Epstein-Barr e é transmitida principalmente pela saliva, sendo que, não existe um tratamento específico, pois o corpo elimina o vírus e a doença desaparece dentro de 1 mês. Entretanto, a mononucleose provoca febre, dor de cabeça e podem aparecer placas esbranquiçadas na garganta e manchas vermelhas na pele e por isso alguns medicamentos são usados para aliviar esses sintomas.

Quando os sintomas da mononucleose não desaparecem ou são muito fortes, o clínico geral ou pediatra pode receitar corticoides para reduzir a inflamação causada pelo vírus ou antivirais que ajudam a eliminar a infecção.

Em algumas situações, o médico poderá solicitar alguns exames como ultrassom para verificar se o baço está aumentado ou exame de sangue para analisar se o vírus foi totalmente eliminado do organismo.

Como é feito o tratamento para mononucleose

É ainda importante no tratamento para mononucleose manter repouso, beber bastante líquido e manter uma dieta saudável. Todavia, os tratamentos mais indicados para a mononucleose são:

Uso de medicamentos 

Não existem medicamentos que possam tratar a mononucleose, pois o vírus é eliminado pelas defesas do próprio corpo. No entanto, como a mononucleose pode causar sintomas desconfortáveis, como febre, dor de cabeça, dor na garganta ou cansaço intenso, o clínico geral pode indicar medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios, como paracetamol, ibuprofeno e aspirina.

Em alguns casos, no mesmo tempo em que ocorre a mononucleose, pode acontecer alguma infecção por bactérias na garganta e somente nessas situações o antibiótico é recomendado. 

Os medicamentos antivirais, como o aciclovir e o ganciclovir, por exemplo, podem auxiliar na diminuição da quantidade de vírus no corpo. Porém, nem sempre são aconselhados, sendo indicados apenas em casos em que as defesas do corpo estão comprometidas e os sintomas são muito fortes.   

Os corticoides podem ser receitados pelo médico, principalmente quando a garganta está muito inflamada e a febre não passa, ou seja, não devem ser usados em todas as situações. 

O tratamento para mononucleose nas crianças é praticamente igual ao tratamento nos adultos, exceto pelo uso da aspira, pois ela pode causar síndrome de Reye, em que ocorre inflamação do cérebro e acúmulo de gordura no fígado. O mais importante é oferecer bastante líquido à criança para evitar desidratação. 

Opções de tratamento natural

Algumas recomendações são indicadas para melhorar os sintomas da mononucleose como:

  • Repouso: é importante descansar, principalmente no caso de febre e dores musculares;
  • Gargarejo com água e sal: ajuda a diminuir a dor e a inflamação na garganta;
  • Beber bastante água: é importante manter a hidratação para facilitar a recuperação;
  • Evitar atividade física: porque as atividades físicas podem causar ruptura no baço.

Para não transmitir o vírus para outras pessoas é importante lavar as mãos várias vezes ao dia, além de evitar o compartilhamento de objetos contaminados com saliva, como talheres e copos.

Outras substâncias, como a equinácea, podem ser utilizadas para auxiliar o tratamento para mononucleose, principalmente pelo efeito anti-inflamatório e analgésico que possuem. Entretanto, é necessário seguir as recomendações do médico antes do uso de qualquer substância natural. Saiba mais sobre remédio caseiro para mononucleose.

Sinais de melhora

Os sinais de melhora da mononucleose incluem diminuição e desaparecimento da febre, alívio das dores de garganta e de cabeça, diminuição e desaparecimento do inchaço das ínguas, desaparecimento das placas esbranquiçadas da boca e garganta e das manchas vermelhas no corpo.

Sinais de piora 

Os sinais de piora da mononucleose incluem dor abdominal intensa, aumento das ínguas do pescoço, aumento da inflamação e dor de garganta e aumento da febre.

Quando a pessoa manifesta sinais de piora, pode ser necessário ter que ficar internada para receber os remédios pela veia, por isso é importante comunicar o médico se houver dor abdominal intensa ou se os sintomas piorarem depois de 1 mês.

Bibliografia >

  • OLIVEIRA, Juliana et al. O vírus Epstein-Barr e a mononucleose infecciosa. Rev Bras Clin Med. Vol.10. 6.ed ; 535-543, 2012
  • MAYO CLINIC. Mononucleosis. Disponível em: <https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/mononucleosis/diagnosis-treatment/drc-20350333>. Acesso em 16 Out 2019
  • HEALTH LINE. Mononucleosis. Disponível em: <https://www.healthline.com/health/mononucleosis#treatment>. Acesso em 16 Out 2019
  • E MEDICINE HEALTH. Mononucleosis. Disponível em: <https://www.emedicinehealth.com/mononucleosis/article_em.htm#what_causes_infectious_mononucleosis>. Acesso em 16 Out 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Mais sobre este assunto:


Publicidade

LIVE | Saúde da Prostata

A Tatiana e o Manuel vão estar te esperando num encontro informal para falar tudo sobre problemas na próstata.

A sua presença vai fazer o evento ser mais especial.

Se inscreva e receba uma notificação quando começar, para não perder nenhum minuto.

Inscreva-se
* Não perca a oportunidade de fazer perguntas e participar deste momento em homenagem ao Novembro Azul.

Estamos ao vivo agora! Vem falar com a gente!

A Tati e o Manuel falam sobre problemas na próstata, o preconceito dos homens a respeito do exame de toque retal, e até sobre impotência sexual, que pode ser um complicação da detecção tardia desse tipo câncer.

Participe agora
* Vamos responder todas as perguntas que chegarem, sem tabus. Estamos te esperando!
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem