Perlutan: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

Revisão clínica: Flávia Costa
Farmacêutica
fevereiro 2022

O Perlutan é um anticoncepcional injetável de uso mensal, que tem na sua composição algestona acetofenida e enantato de estradiol, que são hormônios capazes de impedir a ovulação e causar alterações no muco cervical, tornando mais difícil o espermatozóide alcançar o útero, prevenindo a gravidez.

Esse remédio pode ser encontrado em farmácias ou drogarias, na forma de injeção, contendo 150 mg de algestona acetofenida e 10 mg de enantato de estradiol, e é vendido mediante a apresentação de receita médica. 

O Perlutan deve ser usado somente com indicação do ginecologista e aplicado diretamente no músculo, por um profissional de saúde com experiência em aplicação de injeção.

Para que serve

O Perlutan é indicado como anticoncepcional pois possui hormônios na sua composição que agem impedindo a ovulação e provocando alterações no muco cervical, no endométrio e na motilidade das tubas uterinas, dificultando o espermatozóide alcançar o útero, prevenindo a gravidez.

Além disso, o Perlutan pode ser indicado pelo ginecologista para controlar irregularidades menstruais ou ser usado como medicação supletiva estrógeno-progestacional.

Como tomar

A injeção de Perlutan deve ser aplicada por um profissional de saúde, diretamente no músculo glúteo, de forma profunda. É importante não massagear o glúteo após a aplicação, para não interferir na eficácia do tratamento.

A dose recomendada de Perlutan é de uma ampola, 1 vez por mês, entre o 7º e o 10º dia, preferencialmente no 8º dia, após o início de cada menstruação. Deve-se contar o primeiro dia de sangramento menstrual como o dia número 1.

O tempo de tratamento com o Perlutan deve ser orientado pelo ginecologista, avaliando a tolerância à injeção e o surgimento de efeitos colaterais. Conheça outros métodos contraceptivos para evitar a gravidez

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer com o uso do Perlutan são dor de cabeça, dor abdominal superior, desconforto mamário, menstruação irregular, alterações de peso, nervosismo, tontura, náusea, vômitos, ausência de menstruação, cólica menstrual ou anomalias no fluxo menstrual.

Além disso, embora seja raro, pode também ocorrer depressão, ataque isquêmico transitório, neurite óptica, comprometimento da visão e audição, intolerância a lentes de contato, trombose arterial, embolia, hipertensão, tromboflebite, trombose venosa, infarto do miocárdio, AVC, câncer de mama, carcinoma de colo de útero, neoplasma hepático, acne, coceira, reação cutânea, retenção hídrica, metrorragia, ondas de calor, reações no local da injeção e anormalidade em testes hepáticos.

Quem não deve usar

O Perlutan não deve ser usado em mulheres com as seguintes condições:

  • Alergia a qualquer componente da fórmula;
  • Gravidez ou suspeita de gravidez;
  • Amamentação;
  • Câncer da mama ou órgão genital;
  • Dor de cabeça grave com sintomas neurológicos focais;
  • Pressão muito alta;
  • Doença vascular;
  • História de distúrbios tromboembólicos;
  • História de doenças no coração;
  • Diabetes associada a doença vascular ou com mais de 20 anos;
  • Lúpus eritematoso sistêmico com anticorpos anti-fosfolípides positivos;
  • Histórico de distúrbios ou doenças do fígado.

Além disso, caso a pessoa tenha realizado uma cirurgia de grande porte com imobilização prolongada, tenha sofrido um sangramento uterino ou vaginal anormal, ou seja tabagista, deve informar o médico, para que ele avalie se este tratamento é seguro.

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Flávia Costa - Farmacêutica, em fevereiro de 2022.

Bibliografia

  • BOHERINGER INGELHEIM DO BRASIL QUÍMICA E FARMACÊUTICA LTDA. Perlutan. 2006. Disponível em: <https://static-webv8.jet.com.br/drogaosuper/Bulas/7795304085275.pdf>. Acesso em 24 fev 2022
Revisão clínica:
Flávia Costa
Farmacêutica
Formada em Farmácia pelo Centro Universitário Newton Paiva em 2003. Mestre em Ciências Biomédicas pela UBI, Portugal.