Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como é feito o tratamento com Hormônio do Crescimento (GH)

O tratamento com hormônio do crescimento, também conhecido pela sigla GH, é indicado para meninos e meninas que têm deficiência deste hormônio, o que causa atraso no crescimento. O hormônio do crescimento já está, normalmente, presente naturalmente no organismo das pessoas, sendo produzido no cérebro pela glândula hipófise, localizada na base do crânio, e é essencial para o crescimento da criança, para que esta atinja a estatura habitual de um adulto. 

Este tratamento é indicado pelo endocrinologista, feito com injeções diárias pelo tempo determinado pelo médico, para que a ação do hormônio reestabelecer o crescimento e a capacidade física da criança, até que seu corpo atinja a maturidade óssea.

Além disso, como este hormônio é conhecido promover o emagrecimento, reduzir o processo de envelhecimento e aumentar a massa magra, alguns adultos têm procurado o uso deste hormônio por questões estéticas, entretanto, esta medicação é contra-indicada para estes fins, por não ser segura para a saúde nestes casos.

Como é feito o tratamento com Hormônio do Crescimento (GH)

Quando é indicado

O tratamento com hormônio do crescimento é indicado nos casos em que o pediatra detectam que a criança não tem um crescimento adequado e está abaixo do considerado normal, devido à produção deficiente do hormônio. Por este motivo, toda criança, desde o nascimento, deve ser medida e pesada pelo menos 1 vez por anos, de forma que o médico consiga acompanhar o seu crescimento. 

A causa deficiência do hormônio do crescimento nem sempre pode ser esclarecida, entretanto, pode acontecer nas seguintes situações:

  • Alterações genéticas;
  • Pancadas na cabeça;
  • Infecções ou inflamações grave;
  • Tumor cerebral;
  • Certos tratamentos como radioterapia ou quimioterapia.

Esta situação costuma provocar os primeiros sinais a partir dos dois anos de idade, causando um desenvolvimento inadequado na infância e adolescência, podendo se observar que a criança é sempre a menor da turma ou demora para trocar as roupas e sapatos, por exemplo. Saiba o que é e como identificar o crescimento ósseo atrasado.

Como é feito

O tratamento com hormônio do crescimento é indicado pelo endocrinologista, em tratamentos pelo SUS ou particular, sendo um medicamento comprado apenas com receita médica. É feito com aplicações de injeções, por via subcutânea, na camada de gordura da pele dos braços, coxas, nádegas ou abdome. 

O tratamento costuma ser feito até que o adolescente atinja a maturidade óssea, que é quando as cartilagens dos ossos longos se fecham, pois quando isto acontece já não há mais possibilidade de crescer, mesmo tomando o GH. Confira também, como calcular a altura do seu filho e dicas para a criança ser mais alta.

Entretanto, alguns adultos com deficiência deste hormônio podem continuar tomando, de acordo com a indicação do endocrinologista, por ter alguns benefícios, como melhorar a capacidade física e melhorar as condições dos ossos e músculos. Por causa desses benefícios, algumas pessoas usam o hormônio do crescimento de forma errada para tratar a obesidade, sendo desaconselhada contra-indicada para esses fins por não ser considerada segura, já que pode provocar diversos efeitos colaterais.

Como é feito o tratamento com Hormônio do Crescimento (GH)

Possíveis efeitos colaterais

Quando bem indicado pelo médico, o hormônio do crescimento costuma ser bem tolerado e raramente causa efeitos colaterais. Alguns que podem surgir são reações no local da aplicação e,muito raramente, uma síndrome de hipertensão intracraniana, que cursa com dor de cabeça, alterações visuais, vômitos e alterações do movimento. 

Em adultos, o GH pode provocar retenção de líquidos, causando inchaço, dor nos músculos e articulações além de síndrome do túnel do carpo, que provoca formigamentos.

Quem não deve utilizar

O GH não deve ser utilizado em pessoas portadoras de tumores malignos ou cerebrais, diabetes descompensado, que estão gravemente adoentadas ou que passaram por uma grande cirurgia.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...