Radicais livres: o que são, efeitos no corpo e como se proteger

Setembro 2021

Os radicais livres são moléculas instáveis que surgem como resultado da queima de oxigênio pelas células, formando uma espécie de oxigênio que, quando em excesso pode reagir com proteínas, lipídios e DNA de células saudáveis, causando estresse oxidativo e danos nestas células, que podem acelerar o processo de envelhecimento do corpo e contribuir para o desenvolvimento de doenças como câncer, Alzheimer, Parkinson, diabetes ou artrite, por exemplo.

Desta forma, quanto menos radicais livres, mais jovem e mais saudável é o corpo. No entanto, à medida que o corpo envelhece naturalmente, menor é a capacidade de combater os radicais livres e os seus efeitos no corpo. 

Por isso, para diminuir a formação excessiva de radicais livres e seus efeitos no corpo, é importante fazer dieta rica em alimentos antioxidantes, praticar atividade física e evitar fumar ou consumir bebidas alcoólicas regularmente. 

Radicais livres: o que são, efeitos no corpo e como se proteger

Como os radicais livres são produzidos

Os radicais livres são produzidos naturalmente pelo corpo devido ao metabolismo celular, no entanto, alguns fatores podem aumentar sua produção e incluem:

  • Cigarro;
  • Álcool;
  • Radiação ultravioleta;
  • Exposição ao raio-X;
  • Poluição do ar;
  • Pesticidas;
  • Estresse;
  • Consumo excessivo de alimentos gordurosos ou frituras;
  • Aditivos químicos de alimentos.

Além disso, a exposição ocupacional a substâncias com asbestos ou cloreto de vinila, também aumentam a produção de radicais livres, aumentando o risco de desenvolvimento de doenças.

Efeitos no corpo

Os radicais livres quando gerados pelo corpo por um processo normal de metabolismo do corpo ou pela exposição à substâncias como cigarro, álcool, radiação ou poluição, por exemplo, podem causar danos no corpo, envelhecimento da pele e aumentar o risco de desenvolvimento de doenças como:

  • Aterosclerose;
  • Pressão alta;
  • Diabetes;
  • Enfisema;
  • Doença de Parkinson ou Alzheimer;
  • Doenças inflamatórias como artrite ou lupus;
  • Degeneração macular.

Além disso, o excesso de radicais livres pode levar ao desenvolvimento de vários tipos de câncer, devido ao dano no DNA das células.

Como se proteger

Para evitar a formação excessiva de radicais livres e se proteger dos danos que podem causar no corpo, algumas medidas são importantes, como:

  • Aplicar protetor solar no rosto e no corpo diariamente;
  • Evitar a exposição solar entre as 11h e as 16h;
  • Evitar fumar e consumir bebidas alcoólicas;
  • Evitar o consumo de alimentos gordurosos, frituras, ou alimentos industrializados;
  • Praticar atividades físicas regularmente.

Além disso, é importante consumir diariamente alimentos antioxidantes, que ajudam a combater os radicais livres, como frutos vermelhos, como framboesa ou goiaba, frutas cítricas ricas em vitamina C, como laranja ou acerola, vegetais como brócolis ou beterraba e os frutos secos, por exemplo. Confira a lista completa de alimentos antioxidantes.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • ALKADI, H. A Review on Free Radicals and Antioxidants. Infect Disord Drug Targets. 20. 1; 16-26, 2020
  • LUSHCHAK, V. I. Free radicals, reactive oxygen species, oxidative stress and its classification. Chem Biol Interact. 224. 164-75, 2014
  • KEHER, J. P.; KLOTZ, L. O. Free radicals and related reactive species as mediators of tissue injury and disease: implications for Health. Crit Rev Toxicol. 45. 9; 765-98, 2015
  • PEÑA-BAUTISTA, C.; et al. Free radicals in Alzheimer's disease: Lipid peroxidation biomarkers. Clin Chim Acta. 491. 85-90, 2019
  • DAVIES, K. J. A. Free radicals and redox regulation in ageing. Free Radic Biol Med. 134. 688-689, 2019
  • KLAUNIG, J. E. Oxidative Stress and Cancer. Curr Pharm Des. 24. 40; 4771-4778, 2018
  • POPRAC, P.; et al. Targeting Free Radicals in Oxidative Stress-Related Human Diseases. Trends Pharmacol Sci. 38. 7; 592-607, 2017
  • SHARMA, G. N.; GUPTA, G.; SHARMA, P. A Comprehensive Review of Free Radicals, Antioxidants, and Their Relationship with Human Ailments. Crit Rev Eukaryot Gene Expr. 28. 2; 139-154, 2018
Mais sobre este assunto: