Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Pé torto congênito: o que é, como identificar e tratar

O pé torto congênito ou pé torto congênito equinovaro é uma má formação congênita em que o bebê já nasce com um pé virado para dentro, tendo o nome de pé torto congênito unilateral, ou com os dois pés virados para dentro, e neste caso chama-se pé torto congênito bilateral.

O pé torto congênito tem cura e ótimos resultados, podendo a criança andar normalmente quando o tratamento é feito corretamente e logo após o nascimento, de acordo com o método de Ponseti, em que é utilizado gesso e botas ortopédicas próprias. Apesar deste método, o tratamento cirúrgico para pé torto congênito também é uma opção, mas só quando o método de Ponseti não estiver funcionando. No entanto, a cirurgia não cura e a criança até pode conseguir andar, mas poderá ter sequelas do pé torto congênito, como dores nas pernas, rigidez e perda de força nos músculos das pernas e dos pés durante toda a vida, embora a fisioterapia possa ajudar.

O pé torto congênito pode ser considerado deficiência física quando há limitações, dificuldades ou deformidades que comprometam algumas atividades do dia a dia ou a atividade profissional. Neste caso, o laudo médico é necessário para atestar e comprovar a deficiência.

Pé torto congênito: o que é, como identificar e tratar
Pé torto congênito: o que é, como identificar e tratar

Tratamento para pé torto congênito

É possível corrigir os pés tortos desde que o tratamento seja iniciado rapidamente. A idade ideal para se iniciar o tratamento é controverso, sendo recomendado por alguns ortopedistas que o tratamento seja iniciado logo após o nascimentos, e por outros que seja iniciado apenas quando o bebê completar 9 meses ou quando tiver cerca de 8 cm.

O tratamento pode ser feito por meio de manipulações ou cirurgia, sendo esta apenas indicada quando o primeiro método não é eficaz. O principal método de manipulações para tratamento de pé torto é conhecido como método de Ponseti, que envolve a manipulação das pernas da criança pelo médico ortopedista e a colocação de gesso a cada semana durante cerca de 5 meses para alinhamento correto dos ossos do pé e tendões.

Depois deste período, a criança deve usar umas botas ortopédicas 23 horas por dia, durante 3 meses, e à noite até completar os 3 ou 4 anos de idade, para evitar que o pé volte a entortar. Quando o método de Ponseti é realizado corretamente, a criança consegue andar e se desenvolver normalmente.

No entanto, nos casos em que o método de Ponseti não é eficaz, pode ser indicada a realização de cirurgia, que deve ser feita antes da criança completar 1 ano. Nessa cirurgia, os pés são colocados na posição correta e é realizado o alongamento do tendão de Aquiles, chamada de tenotomia. Apesar de também ser eficaz e melhorar a aparência do pé da criança, é possível que ao longo do tempo a criança vá perdendo força nos músculos das pernas e dos pés, que com o tempo podem causar dor e ficar rígidos.

Contudo, a fisioterapia para pé torto congênito pode ajudar, neste caso, melhorando a posição correta dos pés e fortalecendo os músculos das pernas e dos pés da criança.

Causas do pé torto congênito

As causas do pé torto ainda são desconhecidas e bastante discutidas. Alguns pesquisadores acreditam que essa condição é essencialmente genética e que ao longo do desenvolvimento do bebê houve ativação de genes responsáveis por essa deformidade.

Outra teoria também aceita e discutida é a de que células com capacidade de contrair e estimular o crescimento podem estar presentes na parte interna da perna e o pé e que, ao contrair, direcionavam o crescimento e desenvolvimento dos pés para dentro.

Apesar de existirem várias teorias a respeito da ocorrência do pé torto, é importante que o tratamento seja iniciado cedo e seja seguido corretamente para evitar recidivas.

Bibliografia >

  • CHUEIRE, Alceu José F. G. et al. Tratamento do pé torto congênito pelo método de Ponseti. Revista Brasileira de Ortopedia. Vol 51. 3 ed; 313-318, 2016
  • MERLOTTI, Maria Henriqueta R.; BRAGA, Susana R.; SANTILI, Cláudio. Pé torto congênito. Revista Brasileira de Ortopedia. Vol 41. 5 ed; 137-144, 2006
  • PÉ TORTO. Tratamento para o pé torto. Disponível em: <http://petorto.com.br/tratamento/>. Acesso em 13 Set 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem