Ruibarbo: o que é, para que serve e como usar

setembro 2022
  1. Para que serve
  2. Composição nutricional
  3. Como usar
  4. Contraindicações

O ruibarbo é uma planta comestível que também tem sido utilizada para fins medicinais, pois possui um poderoso efeito estimulante e digestivo, utilizado principalmente no tratamento da prisão de ventre, devido à sua composição rica em senosídeos, que proporcionam um efeito laxante.

Além disso, o ruibarbo possui propriedade anti-inflamatória e antioxidante que ajuda a diminuir o colesterol do sangue e a pressão arterial, além de melhorar a memória e prevenir doenças como demência ou Alzheimer.

Esta planta tem um sabor ácido e levemente adocicado, sendo geralmente consumida cozida ou como um ingrediente em algumas preparações culinárias. A parte do ruibarbo usada para consumo é o caule, porque as folhas podem causar intoxicação grave por conter ácido oxálico concentrado, devendo ser usado apenas sob orientação do médico ou nutricionista.

Para que serve

O consumo de ruibarbo pode trazer diversos benefícios para a saúde, sendo os principais:

1. Diminuir o colesterol e triglicerídeos

O ruibarbo tem efeito sobre as gorduras do corpo, ajudando a controlar e a diminuir o efeito do colesterol LDL e triglicerídeos no sangue, prevenindo o desenvolvimento de doença como aterosclerose, derrame cerebral e infarto.

2. Controlar a pressão arterial

Por conter antioxidantes com efeitos anti-inflamatórios e ser rico em potássio, um mineral que ajuda a relaxar os vasos sanguíneos, o ruibarbo ajuda a favorecer a passagem de sangue pelas artérias, melhorando a circulação e controlando a pressão arterial.

3. Manter o cérebro saudável

O ruibarbo é rico em antioxidantes, selênio e colida, que ajudam a melhorar a memória e prevenir doenças neurodegenerativas, como o Alzheimer e a demência senil.

4. Aliviar a prisão de ventre

O ruibarbo contém substâncias como as antraquinonas, que promovem o funcionamento do intestino, acelerando o trânsito intestinal para a liberação das fezes, sendo útil em caso de prisão de ventre.

No entanto, como o ruibarbo é rico em taninos, quando é consumido em poucas quantidades, pode ter ação adstringente, ajudando em caso de diarreia.

5. Melhorar a saúde dos ossos

O ruibarbo é rico em vitamina K, uma vitamina necessária para a produção de osteocalcina, uma proteína que tem como função a fixação de cálcio nos ossos, sendo fundamental para o desenvolvimento normal dos ossos, ajudando a prevenir a osteoporose.

6. Melhorar a digestão

O ruibarbo aumenta o fluxo de bile no trato intestinal, ajudando no processo digestivo, o que é interessante para pessoas que possuem alterações digestivas, como cólicas, inchaço abdominal e gases.

Além disso, ao melhorar as funções pancreáticas e hepáticas, essa planta pode ser utilizada como complemento do tratamento da pancreatite aguda ou doenças do fígado, desde que indicado pelo médico.

7. Prevenir o envelhecimento

O ruibarbo é um antioxidante natural que neutraliza os radicais livres, prevenindo a oxidação das células do corpo, atrasando o aparecimento dos sinais de envelhecimento, como a formação de rugas, por exemplo.

8. Controlar os sintomas da menopausa

O ruibarbo contém em sua composição uma substância com propriedades similares ao estrogênio, o que ajuda a controlar os sintomas da menopausa, como ondas de calor, ansiedade e menstruação irregular, por exemplo.

Composição nutricional

A tabela a seguir traz as informações nutricionais para 100 gramas de ruibarbo cru:

Componentes100 g de ruibarbo
Calorias21 kcals
Carboidratos4,54 g
Proteínas0,9 g
Gorduras0,2 g
Fibras1,8 g
Vitamina A5 mcg
Luteína e zeaxantina170 mcg
Vitamina E0,27 mg
Vitamina K29,6 mcg
Magnésio14 mg
Potássio288 mg
Selênio

1,1 mcg

É importante mencionar que para obter os benefícios do ruibarbo, deve-se ter uma alimentação saudável e equilibrada e praticar atividade física regularmente.

Como usar

O ruibarbo pode ser consumido cru, cozido, na forma de chá ou adicionado a receitas como bolos e doces. Consumi-lo cozido ajuda a diminuir o teor de ácido oxálico entre cerca de 30 a 87%.

Se o ruibarbo for colocado em um local muito frio, como o freezer, o ácido oxálico pode migrar das folhas para o caule, podendo causar problemas para quem o consome. Assim, é recomendado que o ruibarbo seja armazenado à temperatura ambiente ou sob refrigeração leve.

O ruibarbo também pode ser encontrado na forma de cápsulas, em pó, tintura ou extrato concentrado, devendo o seu uso ser orientado pelo médico, nutricionista ou fitoterapeuta.

1. Chá de ruibarbo

O chá de ruibarbo pode ser preparado da seguinte forma:

Ingredientes

  • 500 ml de água;
  • 2 colheres de sopa de caule de ruibarbo.

Modo de preparo

Colocar a água e o caule de ruibarbo em uma panela e levar ao fogo alto. Depois que ferver, abaixar o fogo e cozinhar por 10 minutos. Coar e beber quente ou frio e sem açúcar.

2. Geleia de laranja com ruibarbo

Ingredientes

  • 1 kg de ruibarbo fresco picado;
  • 400 g de açúcar;
  • 2 colheres de chá de raspas de casca de laranja;
  • 80 ml de suco de laranja;
  • 120 ml de água.

Modo de preparo

Colocar todos os ingredientes em uma panela e levar ao fogo até a água ferver. Depois, abaixar o fogo e cozinhar por 45 minutos ou até engrossar, mexendo ocasionalmente. Despejar a geleia em frascos de vidro estéreis cobertos e guardar na geladeira quando estiver frio.

Possíveis efeitos colaterais

O envenenamento por ruibarbo pode causar cólicas abdominais graves e persistentes, diarreia e vômito, seguidos por sangramento interno, convulsões e coma. Estes efeitos foram observados em alguns estudos com animais que consumiram esta planta durante cerca de 13 semanas, portanto recomenda-se que o seu consumo não seja feito por um tempo prolongado.

Os sintomas do envenenamento das folhas de ruibarbo podem causar diminuição da produção de urina, excreção de acetona na urina e excesso de proteínas na urina (albuminúria).

Quem não deve usar

O ruibarbo é contra-indicado em pessoas com hipersensibilidade a esta planta, em crianças e mulheres grávidas, pois pode causar aborto, em mulheres durante o período menstrual, em bebês ou em pessoas com problemas renais.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em setembro de 2022. Revisão clínica por Tatiana Zanin - Nutricionista, em setembro de 2022.

Bibliografia

  • U.S DEPARTMENT OF AGRICULTURE. Rhubarb, raw. Disponível em: <https://fdc.nal.usda.gov/fdc-app.html#/food-details/786745/nutrients>. Acesso em 15 jun 2020
  • CAO Yu; PU Zong et al. Advances in bio-active constituents, pharmacology and clinical applications of rhubarb. Chinese Medicine. 12. 2017
Mostrar bibliografia completa
  • SANGHI D; TIWLE Rakesh. Importance of Village Plant Rhubarb: Review. International Journal of Pharma Research and Health Sciences. 4. 6; 1438-1443, 2016
Revisão clínica:
Tatiana Zanin
Nutricionista
Formada pela Universidade Católica de Santos em 2001, com registro profissional no CRN-3 nº 15097.