Sede excessiva: 12 principais causas (e o que fazer)

novembro 2022

A sede excessiva normalmente é causada pelo consumo de alimentos muito salgados, exercício físico intenso, ambientes muito quentes ou pouca ingestão de água durante o dia.

Porém, a sede excessiva também pode ser um sinal de problemas de saúde, como diabetes, desidratação e até problemas psiquiátricos, especialmente se for acompanhada de outros sintomas, como cansaço, dor de cabeça, vômitos ou produção excessiva de urina.

É importante consultar o clínico geral, sempre que a sede excessiva for recorrente ou acompanhada de outros sintomas, para identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado.

Principais causas de sede excessiva

As causas mais comuns de sede excessiva são:

1. Comida salgada

A ingestão de comida com muito sal, provoca muita sede, que é uma resposta do organismo, que precisa de mais água, para eliminar o excesso de sal.

O que fazer: o ideal é evitar a ingestão de alimentos com excesso de sal, porque além de aumentar a sede, também aumenta o risco de desenvolvimento de doenças, como pressão alta. Veja uma boa forma de substituir o sal na sua alimentação.

2. Não beber água suficiente

Não beber água suficiente durante o dia, pode aumentar a sede. Isto porque quando as quantidades de água estão baixas no organismo, algumas mudanças ocorrem no corpo, como diminuição do volume sanguíneo, alteração na pressão arterial e na quantidade de sais e minerais, que são percebidas pelo cérebro, resultando em sinais para aumentar a sede.

O que fazer: aumentar o consumo de água por dia, que varia de acordo com varia de acordo com o peso e idade, sendo geralmente recomendado ingerir pelo menos 1,5 a 2 litros de água por dia na sua forma natural, com gás, aromatizada ou em chás sem açúcar. Veja como calcular a quantidade de água que se deve beber por dia.

3. Exercício físico intenso

A prática de exercício físico intenso, leva à perda de líquidos através do suor, fazendo com que o corpo aumente as suas necessidades de ingestão de líquidos, levando a sensação de sede.

O que fazer: é muito importante ingerir líquidos durante e após o exercício, de forma a evitar a desidratação. Além disso, a pessoa pode optar por bebidas isotônicas, que contêm água e sais minerais, como é o caso da bebida Gatorade, por exemplo, ou ainda fazer uma bebida isotônica caseira.

Assista o vídeo com a nutricionista Tatiana Zanin sobre como fazer um isotônico caseiro:

4. Diabetes mellitus

Um dos primeiros sintomas que costumam surgir em pessoas com diabetes mellitus é a sede excessiva. Isto acontece porque o corpo é ineficiente a usar ou produzir a insulina, necessária para transportar o açúcar para as células, que fica com os níveis elevados na corrente sanguínea, fazendo com que se sinta mais sede, como forma de tentar diluir a quantidade de açúcar no sangue. Saiba como identificar os primeiros sintomas da diabetes mellitus.

O que fazer: se surgir muita sede acompanhada de outros sintomas, como fome excessiva, perda de peso, cansaço, boca seca ou vontade frequente para urinar, deve-se consultar ao clínico geral ou endocrinologista, que fará exames para perceber se a pessoa tem diabetes, identificar qual o tipo de diabetes e prescrever o tratamento adequado.

5. Diabetes insipidus

O diabetes insipidus é uma condição rara causada por diminuição da produção do hormônio antidiurético (ADH), que controla a velocidade em que a urina é produzida, ou por alterações nos rins que deixam de responder a esse hormônio.

Isto faz com que a pessoa urine mais, causando perda de água excessiva no corpo e desidratação, levando ao aumento da sede.

O que fazer: deve-se consultar o clínico geral ou endocrinologista para que seja identificada o diabetes insipidus e iniciado o tratamento mais adequado, que varia de acordo com sua causa, podendo ser indicado o uso de hormônios, diuréticos ou anti-inflamatórios, por exemplo. Saiba as principais causas e como é feito o tratamento do diabetes insipidus.

6. Gravidez

A gravidez também pode causar excesso de sede, sendo um sintoma comum durante a gestação, que pode surgir devido às necessidades do corpo em aumentar a quantidade de líquidos para suprir a circulação sanguínea do bebê e da gestante, além de manter a quantidade de líquido amniótico normal.

No entanto, o excesso de sede também pode indicar diabetes insipidus gestacional, que é uma condição rara, sendo mais frequente no terceiro trimestre da gravidez, mas também pode indicar a síndrome de HELLP, estando geralmente acompanhada de outros sintomas, como cansaço excessivo, mal-estar geral, náusea, vômito ou dor de cabeça, por exemplo.

O que fazer: deve-se fazer o acompanhamento pré-natal para que o obstetra possa identificar o diabetes insipidus gestacional e indicar o tratamento mais adequado. No caso da síndrome de HELLP, deve-se procurar ajuda médica imediatamente ou o pronto socorro mais próximo, para que seja feito o diagnóstico e iniciado o tratamento o mais rápido possível. Saiba como é feito o tratamento da síndrome de HELLP.

