Bebê ou criança vomitando: o que fazer e quando ir ao médico

Na maioria das vezes, o episódio de vômito na criança não é motivo de grande preocupação, especialmente se não estiver acompanhado de outros sintomas. Isso porque, o vômito normalmente acontece por situações passageiras, como comer algo estragado ou fazer uma viagem de carro, que acabam se resolvendo em pouco tempo.

No entanto, se o vômito for muito persistente, acompanhado de outros sintomas como febre, dor abdominal e sonolência excessiva, ou se aparecer após a ingestão acidental de algum tipo de medicamento ou substância, é importante consultar um pediatra, para identificar a causa e iniciar o tratamento mais adequado.

Independente da causa, quando a criança vomita é muito importante ter alguns cuidados, para que não se machuque e consiga se recuperar mais facilmente. Esses cuidados incluem:

Bebê ou criança vomitando: o que fazer e quando ir ao médico

1. Posicionar corretamente

É importante posicionar a criança para vomitar, porque além de evitar que ela se machuque também impede que engasgue com o vômito.

Para isso, deve-se sentar a criança ou pedir que fique de joelhos e, depois, inclinar o tronco ligeiramente para a frente, segurando na testa da criança com uma mão, até que pare de vomitar. Caso a criança esteja deitada, deve-se virá-la de lado até parar de vomitar, para evitar que engasgue.

​2. Garantir a hidratação

Após cada episódio de vômito é necessário garantir uma correta hidratação, porque o vômito elimina muita água do corpo. A reposição da água perdida deve ser feita por meio da oferta de soluções de reidratação compradas na farmácia ou por meio do soro caseiro, que deve ser preparado utilizando as medidas adequadas. Veja o passo a passo para preparar o soro caseiro em casa.

Outros líquidos como bebidas adocicadas, suco de frutas, bebidas energéticas ou chás devem ser evitados, porque podem acabar piorando a perda de líquidos pelas fezes e a desidratação, por não serem balanceadas na sua composição. 

3. Estimular a alimentação

A alimentação deve ser estimulada conforme a criança tolerar, e deve-se dar preferência para alimentos leves e de fácil digestão, como sopa, mingaus ou canja. Estes alimentos devem ser consumidos em pequenas quantidades para facilitar a digestão.

Alimentos gordurosos como carnes vermelhas e produtos lácteos, como leite, iogurtes ou queijos, devem ser evitados, pois são mais difíceis de digerir. Saiba como deve ser a alimentação na criança com vômito e diarréia.

O que fazer quando o bebê vomita

Quando o bebê vomita é importante não insistir na mamada e, na refeição seguinte, deve-se dar de mamar ou a mamadeira como normalmente. Além disso, durante períodos de vômito, é recomendado deitar o bebê de lado, e não de dorso, para evitar que engasgue, caso vomite.

É ainda importante não confundir a golfada com o vômito, pois na golfada existe uma devolução do leite sem esforço e poucos minutos após a mamada, já no vômito a devolução do leite é repentina, em jato e provoca sofrimento no bebê.

Remédios para vômito

Existem medicamentos que ajudam a controlar vômitos e enjoo, mas a sua indicação depende principalmente da gravidade dos vômitos e da idade da criança. Remédios que são comumente utilizados incluem:

  • Ondansetrona;
  • Bromoprida;
  • Metoclopramida;
  • Prometazina.

No entanto, estes medicamentos não devem ser utilizados sem antes consultar um pediatra, devido ao risco de efeitos colaterais como sonolência, piora da diarreia e sintomas extrapiramidais, uma reação que afeta principalmente a movimentação normal. 

Apesar destes riscos, o uso destes medicamentos ajuda a aliviar os vômitos, a retornar a alimentação normal e evitar o agravamento da desidratação, diminuindo a necessidade de internação e de hidratação intravenosa.  Veja como reconhecer sintomas extrapiramidais, as causas e o que fazer.

Quais as possíveis causas?

A gastroenterite aguda é uma causa muito comum para o surgimento de náusea e vômitos em bebês e crianças. Outros sintomas que geralmente ocorrem na gastroenterite aguda incluem diarreia, febre, perda de apetite e dor abdominal.

No entanto, há outras causas possíveis para o vômito em crianças ou bebês, como:

  • Doenças metabólicas;
  • Diabetes;
  • Infecção urinária;
  • Obstrução intestinal;
  • Meningite;
  • Hipertensão intracraniana.

Algumas dessas causas são mais graves e além de vômitos podem provocar sintomas como inchaço da barriga, muita dificuldade para ingerir alimentos e líquidos, sonolência excessiva, dor de cabeça persistente e febre alta. Por isso, principalmente na presença de outros sintomas, é recomendado consultar um pediatra assim que possível.

Quando levar a criança ao hospital

É necessário consultar o pediatra ou ir ao pronto-socorro quando, além de vômitos, a criança ou o bebê tiver:

  • Febre alta, acima de 38ºC;
  • Diarreia frequente;
  • Não conseguir beber ou comer nada ao longo do dia;
  • Sinais de desidratação, como lábios rachados ou pouca quantidade de urina com cor e cheiro forte. Veja os Sinais de desidratação nas crianças.

Outros sinais que, quando presentes, também devem ser avaliados por um pediatra incluem vômitos que persistem por mais de 8 horas sem que a criança tolere alimentos líquidos e febre que não passa mesmo  com uso de medicamentos.

Esta informação foi útil?
Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em maio de 2022. Revisão médica por Drª. Beatriz Beltrame - Pediatra, em fevereiro de 2016.

Bibliografia

  • EPIFANIO, Matias et al. Bromopride, metoclopramide, or ondansetron for the treatment of vomiting in the pediatric emergency department: a randomized controlled trial. Jornal de Pediatria. Vol.94, n.1. 2018
  • GRANADO-VILLAR, Deise; SAUTU, Cunill-De; GRANADOS, Andrea. Acute Gastroenteritis. Pediatrics in Review. Vol.33, n.11. 487-495, 2012
  • AYLWARD, Shawn C; REEM, Rachel E. Pediatric Intracranial Hypertension. Pediatrics in Review. Vol.39, n.3. 121-129, 2018
  • PORTELA, Janete et al. Tratamento para vômito por gastroenterite aguda: bromoprida, metoclopramida e ondansetron. Revista de Medicina e Saúde de Brasília. Vol.3, n.1. 2014
Mais sobre este assunto: