Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Perlutan: para que serve e como usar

O Perlutan é um anticoncepcional injetável de uso mensal, que tem na sua composição algestona acetofenida e enantato de estradiol. Além de ser indicado como um método contracetivo, também pode ser usado no controle de irregularidades menstruais e como medicação supletiva estrógeno-progestacional.

Este remédio está disponível em farmácias por um preço de cerca de 16 reais, mas só pode ser comprado com receita médica.

Perlutan: para que serve e como usar

Como usar

A dose recomendada de Perlutan é de uma ampola entre o 7º e o 10º dia, preferencialmente no 8º dia, após o início de cada menstruação. Deve-se contar o primeiro dia de sangramanto menstrual como o dia número 1.

Este medicamento deve ser sempre administrado por via intramuscular profunda, por um profissional de saúde, preferencialmente na região glútea ou, alternativamente, no braço.

Quem não deve usar

O Perlutan não deve ser usado em mulheres com as seguintes condições:

  • Alergia a qualquer componente da fórmula;
  • Gravidez ou suspeita de gravidez;
  • Amamentação;
  • Câncer da mama ou órgão genital;
  • Dor de cabeça grave com sintomas neurológicos focais;
  • Pressão muito alta;
  • Doença vascular;
  • História de distúrbios tromboembólicos;
  • História de doenças no coração;
  • Diabetes associada a doença vascular ou com mais de 20 anos;
  • Lúpus eritematoso sistêmico com anticorpos anti-fosfolípides positivos;
  • Histórico de distúrbios ou doenças do fígado.

Além disso, caso a pessoa tenha realizado uma cirurgia de grande porte com imobilização prolongada, tenha sofrido um sangramento uterino ou vaginal anormal, ou seja fumadora, deve informar o médico, para que ele avalie se este tratamento é seguro.

Conheça outros métodos contracetivos para evitar a gravidez.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem ocorrer com o uso deste medicamento são dor de cabeça, dor abdominal superior, desconforto mamário, menstruação irregular, alterações de peso, nervosismo, tontura, náusea, vômitos, ausência de menstruação, cólica menstrual ou anomalias no fluxo menstrual.

Além disso, embora seja raro, pode também ocorrer hipernatremia, depressão, ataque isquêmico transitório, neurite óptica, comprometimento da visão e audição, intolerância a lentes de contato, trombose arterial, embolia, hipertensão, tromboflebite, trombose venosa, infarto do miocárdio, AVC, câncer de mama, carcinoma de colo de útero, neoplasma hepático, acne, coceira, reação cutânea, retenção hídrica, metrorragia, ondas de calor, reações no local da injeção e anormalidade em testes hepáticos.

Gostou do que leu?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Carregando
...