Sibutramina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

A sibutramina é um remédio usado para tratar a obesidade, pois aumenta rapidamente a sensação de saciedade, reduzindo a vontade de comer e evitando que sejam ingeridos alimentos e calorias em excesso. Além disso, este remédio também ajuda a acelerar o metabolismo, o que contribui ainda mais para a perda de peso.

A sibutramina com o nome de referência Reductil, foi retirada do mercado pelo próprio fabricante devido a um estudo [1] que mostra que esse remédio pode aumentar o risco de problemas cardiovasculares em pessoas que têm risco para desenvolvê-las. 

No entanto, a sibutramina continuar a ser liberada pela ANVISA, podendo ser encontrada na forma de cápsulas de 10 ou 15 mg, com outros nomes comerciais, como Sibus, Vazy, Biomag ou Sigran, por exemplo, ou como genérico, sob a designação “cloridrato de sibutramina monoidratado”. A sibutramina é vendida somente com prescrição médica e retenção da receita pela farmácia.

Sibutramina: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

Para que serve

A sibutramina é indicada para o tratamento da obesidade em casos de IMC maior que 30 Kg/m², que estão fazendo acompanhamento com um endocrinologista ou um nutricionista, por exemplo. Veja como calcular o IMC.  

Este remédio atua aumentando rapidamente a sensação de saciedade, fazendo com que a pessoa ingira menos alimentos, e aumentando a termogênese, o que também contribui para diminuir o peso. Entenda melhor como a sibutramina funciona

Como tomar

A sibutramina deve ser tomada por via oral com um copo de água, de preferência de manhã, antes ou após uma refeição. 

A dose inicial recomendada é de 1 cápsula de 10 mg por dia. Essa dose pode ser aumentada pelo médico para 15 mg por dia, caso não se perca pelo menos 2 kg nas primeiras 4 semanas de tratamento. 

Doses acima de 15 mg por dia não são recomendadas, e por isso, o tratamento deve ser descontinuado em pessoas que não respondam à terapia de perda de peso após 4 semanas com dose diária de 15 mg. 

A duração do tratamento com sibutramina não deve exceder 2 anos, e deve-se ter acompanhamento médico regular para avaliação da perda de peso e controle da pressão arterial, assim como da frequência cardíaca.

No caso de se esquecer de tomar uma dose na hora certa, deve-se tomar assim que se lembrar, mas deve-se pular a dose esquecida se estiver quase na hora de tomar a próxima dose. Não é recomendado tomar duas cápsulas de uma vez para compensar a dose esquecida.

Sibutramina é perigoso?

Apesar de ter benefícios para o emagrecimento, a sibutramina pode causar uma contração dos vasos sanguíneos, e levar ao aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial, aumentando o risco de ocorrência de ataque cardíaco ou AVC. 

Por isso, o uso da sibutramina deve sempre ser feito com indicação médica e acompanhamento regular durante o tratamento. Saiba mais sobre os perigos da sibutramina para a saúde

Possíveis efeitos colaterais

Alguns dos efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer durante o tratamento com a sibutramina são prisão de ventre, boca seca, insônia, aumento da frequência cardíaca, palpitações, aumento da pressão arterial, vermelhidão, ondas de calor, náuseas, agravamento de hemorroidas existentes, delírio, tonturas, sensações na pele como frio, calor, formigamento ou pressão, dor de cabeça, ansiedade, suor intenso ou alterações no paladar.

Esses efeitos colaterais são mais comuns nas primeiras 4 semanas de tratamento e, geralmente, tendem a diminuir com o tempo. No entanto, deve-se procurar ajuda médica imediata se surgir aumento dos batimentos cardíacos ou se surgirem sintomas sugestivos de pressão alta, como dor de cabeça forte, visão turva, zumbido no ouvido, ansiedade, convulsão, dor no peito que se espalha para o braço ou ombro, ou mal estar geral.

Além disso, a sibutramina pode causar reações alérgicas graves que também necessitam de atendimento médico imediato. Por isso, deve-se interromper o tratamento e procurar o pronto socorro mais próximo ao apresentar sintomas de alergia grave como dificuldade para respirar, sensação de garganta fechada, inchaço na boca, língua ou rosto, coceira ou urticária. Saiba identificar os sintomas de reação alérgica grave.  

Quem não deve tomar

A sibutramina não deve ser usada por crianças ou adolescentes, idosos com mais de 65 anos, mulheres grávidas ou que estão tentando engravidar e durante a amamentação. 

Além disso, esse remédio não deve ser usado por pessoas com o IMC menor que 30 kg/m² ou por pessoas com história de diabetes mellitus tipo 2 com pelo menos um outro fator de risco, como pressão alta ou altos níveis de colesterol, doenças cardíacas, distúrbios alimentares, como anorexia nervosa ou bulimia, que usam cigarro com frequência e quando se usa outros medicamentos como descongestionantes nasais, antidepressivos, antitussígenos ou supressores do apetite.

A sibutramina também não deve ser usada por pessoas que utilizam medicamentos inibidores da monoamina oxidase (IMAO), como isocarboxazida, fenelzina ou tranilcipromina, por exemplo, devendo-se esperar pelo menos 14 dias após o término do tratamento com os inibidores da monoaminoxidase para iniciar o tratamento com sibutramina.

Antes de usar a sibutramina deve-se informar ao médico ou ao nutricionista acerca de problemas crônicos como pressão alta, doenças cardíacas, epilepsia ou glaucoma.

Veja outros inibidores do apetite que têm um efeito semelhante e ajudam a perder peso.  

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • CAMPOS, Larissa Soares et. al.. ESTUDO DOS EFEITOS DA SIBUTRAMINA. Revista UNINGÁ Review. 20. 3; 50-53, 2014
  • SILVA, Viviana Peixoto. O uso de sibutramina no tratamento de pacientes obesos. Monografia, 2011. Faculdade de Educação e Meio Ambiente.
  • CAMPOS, Larissa Soares; et. al. Estudos dos efeitos da sibutramina. Revista UNINGÁ Review. 20. 3; 50-53, 2014
  • ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA PARA O ESTUDO DA OBESIDADE E SÍNDROME METABÓLICA (ABESO) . Uso da sibutramina no tratamento da obesidade refratária a medidas não farmacológicas em pacientes que não apresentem fatores de risco cardiovasculares. 2019. Disponível em: <http://conitec.gov.br/images/Consultas/Dossie/2019/Dossie_Abeso_25000_091039_2019_77.pdf>. Acesso em 22 Nov 2021
  • MOREIRA, E. F.; et al. Quais os riscos-benefíciosda sibutramina no tratamento da obesidade. Brazilian Journal of Development. 7. 5; 42993-43009, 2021
  • DRUGS.COM. Sibutramine. Disponível em: <https://www.drugs.com/mtm/sibutramine.html>. Acesso em 22 Nov 2021
  • SCHEEN, André J. Sibutramine on Cardiovascular Outcome. Diabetes Care. 34. 2; S114–S119, 2011
Mais sobre este assunto: