Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Síndrome de Tourette: o que é, como identificar e tratamento

A síndrome de Tourette é uma doença neurológica que leva a pessoa a realizar atos impulsivos, frequentes e repetidos, também conhecidos como tiques, que podem dificultar a socialização e piorar a qualidade de vida da pessoa, devido a situações embaraçosas.

Os tiques da síndrome de Tourette, normalmente, surgem entre os 7 e os 11 anos, começando com movimentos simples, como piscar os olhos ou movimentar as mãos e os braços, que depois se agravam, surgindo palavras repetidas, movimentos bruscos e sons como latir, grunhir, gritar ou falar palavrões, por exemplo.

Algumas pessoas são capazes de suprimir os tiques durante situações sociais, mas outras apresentam dificuldade para os controlar, especialmente se estiverem passando por um momento de estresse emocional, o que pode dificultar sua vida escolar e profissional. Uma das consequências comuns é o isolamento, que causa intenso sofrimento.

Síndrome de Tourette: o que é, como identificar e tratamento

Como identificar a síndrome

Os sintomas da síndrome de Tourette normalmente são observados inicialmente pelos professores, que observam que a criança começa a se comportar de forma estranha em sala de aula.

Alguns desses sinais e sintomas podem ser:

Tiques motores

  • Piscar os olhos;
  • Inclinar a cabeça;
  • Encolher os ombros;
  • Tocar no nariz;
  • Fazer caretas;
  • Movimentar os dedos das mãos;
  • Fazer gestos obscenos;
  • Chutes;
  • Sacudir o pescoço;
  • Bater no peito.

Tiques vocais

  • Xingamentos;
  • Soluçar;
  • Gritar;
  • Cuspir;
  • Cacarejar;
  • Gemer;
  • Uivar;
  • Limpar a garganta;
  • Repetir palavras ou frases;
  • Usar diferentes tons de voz.

Estes sintomas surgem repetidamente e são difíceis de controlar, e além disso, podem evoluir para tiques diferentes ao longo do tempo. Geralmente os tiques surgem na infância mas eles podem surgir pela primeira vez até os 21 anos de idade.

Os tiques também têm tendência a desaparecer quando a pessoa está dormindo, com o consumo de bebidas alcoólicas ou numa atividade que exige grande concentração e pioram diante de situações de estresse, cansaço, ansiedade e excitação.

Como confirmar o diagnóstico

Para chegar ao diagnóstico desta síndrome o médico pode ter que observar o padrão dos movimentos, que geralmente acontecem várias vezes ao dia e praticamente todos os dias por, pelo menos, um ano.

Não são necessários exames específicos para identificar esta doença, mas, em alguns casos, o neurologista poderá solicitar ressonância magnética ou tomografia computadorizada, por exemplo, para verificar se existe a possibilidade de ser alguma outra doença neurológica com sintomas semelhantes.

O que causa a síndrome

A síndrome de Tourette é uma doença genética, mais frequente em pessoas da mesma família e ainda não se sabe exatamente qual a sua causa específica. Existem relatos de pessoa que foram diagnosticadas depois de sofrer um traumatismo craniano, mas infecções e problemas cardíacos também são mais frequentes dentro da mesma família. Mais de 40% dos portadores também apresentam sintomas de transtorno obsessivo compulsivo ou hiperatividade.

Como é feito o tratamento

A síndrome de Tourette não tem cura, mas pode ser controlada com o tratamento adequado. O tratamento deve ser orientado por um neurologista e, normalmente, só é iniciado quando os sintomas da doença afetam as atividades diárias ou colocam em perigo a vida da pessoa. Nesses casos, o tratamento pode ser feito com:

  • Remédios neurolépticos: como Haloperidol ou Pimozida, que bloqueiam neurotransmissores no cérebro responsáveis pelo surgimento dos tiques;
  • Antidepressivos: como a Fluoxetina, que reduzem os sintomas de tristeza e de ansiedade que podem provocar tiques;
  • Injeções de Botox: são usadas em tiques motores para paralisar o músculo afetado pelos movimentos, reduzindo o surgimento dos tiques;
  • Remédios inibidores adrenérgicos: como Clonidina ou Guanfacina, que ajudam a controlar sintomas comportamentais como o impulsividade e ataques de raiva, por exemplo.

Porém, estes remédios não tratam todos os tipos de tiques da síndrome da Tourette e, por isso, pode ser também importante consultar um psicólogo ou psiquiatra para fazer sessões de psicoterapia ou de terapia comportamental onde se treinam formas de controlar os tiques da doença.

A criança precisa parar de estudar?

A criança diagnosticada com Síndrome de Tourette não precisa parar de estudar, porque ela tem toda capacidade de aprender, como todas as outras que não apresentam esta síndrome. A criança pode continuar frequentando a escola normal, sem necessidade de ensino especial, mas deve-se conversar com os professores, coordenadores e diretores sobre o problema de saúde da criança para que eles possam ajudar no seu desenvolvimento de forma positiva.

Manter os professores, colegas de sala de aula e seus pais devidamente informados sobre os sintomas e os tratamentos para esta síndrome ajuda a que a criança seja compreendida, evitando o isolamento que pode levar à depressão. Os remédios podem ser úteis para ajudar a controlar os tiques mas as sessões de psicoterapia também são parte fundamental do tratamento, porque a criança sabe do seu problema de saúde e não consegue controlá-lo totalmente, surgindo muitas vezes o sentimento de culpa e de inadequação.

Bibliografia >

  • NHS. Tourette's syndrome. Disponível em: <https://www.nhs.uk/conditions/tourettes-syndrome/>. Acesso em 03 Jun 2020
  • NATIONAL INSTITUTE OF NEUROLOGICAL DISORDERS AND STROKE. Tourette Syndrome Fact Sheet. Disponível em: <https://www.ninds.nih.gov/disorders/patient-caregiver-education/fact-sheets/tourette-syndrome-fact-sheet>. Acesso em 03 Jun 2020
  • TOURETTE ASSOCIATION OF AMERICA. What is Tourette. Disponível em: <https://tourette.org/about-tourette/overview/what-is-tourette/>. Acesso em 03 Jun 2020
  • CDC. Tourette Syndrome (TS). Disponível em: <https://www.cdc.gov/ncbddd/tourette/index.html>. Acesso em 03 Jun 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.


Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem