Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Câncer de pâncreas: Causas, Tratamento e Como viver com câncer

O tratamento para câncer de pâncreas varia de acordo com o comprometimento do órgão, o grau de desenvolvimento do câncer e o surgimento de metástases, por exemplo.

Assim, cada caso deve ser avaliado por um oncologista de forma a escolher uma das seguintes formas de tratamento:

  • Cirurgia: normalmente, é feita quando o câncer ainda não se desenvolveu para fora do órgão. Na cirurgia é removida a região afetada do pâncreas, assim como de outros órgãos que tenham muito risco de ser afetados, como intestino ou vesícula biliar;
  • Radioterapia: pode ser usada antes da cirurgia para diminuir o tamanho do tumor, ou depois da cirurgia para eliminar as células cancerígenas restantes;
  • Quimioterapia: geralmente é usada em casos mais avançados e utiliza remédios diretamente na veia para destruir as células cancerígenas. Quando existem metástases, este tratamento pode ser combinado com a radioterapia para obter melhores resultados.

Além disso, existem ainda formas de tratamento alternativo que não podem garantir a cura da doença, mas que podem ajudar a aliviar alguns sintomas ou até melhorar o efeito do tratamento médico.

Câncer de pâncreas: Causas, Tratamento e Como viver com câncer

Embora existam várias formas de curar o câncer pancreático, geralmente o tratamento é muito difícil, pois como esta doença não provoca sintomas nas fases iniciais, normalmente só é identificada quando o câncer já se espalhou por outros órgãos.

No caso de o tratamento não conseguir combater o câncer, o oncologista normalmente aconselha o tratamento paliativo, que ajuda a aliviar os sintomas e a melhorar o conforto durante os últimos dias da pessoa.

Quimioterapia para câncer de pâncreas

A quimioterapia é uma das opções de tratamento mais utilizadas para o câncer de pâncreas, especialmente nos casos de câncer exócrino, que é o tipo mais comum e mais grave.

Geralmente, a quimioterapia pode ser usada de 3 formas diferentes durante o tratamento:

  • Antes da cirurgia: ajuda a reduzir o tamanho do tumor, facilitando a sua remoção durante a cirurgia;
  • Após a cirurgia: permite eliminar as células cancerígenas que não foram removidas com a cirurgia;
  • Em vez da cirurgia: quando a cirurgia não pode ser usada por o câncer já estar muito espalhado ou a pessoa não reunir condições para ser operada.

Além disso, a quimioterapia pode ainda ser associada à radioterapia, que utiliza radiação para eliminar células cancerígenas, tendo uma ação mais potente quando usadas em conjunto.

Na maioria dos casos, a quimioterapia é feita por ciclos, sendo comum fazer 1 a 2 semanas de tratamento, intercaladas com um período de descanso para que o corpo consiga recuperar.

Os efeitos secundários da quimioterapia no corpo variam de acordo com o medicamento usado e a sua dosagem, no entanto, os mais comuns incluem vômitos, náuseas, perda de apetite, queda de cabelo, surgimento de feridas na boca, diarreia, prisão de ventre, cansaço excessivo e sangramentos. Além disso, pessoas a fazer quimioterapia também têm maior risco de desenvolver infecções.  Saiba mais sobre os efeitos colaterais da quimioterapia no organismo e como lidar com eles.

Remédios normalmente usados 

Alguns dos remédios mais utilizados no tratamento quimioterápico do câncer de pâncreas são:

  • Gencitabina;
  • Erlotinibe;
  • Fluorouracila;
  • Irinotecano;
  • Oxaliplatina;
  • Capecitabina;
  • Paclitaxel;
  • Docetaxel.

Estes medicamentos podem ser usados em separado ou em combinação, dependendo do estado de saúde de cada paciente.

Nos casos de câncer de pâncreas terminal a toma destes medicamentos não faz-se necessária, recomendando-se somente a toma de fortes analgésicos para diminuir a dor do paciente em fase final de vida.

Causas do câncer de pâncreas 

Algumas das causas do câncer de pâncreas são:

  • Fumar ativamente ou passivamente
  • O consumo excessivo de gorduras, carnes e de bebidas alcoólicas
  • Exposição à substâncias químicas como os derivados do petróleo e solventes de tinta, por exemplo
  • Em caso de pancreatite crônica ou de diabetes melitus que não é devidamente tratada

Todas as causas acima citadas estão relacionadas a uma sobrecarga no pâncreas e qualquer outra doença que possa de alguma forma afetar o comprometimento deste órgão também pode acabar gerando um câncer pancreático.

Indivíduo que tenham problemas digestivos graves como pancreatite crônica ou que tenham sido submetidos a alguma cirurgia para reparar uma úlcera no estômago, no duodeno ou que tenham sido submetidos à retirada da vesícula biliar têm maiores chances de desenvolver o câncer de pâncreas e devem estar atentos aos primeiros sinais e sintomas da doença.

A realização de exames de sangue, fezes, urina de 6 em 6 meses pode ser úteis e caso algum destes exames mostre alterações significativas o médico pode receitar a tomografia computadorizada ou ressonância magnética para observar os órgãos internos. Se diante destes exames o médico achar que o pâncreas ou o fígado encontram-se comprometidos a biópsia do tecido pode evidenciar a presença de células cancerígenas.

Câncer de pâncreas: Causas, Tratamento e Como viver com câncer

Como é feito o tratamento paliativo

O tratamento paliativo do câncer de pâncreas é indicado quando a doença é descoberta numa fase muito avançada e as chances de cura com os tratamento médicos são mínimas. Este tipo de tratamento visa diminuir a dor e o desconforto do paciente, e pode ser feito em internamento no hospital ou em casa, com o uso de analgésicos fortes que podem aliviar a dor.

Se descoberto numa fase avançada, entenda qual o tempo de vida de uma pessoa com câncer de pâncreas.

Como viver com câncer de pâncreas 

Viver com o câncer de pâncreas não é fácil para o doente nem para a família. O paciente deve iniciar o tratamento permanecendo internado num hospital oncológico assim que a doença seja diagnosticada para iniciar precocemente o tratamento.

Iniciar o tratamento prontamente é importante pois quanto mais tarde for iniciado o tratamento, mais a doença alastra-se e menor será o seu tempo de vida e menos alternativas de tratamento serão possíveis.

Tempo de vida de indivíduos com câncer de pâncreas

A taxa de sobrevida do paciente com câncer de pâncreas varia em torno de 6 meses a 5 anos e dependerá do tamanho, da localização e se o tumor gerou metástases ou não.

Após  a observação médica e os devidos estudos clínicos, o paciente poderá  ser mandado para casa, mas deverá voltar nos dias determinados pelos médicos para fazer a cirurgia para retirada do tumor para continuar o tratamento medicamentoso e se necessário, realizar as sessões de radioterapia.

Direitos dos pacientes com câncer de pâncreas

Para assegurar o paciente e a família, o paciente com câncer tem alguns direitos tais como:

  • Saque do FGTS, PIS/PASEP;
  • Transportes públicos gratuitos;
  • Prioridade no andamento de processos jurídicos;
  • Auxílio doença;
  • Aposentadoria por invalidez;
  • Isenção de Imposto de Renda;
  • Benefício da prestação assegurada pelo INSS (receber 1 salário mínimo mensalmente);
  • Medicamentos gratuitos;
  • Receber o plano de previdência privada.

Outros direitos incluem o recebimento de uma indenização devido ao seguro de vida e a quitação da casa, dependendo do contrato assinado pelo paciente antes de ser diagnosticado com a doença.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...