3003-3230
Número para marcação de consultas, disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Síndrome hemolítico-urêmica (SHU): o que é, sintomas, causas e tratamento

Atualizado em agosto 2023

A síndrome hemolítico-urêmica, ou SHU, é uma doença grave caracterizada por anemia hemolítica, diminuição da quantidade de plaquetas e insuficiência renal aguda, sendo mais frequente de acontecer em crianças.

A SHU é causada principalmente pela bactéria Escherichia coli produtora de toxina, que pode estar presente em alimentos, como carnes, leite e derivados não pasteurizados e legumes, por exemplo. Assim, a pessoa ao consumir esses alimentos contaminados podem adquirir a bactéria e/ ou suas toxinas, resultado no aparecimento de sintomas como febre, dor abdominal, cansaço excessivo, palidez e diarreia com sangue, em alguns casos.

É importante que o médico seja consultado assim que houver suspeita de SHU, pois dessa forma é possível iniciar o tratamento o mais rápido possível para prevenir complicações e o agravamento da doença. Para isso, pode ser recomendada a realização de transfusões de sangue, uso de medicamentos para regular a pressão e, em alguns casos, diálise.

Imagem ilustrativa número 1

Principais sintomas

Os principais sintomas de síndrome hemolítico-urêmica são:

  • Febre;
  • Calafrios;
  • Cólica forte;
  • Diarreia;
  • Cansaço excessivo e fraqueza;
  • Alterações renais;
  • Presença de sangue na urina e nas fezes;
  • Palidez;
  • Aparecimento de manchas vermelhas e roxas na pele;
  • Aumento da pressão arterial;
  • Inchaço das mãos e dos pés.

Os sintomas da SHU são consequência da anemia, diminuição da quantidade de plaquetas circulantes e insuficiência renal aguda, que são características dessa condição, e que podem acontecer ou não depois de episódios de diarreia com sangue.

Apesar de pouco frequente, podem também surgir sintomas neurológicos, como convulsões, irritabilidade e confusão mental, por exemplo.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da síndrome hemolítico urêmica é feito pelo clínico geral por meio da avaliação dos sinais e sintomas apresentados pela pessoa e resultado de exames laboratoriais, como hemograma, provas de função renal, avaliação da concentração de eletrólitos no sangue, como sódio, potássio, bicarbonato, cálcio e fósforo, e exame de urina.

Em caso de SHU, é comum que seja verificado no hemograma sinais de anemia hemolítica, trombocitopenia, que é a diminuição quantidade de plaquetas, e alteração na função dos rins por meio dos exames de ureia e creatinina, por exemplo.

Em alguns casos, pode ser também recomendado pelo médico a realização de coprocultura para identificar o agente infeccioso responsável pela SHU. Entenda o que é e para que serve a coprocultura.

Marque uma consulta com o médico mais próximo para avaliar o risco de síndrome hemolítico urêmica:

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Clínicos Gerais e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Causas da síndrome hemolítico-urêmica

A principal causa da SHU é a infecção pela bactéria Escherichia coli produtora de toxina, que pode contaminar alimentos e água e, assim, ser transmitidas para as pessoas e levar ao desenvolvimento da doença. Os principais alimentos que podem estar contaminados por essa bactéria são carnes cruas ou malcozidas, leite e derivados não pasteurizados, frutas e legumes.

Além da E. coli, a síndrome hemolítico-urêmica pode ser também causada pelas bactérias Shigella sp., Campylobacter sp. e Salmonella sp., que também podem produzir toxinas e provocar dano aos órgãos e promover a destruição dos glóbulos vermelhos do sangue.

Apesar de estar frequentemente relacionada com infecção, a SHU também pode ser consequência de outras situações, como insuficiência renal pós-parto, esclerodermia, infecção pelo vírus HIV e síndrome antifosfolípide.

Como é feito o tratamento

O tratamento da síndrome hemolítico-urêmica deve ser feito no hospital para promover o alívio dos sintomas, evitar a progressão da doença e prevenir complicações. De forma geral, é indicado que sejam feitas transfusões sanguíneas com o objetivo de regular a quantidade de hemácias, hemoglobina e plaquetas circulantes, o que ajuda a aliviar os sintomas. Entenda como é feita a transfusão de sangue.

Além disso, pode ser indicado o uso de medicamentos para regular a pressão arterial e prevenir maiores danos aos rins. Nos casos mais graves, pode ser necessária a realização de diálise ou a realização de transplante de rim.