Sintomas de refluxo em bebê, principais causas e tratamento

O refluxo em bebês pode acontecer devido à imaturidade do trato gastrointestinal superior ou quando o bebê tem alguma dificuldade de digestão, intolerância ou alergia ao leite ou algum outro alimento, podendo resultar no aparecimento de alguns sinais e sintomas como golfadas frequentes, dificuldade para mamar e para ganhar peso, por exemplo.

O refluxo em bebê recém-nascido não deve ser considerado uma situação preocupante quando a quantidade é pequena e acontece apenas após a mamada. Porém, quando o refluxo acontece várias vezes, em grande quantidade e muito tempo depois da mamada, pode comprometer o desenvolvimento do bebê e por isso deve ser avaliado pelo pediatra para que possa ser indicado o tratamento mais adequado de acordo com a causa do refluxo.

Sintomas de refluxo em bebê, principais causas e tratamento

Sintomas de refluxo no bebê

Os sintomas de refluxo no bebê manifestam-se geralmente através das golfadas em pequenas quantidades após as mamadas e algum desconforto, o que pode acontecer em todos os bebês. No entanto, esse refluxo pode ser exagerado, podendo levar ao aparecimento de alguns outros sintomas, como:

  • Sono agitado;
  • Vômitos constantes;
  • Tosse excessiva;
  • Engasgo;
  • Dificuldade para mamar;
  • Irritação e choro excessivo;
  • Rouquidão, pois a laringe inflama devido à acidez do estômago;
  • Recusa da alimentação;
  • Dificuldade para ganhar peso;
  • Inflamações frequentes nos ouvidos.

Na presença destes sintomas, é importante levar o bebê ao pediatra ou gastroenterologista pediátrico para que seja feita uma avaliação geral do estado de saúde do bebê e, assim, poder ser indicado o tratamento mais adequado de acordo com a causa do refluxo.

Isso porque caso o refluxo não seja tratado, há aumento no risco do bebê desenvolver esofagite, que acontece como consequência do contato frequente do ácido do estômago com a mucosa do esôfago, resultando em dor e desconforto. Além disso, outra possível complicação é a pneumonia por aspiração, que acontece quando o bebê "devolve" o leite que entra pela traqueia para o pulmão.

Quando o refluxo não é diagnosticado e tratado, a dor e o desconforto gerado podem fazer com que o bebê recuse a alimentação, o que pode comprometer seu desenvolvimento.

Principais causas

O refluxo em bebês é uma situação relativamente comum e acontece principalmente devido à imaturidade do trato gastrointestinal, de forma que depois que o bebê mama o leite pode retornar em direção à boca, resultando na golfada.

Além disso, outras situações que podem favorecer o desenvolvimento do refluxo em bebê são alterações no processo digestivo, intolerância ao alergia ao leite ou outro componente alimentar, alimentação líquida mesmo após indicação do pediatra para iniciar alimentação sólida e deixar o bebê deitado de barriga para baixo após se alimentar, por exemplo.

Como evitar o refluxo em bebês

Algumas formas de evitar o refluxo em bebês são:

  • Ao amamentar, apoiar o bebê nos braços, de forma que a barriga da mãe toque na barriga do bebê;
  • Nas mamadas, deixar as narinas do bebê livres para respirar;
  • Evitar que o bebê fique só sugando o mamilo;
  • Dar leite materno o máximo de meses possível;
  • Evitar dar grandes quantidade de leite de uma só vez;
  • Aumentar a frequência das mamadas;
  • Evitar balançar o bebê;
  • A mamadeira deve ser dada sempre elevada, com o bico preenchido pelo leite;

Se mesmo com estas medidas preventivas, continuar a ocorrer refluxo com frequência, deve-se levar o bebê ao pediatra ou gastroenterologista pediátrico para fazer o diagnóstico e orientar o tratamento.

Sintomas de refluxo em bebê, principais causas e tratamento

Como é feito o tratamento

O tratamento para refluxo em bebê deve ser feito sob orientação do pediatra e envolve alguns cuidados como evitar balançar o bebê, evitar vestir roupas que apertem a sua barriga e escolher um boa posição durante as mamadas para que evitar a entrada de ar pela boca do bebê.

Além disso, depois das mamadas é aconselhável colocar o bebê para arrotar, na posição vertical no colo do adulto por cerca de 30 minutos e depois deitar o bebê  com a barriga para cima e com a cabeceira do berço elevada cerca de 30 a 40 graus, colocando um calço de 10 cm ou um travesseiro anti-refluxo. A posição deitada para o lado esquerdo é recomendada para bebês a partir de 1 ano. 

Normalmente, o refluxo em bebê desaparece a partir dos seis meses de idade, quando se começa a sentar e a comer alimentos sólidos, no entanto, caso isso não aconteça, após todos os cuidados, pode ser orientada a ingestão de remédios, como o Motilium ou Label, de acordo com a orientação do pediatra ou gastroenterologista ou cirurgia para corrigir a válvula que impede que o alimento volte do estômago para o esôfago. Saiba mais sobre o tratamento para o refluxo no bebê.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Refluxo gastroesofágico em crianças: mitos e verdades. Disponível em: <https://site.medicina.ufmg.br/wp-content/uploads/sites/58/2018/04/Gastroped-Refluxo-Gastroesofagico-2-1.pdf>. Acesso em 02 Out 2019
  • PUCCINI, Flávia R. S.; BERRETIN-FELIX, Giédre. Refluxo gastroesofágico e deglutição em recém nascidos e lactentes: revisão integrativa da literatura. Rev. CEFAC. Vol 17. 5 ed; 1664-1673, 2015
  • REVISTA DA SOCIEDADE DE PEDIATRIA DE SÃO PAULO. Refluxo gastroesofágico fisiológico no recém-nascido. 2018. Disponível em: <http://www.spsp.org.br/site/asp/boletins/AtualizeA3N6.pdf>. Acesso em 02 Out 2019
Mais sobre este assunto: