Quando o bebê começa a falar?

O início da fala depende de cada bebê, não existindo uma idade certa para começar a falar. Desde o nascimento que o bebê emite sons como forma de se comunicar com os pais ou pessoas próximas e, com o passar dos meses a comunicação vai melhorando até que, por volta dos 9 meses, consegue juntar sons simples e começa a emitir sons diferentes como “mamamama”, ”bababababa” ou “dadadadada”.

No entanto, por volta dos 12 meses, o bebê começa a emitir mais sons e a tentar dizer as palavras que os pais ou pessoas próximas mais falam, aos 2 anos repete as palavras que ouve e diz frases simples com 2 ou 4 palavras e aos 3 anos consegue falar informações mais complexas como sua idade e o seu sexo.

Em alguns casos a fala do bebê pode demorar mais tempo para ser desenvolvida, especialmente quando a fala o bebê não é estimulada ou devido a algum problema de saúde como surdez ou autismo. Nestes casos, é importante perceber qual a razão para bebê não falar, indo no pediatra para que seja feita uma avaliação do desenvolvimento e da linguagem.

Quando o bebê começa a falar?

Como deve ser o desenvolvimento da fala por idade

O desenvolvimento da fala do bebê é um processo lento que  vai se aperfeiçoando enquanto o bebê cresce e se desenvolve:

Aos 3 meses

Aos 3 meses de idade, o choro é a principal forma de comunicação do bebê, sendo que ele chora de forma diferente por causas diferentes. Além disso, começa a dar atenção aos sons que ouve e a dar-lhes mais atenção. Entenda o que pode significar o choro do bebê.

Entre 4 e 6 meses

Por volta dos 4 meses o bebê começa a balbuciar e aos 6 meses responde com pequenos sons como “ah”, “eh”, “oh” quando ouve o seu nome ou alguém fala com ele e começa a emitir sons com “m” e “b”.

Entre 7 e 9 meses 

Aos 9 meses o bebê compreende a palavra “não”, emite sons juntando várias sílabas como “mamamama” ou “babababa” e tenta imitar os sons que as outras pessoas fazem.

Entre 10 e 12 meses

O bebê, por volta dos 12 meses, consegue compreender ordens simples como “dá” ou “tchau”, emite sons parecidos com a fala, diz “mama”, “papa” e faz exclamações como “uh-oh!” e tenta repetir as palavras que ouve.

Entre 13 e 18 meses

Entre os 13 e os 18 meses o bebê melhora a sua linguagem, consegue usar entre 6 a 26 palavras simples, no entanto compreende muitas mais palavras e começa a dizer “não” balançando com a cabeça. Quando não consegue dizer o que quer, aponta para mostrar e consegue mostrar nele ou num boneco onde estão os olhos, o nariz ou a boca.

Entre 19 e 24 meses

Por volta dos 24 meses, diz o seu primeiro nome, consegue juntar duas ou mais palavras, fazendo frases simples e curtas e conhece o nome das pessoas próximas. Além disso, começa a falar sozinho enquanto brinca, repete palavras que ouviu as outras pessoas falando e aponta para objetos ou imagens quando ouve os seus sons.

Aos 3 anos

Aos 3 anos diz o seu nome, se é menino ou menina, a sua idade, fala o nome das coisas mais comuns no dia-a-dia e entende palavras mais complexas como “dentro”, “em baixo” ou “em cima”. Por volta dos 3 anos a criança começa a ter um vocabulário maior, consegue falar o nome do amigo, usa duas ou três frases numa conversa e começa a usar palavras referentes à pessoa como “eu”, “mim”, “nós” ou “você”.

Quando o bebê começa a falar?

Como estimular o bebê a falar

Embora existam alguns marcos de desenvolvimento da fala, é importante lembrar que cada bebê tem o seu próprio ritmo de desenvolvimento, sendo importante que os pais saibam respeitar. 

Ainda assim, os pais podem ajudar o desenvolvimento da fala de seu filho, através de algumas estratégias como:

  • Aos 3 meses: interagir com o bebê através da fala e de mímica, imitar o som de alguns objetos ou o som do bebê, ouvir música com ele, cantar ou dançar num ritmo suave com o bebê no colo ou fazer brincadeiras, como  esconde-esconde e achar o rosto;
  • Aos 6 meses: incentivar o bebê a emitir novos sons, apontar para as coisas novas e dizer  o nome delas, repetir os sons que o bebê faz, dizendo qual o nome correto das coisas ou ler para ele;
  • Aos 9 meses: chamar o objeto pelo nome, fazer brincadeiras dizendo “agora é minha vez” e “agora é sua vez”, falar sobre o nome das coisas quando ele apontar ou descrever o que ele pega, como “bola azul e redonda”;
  • Aos 12 meses: quando a criança quiser algo, verbalizar o pedido, mesmo que se saiba o que ela quer, ler com ela e, em resposta a comportamentos menos bons, dizer “não” com firmeza;
  • Aos 18 meses: pedir à criança para observar e descrever as partes do corpo ou aquilo que está enxergando, incentivá-la a dançar e cantar as músicas que gosta, usar palavras que descrevam sentimentos e emoções, como “eu estou feliz” ou “eu estou triste”, e usar frases e perguntas simples e claras.
  • Aos 24 meses: estimular a criança, pelo lado positivo e nunca como crítica, dizendo as palavras de forma correta como “carro” em vez de “caro” ou pedir ajuda em pequenas tarefas e falar o que está fazendo, como “vamos arrumar os brinquedos”;
  • Aos 3 anos: pedir à criança para contar uma história ou contar o que fez antes, incentivar a imaginação ou estimular a criança a olhar para um boneco e falar se está triste ou feliz. Aos 3 anos, normalmente, começa a fase dos “porquês” e é importante que os pais tenham calma e respondam à criança para que ela não fique com medo de perguntar coisas novas.

Em todas as fases é importante que seja utilizada uma linguagem correta com a criança, evitando diminutivos ou palavras erradas, como “pato” em vez de “sapato” ou “au au” ao invés de “cachorro”. Estes comportamentos estimulam a fala do bebê, fazendo com que o desenvolvimento da linguagem decorra normalmente e, em alguns casos, até mais cedo.

Além da linguagem, é importante saber como estimular todos os marcos do desenvolvimento do bebê, como sentar, engatinhar ou andar. Assista o vídeo para saber o que faz o bebê em cada fase e como você pode ajudá-lo a se desenvolver mais rápido:

Quando consultar o pediatra

É importante fazer consultas regulares com o pediatra ao longo de todo o desenvolvimento do bebê, no entanto algumas situações necessitam de atenção especial, como:

  • Aos 6 meses: o bebê não tenta fazer sons, não emite sons vogais (“ah”, “eh”, “oh”), não responde ao nome nem a qualquer som ou não estabelece contato visual;
  • Aos 9 meses: o bebê não reage aos sons, não responde quando chamam seu nome ou não balbucia palavras simples como “mama”, “papa” ou “dada”;
  • Aos 12 meses: não consegue falar palavras simples como “mama” ou “papa” ou não responde quando alguém fala com ele;
  • Aos 18 meses: não imita as outras pessoas, não aprende novas palavras, não consegue falar pelo menos 6 palavras, não responde espontaneamente ou não se interessa pelo está ao seu redor;
  • Aos 24 meses: não procura imitar ações ou palavras, não compreende o que é falado, não segue instruções simples, não fala as palavras de forma compreensível ou apenas repete os mesmos sons e palavras;
  • Aos 3 anos: não usa frases para falar com outras pessoas e apenas aponta ou utiliza palavras curtas, não entendendo instruções simples.

Estes sinais podem significar que a fala do bebê não está se desenvolvendo normalmente e, nestes casos, o pediatra deve orientar os pais para consultarem um fonoaudiólogo para que a fala do bebê seja estimulada.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • DGS. Saúde Infantil e Juvenil Programa Nacional. 2012. Disponível em: <https://www.spedp.pt/files/upload/noticias/3--pediatria-dgs-2012.pdf>. Acesso em 22 Jan 2021
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE NEUROLOGIA INFANTIL. Aprenda os sinais. Aja cedo.. 2019. Disponível em: <https://sbni.org.br/wp-content/uploads/2019/09/1568137484_livreto_alta.pdf>. Acesso em 22 Jan 2021
  • REVISTA DE PEDIATRIA SOPERJ. Desenvolvimento Normal de 1 a 5 anos. 2011. Disponível em: <https://www.google.com/url?sa=t&rct=j&q=&esrc=s&source=web&cd=&cad=rja&uact=8&ved=2ahUKEwj_w9GHs6_uAhXCnFwKHS4ZCxwQFjAAegQIAhAC&url=http%3A%2F%2Frevistadepediatriasoperj.org.br%2Faudiencia_pdf.asp%3Faid2%3D551%26nomeArquivo%3Dv12n1s1a01.pdf&usg=AOvVaw1MrtcW4XD-uI9R7IyMIzzz>. Acesso em 22 Jan 2021
Mais sobre este assunto: