Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como fazer a reposição de Vitamina D

A vitamina D é importante para a formação do osso, já que ajuda a prevenir e tratar o raquitismo e contribui para a regulação dos níveis de cálcio e fosfato e para o bom funcionamento do metabolismo ósseo. Esta vitamina também contribui para o bom funcionamento do coração, sistema nervoso central, sistema imunológico, diferenciação e crescimento celular e controle dos sistemas hormonais.

Além disso, a deficiência em vitamina D está associada ao aumento do risco de desenvolvimento de doenças como câncer, diabetes mellitus, hipertensão arterial, doenças autoimunes, infecções e problemas ósseos e, por isso, é muito importante manter níveis saudáveis desta vitamina.

Embora a exposição à luz solar seja considerada a melhor fonte de obtenção natural de vitamina D, em alguns casos, nem sempre é possível ou é suficiente para manter níveis saudáveis de vitamina D e, nestes casos, pode ser necessário fazer um tratamento de reposição com remédios. A vitamina D pode ser administrada diariamente, semanalmente, mensalmente, trimestralmente ou semestralmente, o que vai depender da dose do medicamento.

Como fazer a reposição de Vitamina D

Como fazer a suplementação com medicamentos

Para adultos jovens, a exposição solar dos braços e das pernas, durante cerca de 5 a 30 minutos, pode equivaler a uma dose oral de cerca de 10.000 a 25.000 UI de vitamina D. No entanto, fatores como cor da pele, idade, uso de protetor solar, latitude e estação do ano, podem diminuir a produção da vitamina na pele e, em alguns casos, pode ser necessário fazer reposição da vitamina com medicamentos.

A suplementação pode ser realizada com medicamentos que têm vitamina D3 na composição, como é o caso de Addera D3, Depura ou Vitax, por exemplo, que estão disponíveis em diferentes dosagens. O tratamento pode ser feito em diversos esquemas, como com 50.000 UI, 1 vez por semana por 8 semanas, 6.000 UI ao dia, por 8 semanas ou 3.000 a 5.000 UI ao dia, por 6 a 12 semanas, sendo que a dosagem deve ser individualizada para cada pessoa, dependendo dos níveis séricos de vitamina D, histórico médico e tendo em consideração as suas preferências.

Segundo a Sociedade Americana de Endocrinologia, a quantidade necessária de vitamina D para a manutenção do bom funcionamento do organismo, é de 600 UI/dia, para crianças acima de 1 ano e adultos jovens, 600 UI/dia para adultos de 51 a 70 anos e 800 UI/dia para pessoas com mais de 70 anos. No entanto, para manter os níveis séricos de 25-hidroxivitamina-D sempre acima de 30 ng/mL, pode ser necessária uma quantidade mínima de 1.000 UI/dia.

Quem deve repor a vitamina D

Algumas pessoas têm maior chance de apresentar deficiência de vitamina D, podendo ser recomendada a reposição nos seguintes casos:

  • Uso de medicamentos que influenciam o metabolismo mineral, como anticonvulsivantes, glicocorticoides, antirretrovirais ou antifúngicos sistêmicos, por exemplo;
  • Pessoas institucionalizadas ou internadas;
  • História de doenças associadas com disabsorção, como doença celíaca ou doença inflamatória intestinal;
  • Pessoas com pouca exposição ao sol;
  • Obesos;
  • Pessoas com fototipo V e VI.

Embora os níveis recomendados de vitamina D ainda não tenham sido definitivamente estabelecidos, as diretrizes da Sociedade Americana de Endocrinologia sugerem que níveis séricos entre 30 e 100 ng/mL são adequados, níveis que se encontram entre 20 e 30 ng/mL são insuficientes, e níveis abaixo de 20 ng/mL deficientes.

Saiba também quais são os alimentos ricos em vitamina D.

Possíveis efeitos colaterais

Geralmente, os remédios que contêm vitamina D3 são bem tolerados, no entanto, em altas doses, podem ocorrer sintomas como hipercalcemia e hipercalciúria, confusão mental, poliúria, polidipsia, anorexia, vômitos e fraqueza muscular.


Bibliografia

  • TELESSAÚDERS. Quais são as indicações de dosagem e reposição de vitamina D em pacientes assintomáticos?. 2017. Acesso em 12 Jun 2019
  • QUADROS, KÉLCIA R. S. et. al.. Reposição de vitamina D nativa: indicação à luz das evidências científicas atuais. Rev Fac Ciênc Méd Sorocaba. 18. 2; 79-86, 2016
  • GALVÃO, Letícia Oba et. al.. EFICÁCIA DA REPOSIÇÃO DE VITAMINA D3 EM IDOSOS NA DOSE DE 50.000 UI POR SEMANA DURANTE 8 SEMANAS: É O SUFICIENTE?. Geriatr Gerontol Aging. 10. 2; 93-100, 2016
  • MANTECORP FARMASA. ADDERA D3 (colecalciferol). 2016. Link: <www.anvisa.gov.br>. Acesso em 12 Jun 2019
Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem