Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Staphylococcus saprophyticus: o que é, sintomas e tratamento

O Staphylococcus saprophyticus, ou S. saprophyticus, é uma bactéria gram-positiva que pode ser encontrada no sistema genital de homens e mulheres, sem causar qualquer sinal ou sintoma. No entanto, quando há um desequilíbrio da microbiota genital, seja devido a estresse, alimentação, falta de higiene ou doenças, pode haver a proliferação dessa bactéria e aparecimento de sintomas de infecção urinária, principalmente em mulheres jovens e sexualmente ativas.

Essa bactéria possui proteínas em sua superfície que permitem que fique aderida mais facilmente às células do trato urinário, causando infecção quando há condições que favorecem a sua proliferação. 

Staphylococcus saprophyticus: o que é, sintomas e tratamento

Principais sintomas

Os sintomas da infecção por S. saprophyticus surgem principalmente quando a pessoa encontra-se com o sistema imune debilitado ou quando a higienização íntima não é realizada corretamente, favorecendo o desenvolvimento de bactérias na região genital e levando ao surgimento de sintomas de infecção urinária.

Caso desconfie de que possa estar com infecção urinária, marque os sintomas no teste a seguir:

  1. 1. Dor ou sensação de queimação ao urinar
    Sim
    Não
  2. 2. Vontade frequente e repentina de urinar em pouca quantidade
    Sim
    Não
  3. 3. Sensação de não conseguir esvaziar a bexiga
    Sim
    Não
  4. 4. Sensação de peso ou desconforto na região da bexiga
    Sim
    Não
  5. 5. Urina turva ou com presença de sangue
    Sim
    Não
  6. 6. Febre baixa persistente (entre 37,5º e 38º)
    Sim
    Não
Imagem que indica que o site está carregando

É importante que a infecção seja identificada e tratada corretamente, pois caso contrário a bactéria pode permanecer mais tempo nos rins resultando em pielonefrite ou nefrolitíase, comprometendo o funcionamento dos rins, ou chegar à corrente sanguínea e atingir outros órgãos, caracterizando a septicemia. Entenda o que é septicemia.

Apesar de ser menos frequente nos homens, a infecção por S. saprophyticus pode resultar em epididimite, uretrite e prostatite, sendo importante que o diagnóstico seja feito corretamente e o tratamento iniciado logo em seguida.

Como diagnosticar

O diagnóstico da infecção pelo Staphylococcus saprophyticus deve ser feito pelo ginecologista, no caso das mulheres, ou urologista, nos homens, através da análise dos sintomas apresentados pela pessoa e resultado do exame microbiológico.

Normalmente o médico solicita a realização de exame de urina tipo 1, também chamado de EAS, e a urocultura, que tem como objetivo identificar o microrganismo responsável pela infecção. No laboratório, é feita cultura da amostra de urina para que o microrganismo seja isolado. Após isolamento, são realizados diversos testes bioquímicos que permitam a identificação da bactéria.

O S. saprophyticus é considerado coagulase negativo, pois ao ser realizada a prova da coagulase, não há reação, diferentemente de outras espécies de Staphylococcus. Além da prova da coagulase, é necessário que seja feita a prova da Novobiocina para que se possa diferenciar o S. saprophyticus do S. epidermidis, sendo o S. saprophyticus resistente à Novobiocina, que é um antibiótico que pode ser utilizado no tratamento de infecção por bactérias do gênero Staphylococcus. Saiba tudo sobre Staphylococcus.

Tratamento para S. saprophyticus

O tratamento para S. saprophyticus é estabelecido pelo médico quando a pessoa apresenta sintomas, sendo recomendado o uso de antibióticos por cerca de 7 dias. O antibiótico indicado depende do resultado do antibiograma, que mostra a que antibióticos a bactéria é sensível e resistente, sendo possível indicar o medicamento mais adequado.

Normalmente, o médico indica o tratamento com Amoxicilina ou Amoxicilina associada à Clavulanato, no entanto quando a bactéria é resistente a esses antibióticos ou quando a pessoa não responde bem ao tratamento, pode ser indicado o uso de Ciprofloxacino, Norfloxacino, Sulfametoxazol-Trimetoprim ou Cefalexina.

Bibliografia >

  • BARER, Michael R et al. Medical Microbiology: A guide to microbial infections - pathogenesis, immunity, laboratory investigation and control. 19 ed. Elsevier, 2018. 138-140.
  • ANVISA. Detecção e Identificação de Bactérias de Importância Médica . Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br/servicosaude/microbiologia/mod_5_2004.pdf>. Acesso em 26 Jul 2019
  • SATO, Andrea de Fátima et al. Nitrito urinário e infecção do trato urinário por cocos gram-positivos. J Bras Patol Med Lab. Vol 41. 6 ed; 397-404, 2005
  • PAIM, Thiago G. S. Caracterização Fenotípica e Análise de Fatores de Virulência em Staphylococcus saprophyticus. Tese de Mestrado, 2013. Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre.
  • JUNIOR, CARLOS AUGUSTO G. F. Protocolo de atendimento: Infecção do Trato Urinário. 2009. Disponível em: <http://www.saudedireta.com.br/docsupload/1340447025itu.pdf>. Acesso em 26 Jul 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem