Primeiros socorros ao tomar detergente

Revisão clínica: Manuel Reis
Enfermeiro
setembro 2021

Apesar de ser utilizado diariamente, o detergente é um produto potencialmente perigoso, principalmente se ingerido, pois o detergente possui em sua composição substâncias que são tóxicas e irritativas para o organismo, como fosfato, silicatos, agentes removedores de manchas e modificadores de espuma, corantes e fragrâncias artificiais e álcoois.

Dessa forma, ao ingerir uma pequena ou grande quantidade de detergente é possível que existam consequências para a saúde, sendo importante que os primeiros socorros sejam iniciados:

  1. Ligar imediatamente para o SAMU, marcando o número 192, caso a pessoa não esteja consciente;
  2. Ligar para o número do centro de intoxicações indicado no rótulo do produto, para que se tenha as orientações adequadas, sendo importante indicar qual foi o produto e quantidade ingerida e sintomas apresentados;
  3. Manter a pessoa confortável até que a chegada do socorro.

Embora este acidente possa acontecer em adultos é mais frequente em crianças e, por isso, é importante que os produtos de limpeza sejam armazenados em um local de difícil acesso para as crianças e que sejam mantidos nas embalagens originais, pois dessa forma, caso exista um acidente, é possível dar informações mais precisas sobre o produto ingerido.

Além disso, é recomendado que não seja dada água ou leite, pois pode haver maior absorção do produto, aumentando o risco das consequências, assim como não é indicado provocar o vômito. 

Como é feito o tratamento no hospital

O tratamento médico realizado no hospital depende do tipo de detergente consumido, quantidade de produto e sintomas apresentados. Normalmente, a pessoa permanece em internamento para que sua frequência cardíaca e respiratória, pressão arterial e quantidade de oxigênio sejam monitorados. Em alguns casos, pode ser necessário que a pessoa permaneça no hospital por até 2 dias para verificar se há agravamento do estado de saúde.

Além disso, durante o tratamento, o médico pode recomendar:

  • Remédios para evitar o vômito, como metoclopramida ou carvão ativado;
  • Fazer lavagem ao estômago para retirar o produto tóxico;
  • Dar soro na veia para manter o equilíbrio de água e eletrolíticos;
  • Dar remédios para tratar as convulsões com diazepam e se necessário remédios para manter os batimentos do coração estáveis;
  • Usar máscara de oxigênio para ajudar a respirar melhor ou usar outros aparelhos para conseguir respirar.

No caso da criança, é comum que os pais possam acompanhar a criança no hospital, ajudando a controlar a ansiedade e o medo.

Sintomas de intoxicação por detergente

Após a ingestão de detergente, a pessoa pode apresentar alguns sinais e sintomas, cuja gravidade pode variar de acordo com a quantidade consumida e idade da pessoa, sendo mais comum que crianças apresentem sintomas mais graves. Os principais sinais e sintomas indicativos de intoxicação por detergente são:

  • Hálito com cheiro estranho;
  • Muita saliva ou espuma na boca;
  • Dor de barriga, náuseas e diarreia;
  • Vômitos por vezes com sangue;
  • Dificuldade em respirar; ​
  • Face, lábios e unhas azuladas e pálidas;
  • Frio e suores;
  • Agitação;
  • Sonolência e ausência de vontade de brincar;
  • Delírios com conversas sem sentido e comportamentos estranhos;
  • Desmaio.

No caso de uma criança, caso não se a tenha visto a ingerir o detergente mas ela apresentar alguns destes sintomas ou encontrar o recipiente aberto, pode-se suspeitar da sua ingestão e deve-se agir da mesma forma, pedindo ajuda médica rapidamente.

Como prevenir

Para prevenir a intoxicação por detergente ou outros produtos de limpeza, é importante armazenar em um local de difícil acesso para crianças, manter os rótulos dos produtos e manter na própria embalagem, evitando utilizar depósitos de comida ou outras embalagens vazias para armazenamento. Além disso, é recomendado evitar guardar os produtos de limpeza próximos de bebidas ou comidas.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em setembro de 2021. Revisão clínica por Manuel Reis - Enfermeiro, em setembro de 2021.
Revisão clínica:
Manuel Reis
Enfermeiro
Pós-graduado em fitoterapia clínica e formado pela Escola Superior de Enfermagem do Porto, em 2013. Membro nº 79026 da Ordem dos Enfermeiros.