7. Vômitos e diarreia

Quando surgem episódios de vômitos e diarreia, a pessoa perde muitos líquidos, por isso, a sede excessiva que surge é uma defesa do organismo para evitar a desidratação.

O que fazer: é aconselhado beber muita água ou ingerir soluções de reidratação oral, cada vez que a pessoa vomitar ou tiver um episódio de diarreia.

8. Desidratação

A desidratação acontece quando a água disponível no organismo é insuficiente para o seu bom funcionamento, gerando sintomas como sede excessiva, boca seca, dor de cabeça intensa e cansaço.

O que fazer: Para evitar a desidratação, deve-se ingerir cerca de 2L de líquidos por dia, que podem ser feitos através da ingestão de água, chás, sucos, leite e sopa, por exemplo. Além disso, o consumo de frutas e legumes ricos em água, também contribui pra a hidratação do corpo.

Assista o vídeo seguinte e saiba quais os alimentos ricos em água:

9. Calor e exposição ao sol

Ficar muito tempo exposto ao sol ou em um ambiente muito quente pode aumentar a produção de suor e eliminação de água através do suor, o que faz com que o corpo aumente a sensação de sede, como forma de estimular a reposição de água.

O que fazer: é recomendado usar roupas mais leves, para aliviar o desconforto causado pelo calor excessivo, diminuir a produção de suor, e beber bastante líquido durante o dia, pois assim também é possível evitar a desidratação.

10. Boca seca

A boca seca, também chamada de xerostomia, é caracterizada pela diminuição ou interrupção da produção de saliva ou alteração na composição da saliva, fazendo com que a boca fique muito seca, o que leva ao aumento da sede.

Geralmente, a boca seca é acompanhada de outros sintomas, como mau hálito, saliva grossa ou dificuldade para mastigar, e geralmente, é causada por hábito de fumar, estresse, ansiedade ou até doenças, como anemia, lúpus ou esclerose múltipla, por exemplo.

O que fazer: é importante beber bastante água ao longo do dia para hidratar as mucosas da boca e diminuir o desconforto da boca seca, além de evitar fumar. Além disso, o médico pode recomendar o uso de saliva artificial ou o tratamento específico para a doença que esteja causando a boca seca. Veja outras causas de boca seca e o que fazer.

11. Doenças psiquiátricas

Algumas doenças psiquiátricas, como esquizofrenia, depressão psicótica ou transtorno bipolar, podem causar sede excessiva, conhecida como polidipsia psicogênica, levando ao consumo de grandes quantidades de água por dia e aumento da frequência urinária.

Além disso, devido ao consumo excessivo de água e aumento da eliminação de urina pelos rins, pode ocorrer perda de sódio pela urina e resultar em hiponatremia, que pode ser percebida através de sintomas como confusão mental, sonolência ou vômitos. Saiba identificar todos os sintomas da hiponatremia.

O que fazer: deve-se fazer o tratamento da doença psiquiátrica, conforme orientação do psiquiatra, que pode indicar o uso de remédios antipsicóticos, antidepressivos ou ansiolíticos, por exemplo.

12. Medicamentos

Alguns medicamentos, como é o caso dos diuréticos, lítio e antipsicóticos, por exemplo, podem causar muita sede como efeito colateral.

O que fazer: para atenuar o efeito colateral do medicamento, a pessoa pode ir bebendo pequenas quantidades de água ao longo do dia. Em alguns casos, em que a pessoa sinta muito desconforto, deve-se falar com o médico, para avaliar o tratamento.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em novembro de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em março de 2020.

Bibliografia

  • KOTAGIRI, R.; KUTTI SRIDHARAN, G. IN: STATPEARLS [INTERNET]. TREASURE ISLAND (FL): STATPEARLS PUBLISHING. Primary Polydipsia. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK562251/>. Acesso em 09 ago 2022
  • NCHS. Daily Water Intake Among U.S. Men and Women, 2009–2012. 2016. Disponível em: <https://www.cdc.gov/nchs/data/databriefs/db242.pdf>. Acesso em 03 mar 2020
Mostrar bibliografia completa
  • PAT, James; MCFADDEN, Roger. Understanding the processes behind the regulation of blood glucose. Diabetes Knowledge. Vol.100. 56-58, 2004
Revisão médica:
Dr.ª Clarisse Bezerra
Médica de Saúde Familiar
Formada em Medicina pelo Centro Universitário Christus e especialista em Saúde da Família pela Universidade Estácio de Sá. Registro CRM-CE nº 16976.

Tuasaude no Youtube

  • 10 ALIMENTOS MAIS RICOS EM ÁGUA (inclui receita)

    05:42 | 36836 visualizações
  • Bebida Energética Natural | Para Treinar

    01:26 | 446533 visualizações