Costela cervical: o que é, sintomas e tratamento

Atualizado em agosto 2023

A costela cervical é o crescimento de uma costela extra em uma das vértebras do pescoço, geralmente causado por alterações congênitas, estando presente desde o nascimento, mas sendo normalmente descoberta entre os 20 e os 40 anos, devido a presença de sintomas como caroço no pescoço, dor no ombro ou formigamento nos braços.

A costela cervical é mais comum de ocorrer em apenas um lado do pescoço, mas também pode surgir nos dois lados, e, apesar de na maioria dos casos não causar nenhum problema de saúde, pode comprimir vasos ou nervos na região do pescoço, levando ao surgimento da síndrome do desfiladeiro torácico. Saiba o que é a síndrome do desfiladeiro torácico.  

O tratamento da costela cervical é feito pelo ortopedista que pode indicar fisioterapia, uso de remédios anti-inflamatórios, ou nos casos  mais graves, cirurgia.

Imagem ilustrativa número 1

Sintomas da costela cervical

Os principais sintomas da costela cervical, são:

  • Caroço no pescoço;
  • Dor no ombro e pescoço;
  • Formigamento nos braços, mãos ou dedos;
  • Mãos e dedos roxos, especialmente durante dias frios;
  • Inchaço dos braços, mãos ou dedos;
  • Fraqueza ou dificuldade para movimentar o braço.

Estes sintomas são raros e surgem quando a costela se desenvolveu completamente, comprimindo um vaso sanguíneo ou nervo e, por isso, podem variar de intensidade e duração de acordo com cada caso.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da costela cervical é feito pelo ortopedista através da avaliação dos sintomas e histórico de saúde, exame físico e raio X do tórax e da coluna cervical.

Além disso, o médico também pode solicitar exames de ultrassom com Doppler, tomografia computadorizada ou ressonância magnética, arteriografia ou angiografia, ou eletromiografia para verificar se existem danos ou compressão nos vasos sanguíneos ou nervos.

Como é feito o tratamento

O melhor tratamento para a síndrome da costela cervical é a cirurgia para retirada do excesso de osso. No entanto, esta técnica só é utilizada quando o paciente apresenta sintomas avançados, como dores fortes e formigamento dos braços, que impedem a realização das atividades diárias.

Antes de utilizar a cirurgia o ortopedista pode recomendar outras formas de aliviar os sintomas, que incluem:

  • Fazer alongamentos do pescoço de 2 em 2 horas. Veja como fazer alongamentos para dor no pescoço;  
  • Aplicar uma compressa morna no pescoço durante 10 minutos, podendo se passar uma fralda de pano ou uma toalhinha de mão a ferro, por exemplo;
  • Receber uma massagem no pescoço ou costas, pois ajuda a diminuir o acúmulo de tensão, relaxando os músculos do pescoço;
  • Aprender técnicas para proteger o pescoço e as costas nas atividades de vida diária, participando em terapia ocupacional;
  • Fazer fisioterapia com exercícios de alongamento e fortalecimento dos músculos do pescoço, aliviando a dor muscular.

Além disso, o médico também pode receitar anti-inflamatórios ou analgésicos, como diclofenaco, naproxeno ou paracetamol, para reduzir o desconforto e as dores provocadas pela costela cervical.

Assista o vídeo a seguir com a fisioterapeuta Marcelle Pinheiro com exercícios de alongamento para o pescoço:

youtube image - Alongamento para o Dia a Dia