Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Como cuidar do bebê com refluxo

O tratamento do refluxo em bebê deve ser orientado por um pediatra ou gastroenterologista pediátrico e envolve alguns cuidados que ajudam a evitar o regurgitamento do leite após a mamada e o aparecimento de outros sintomas relacionados como o refluxo.

Assim, alguns cuidados que devem existir no tratamento do refluxo em bebê são:

  • Colocar o bebê para arrotar durante e após as mamadas;
  • Evitar deitar o bebê nos primeiros 30 minutos após a mamada;
  • Amamentar o bebê na posição vertical, pois permite que o leite fique no estômago;
  • Manter o bebê com a boca bem preenchida com o mamilo ou com o bico da mamadeira, para evitar que engula muito ar;
  • Dar refeições frequentes durante o dia, mas em pequenas quantidades para não encher muito o estômago;
  • Introduzir papinhas com a orientação do pediatra, pois também ajuda a diminuir as regurgitação;
  • Evitar balançar o bebê até 2 horas após amamentar, mesmo que no bebê conforto, para que o conteúdo do estômago não suba para a boca;
  • Colocar o bebê deitado com a barriga para cima e utilizar um calço por baixo do colchão da cama ou um travesseiro anti-refluxo para elevar o bebê durante o sono, diminuindo o refluxo à noite, por exemplo.

Normalmente, o refluxo em bebês melhora após os 3 meses de idade, pois o esfíncter do esôfago se torna mais forte depois dessa idade. No entanto, é possível que alguns bebês mantenham este problema por mais tempo, podendo indicar a presença de alergia alimentar ou doença do refluxo gastroesofágico, que deve ser avaliado pelo pediatra. Saiba mais sobre o refluxo em bebê.

Como cuidar do bebê com refluxo

Quando iniciar o tratamento

O tratamento do refluxo no bebê é indicado apenas quando são verificados outros sintomas e há risco de complicações. Caso não existam sintomas, o refluxo é considerado fisiológico e só é recomendado acompanhamento pelo pediatra. Nesses casos, mesmo que haja regurgitação, é recomendado manter a amamentação e introduzir os alimentos aos poucos de acordo com a orientação do pediatra.

No caso so refluxo não-fisiológico, o tratamento pode variar de acordo com os sintomas apresentados pelo bebê e sua idade, podendo ser recomendado o uso de remédios para refluxo gastroesofágico, como Omeprazol, Domperidona ou Ranitidina, assim como alterações na alimentação do bebê, por exemplo. Além disso, é importante manter os cuidados em casa, como posição para amamentação, alimentar várias vezes por dia mas em quantidades menores e deitar o bebê com a barriga para cima.

Como deve ser a alimentação

A alimentação para refluxo no bebê deve ser idealmente o leite materno, no entanto pode-se também incluir leites artificiais especiais anti-refluxo no alimentação do bebê. O leite materno é de mais fácil digestão e, por isso, está associado a menos episódios de refluxo, até porque o bebê só mama o que é necessário, evitando excessos.

Além disso, as fórmulas lácteas anti-refluxo também podem ser interessantes para tratar o refluxo, pois evitam que haja a regurgitação e diminui a perda de nutrientes, no entanto caso o bebê já faça uso da fórmula e possua refluxo, o pediatra pode recomendar a mudança da fórmula. Conheça mais sobre os leites adaptados.

A alimentação do bebê deve ser dada em pequenas quantidades e o máximo de vezes ao longo do dia para que o estômago não distenda tanto.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS. Refluxo gastroesofágico em crianças: mitos e verdades. Disponível em: <https://site.medicina.ufmg.br/wp-content/uploads/sites/58/2018/04/Gastroped-Refluxo-Gastroesofagico-2-1.pdf>. Acesso em 02 Out 2019
  • REVISTA DA SOCIEDADE DE PEDIATRIA DE SÃO PAULO. Refluxo gastroesofágico fisiológico no recém-nascido. 2018. Disponível em: <http://www.spsp.org.br/site/asp/boletins/AtualizeA3N6.pdf>. Acesso em 02 Out 2019
Mais sobre este assunto:

Ajuda
Carregando
...