Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Fisioterapia com ondas de choque: para que serve e como funciona

Revisão clínica: Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
janeiro 2023

A terapia por ondas de choque é uma forma de tratamento não invasiva que utiliza um aparelho, que envia ondas de som pelo corpo, para aliviar alguns tipos de inflamação e estimular o crescimento e reparação de vários tipos de lesões, especialmente a nível muscular ou ósseo, sendo importante que seja recomendado pelo fisioterapeuta.

Esse tipo de tratamento emite ondas em uma frequência determinada que é capaz de promover a ativação do metabolismo tissular, podendo ser utilizado no tratamento da celulite, tendinite, fascite plantar, esporão calcâneo, bursite ou cotovelo de tenista, por exemplo.

Embora tenha bons resultados para aliviar os sintomas, a terapia por ondas de choque nem sempre cura o problema, principalmente quando envolve alterações no osso, como o esporão, podendo ser necessário fazer cirurgia.

Imagem ilustrativa número 1

Para que serve

As ondas de choque servem para:

  • Reduzir a inflamação no local, o que que permite aliviar o inchaço e a dor local;
  • Estimular a formação de novos vasos sanguíneos, uma vez que facilita a reparação da lesão, pois aumenta a quantidade de sangue e oxigênio na região;
  • Aumentar a produção de colágeno, que é importante para manter a reparação de músculos, ossos e tendões.

Além disso, este método também reduz a quantidade de substância P no local, que é um elemento que está presente em grandes concentrações em casos de dor crônica.

Quando é indicada

O tratamento de fisioterapia com ondas de choque pode ser indicado nas seguintes situações:

  • Alterações crônicas nos tendões, como fascite plantar, inflamação do tendão de Aquiles, tendinite patelar, tendinite calcificante do ombro e cotovelo de tenista, por exemplo;
  • Problemas ósseos, como pseudoartrite, fraturas do estresse e atraso na cicatrização na cicatrização óssea, osteonecrose e osteocondrite dissecante;
  • Problemas da pele, como atraso ou não cicatrização de feridas, úlceras na pele, celulite e feridas por queimaduras.

Além disso, existem outras situações em que pode ser indicado o tratamento de fisioterapia por ondas de choque, como bursite, esporão do calcâneo ou síndrome do túnel do carpo, por exemplo.

Como é feita

A terapia por ondas de choque é praticamente indolor, no entanto, o fisioterapeuta pode utilizar uma pomada anestésica para adormecer a região a ser tratada, de forma a aliviar qualquer desconforto causado pelo aparelho.

Durante o procedimento, a pessoa deve ficar em uma posição confortável que permita que o profissional consiga chegar bem no local a tratar. Em seguida, é aplicado um gel no local para facilitar o deslizamento do aparelho no local de tratamento.

Na maioria dos casos são necessárias 3 a 10 sessões de 5 a 20 minutos para acabar completamente com a dor e reparar a lesão e a pessoa pode voltar para casa logo após o tratamento, sem serem necessários cuidados especiais.

Quando não é indicado

O tratamento de fisioterapia com ondas de choque é considerado bastante seguro, no entanto, é importante que essa terapia seja realizada por um profissional capacitado, pois assim é possível garantir que o equipamento está calibrado e está sendo aplicada a frequência de corrente adequada ao tipo de tratamento.

É recomendado também que a terapia por ondas de choque não seja realizado por cima de locais como os pulmões, olhos ou cérebro. Além disso também deve ser evitado na região da barriga em grávidas ou por cima de locais com câncer, uma vez que pode estimular o crescimento do tumor.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em janeiro de 2023. Revisão clínica por Marcelle Pinheiro - Fisioterapeuta, em janeiro de 2023.
Revisão clínica:
Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
Formada em Fisioterapia pela UNESA em 2006 com registro profissional no CREFITO- 2 nº. 170751 - F e especialista em dermatofuncional.