Passiflora: para que serve e como consumir

Revisão clínica: Tatiana Zanin
Nutricionista
fevereiro 2022

A passiflora, também conhecida como flor da paixão ou flor do maracujá, é uma planta medicinal utilizada na preparação de chás, tinturas e suplementos fitoterápicos que ajudam a aliviar o estresse, combater a ansiedade e a insônia.

Além disso, devido à presença de flavonoides, antocianinas, alcaloides e aminoácidos, a passiflora pode ser utilizada no tratamento de algumas situações, como menopausa, hipertensão arterial e déficit de atenção, por exemplo, devendo ser consumido de acordo com a orientação médica.

O nome científico da passiflora é Passiflora incarnata L. e pode ser adquirido em lojas de produtos naturais, lojas online e em farmácias.

A passiflora possui em sua composição flavonoides, glicosídeos, alcaloides, cumarinas, antocianinas e aminoácidos, que podem trazer alguns benefícios para a saúde, sendo os principais:

1. Combater a ansiedade e o estresse

A passiflora contém flavonoides, como a crisina, que interfere no funcionamento do ácido gama-aminobutírico, o GABA, que é um neurotransmissor inibidor do sistema nervoso central e que ajuda a regular o ciclo do sono, melhorar o estado de ânimo, diminuir a ansiedade e o estresse. 

2. Regular o ritmo cardíaco e a pressão arterial

Alguns estudos indicam que a passiflora ajuda a diminuir os valores da pressão arterial e o ritmo cardíaco devido à sua propriedade hipotensora, miorelaxante, vasodilatadora e cardiotônica. Dessa forma, a passiflora pode ser indicada para complementar o tratamento indicado pelo o médico para a hipertensão arterial e alterações cardíacas.

3. Diminuir os sintomas da menopausa

A passiflora pode ajudar a aliviar os sintomas associados com a menopausa, como as palpitações cardíacas, a insônia, as ondas de calor, a dor de cabeça e a irritabilidade, devido à sua composição.

4. Auxiliar no tratamento do déficit de atenção e hiperatividade

Um estudo realizado com crianças com déficit de atenção e hiperatividade avaliou o efeito do tratamento com comprimidos de passiflora, tendo sido observada melhora nos sintomas e poucos efeitos secundários, quando comparado aos medicamentos normalmente indicados no tratamento dessas situações.

No entanto, apesar da passiflora ter apresentado bons resultados no tratamento do déficit de atenção e hiperatividade, são ainda necessários mais estudos que comprovem o seu efeito.

5. Atuar como anticonvulsivo

Alguns flavonoides presentes na passiflora possuem efeito no sistema nervoso central, exercendo atividade anticonvulsiva, de forma a prevenir e diminuir a frequência dos episódios convulsivos e a sua duração, sendo útil no tratamento das crises de ausência e epilepsia.

6. Prevenir o câncer

A passiflora contém a crisina, um componente flavonoide com propriedades antioxidante e anti-inflamatória, exercendo efeito protetor contra diferentes tipos de câncer, como o de mama, orofaríngeo, pulmonar, cólon, próstata e a leucemia, por exemplo. No entanto, são necessários mais estudos que confirmem esse efeito da passiflora.

7. Aliviar problemas digestivos

A passiflora é utilizada tradicionalmente para tratar doenças gastrointestinais devido à sua propriedade anti-inflamatória e antiespasmódica, ajudando a melhorar o funcionamento do intestino e a aliviar os espasmos digestivos associados com a gastrite e a colite.

Além disso, essa planta possui atividade antibacteriana, podendo atuar contra a bactéria Helicobacter pylori, que é está associada com a formação de uma úlcera no estômago.

8. Tratar doenças inflamatórias

A passiflora possui propriedade anti-inflamatória que promove a inibição de algumas citocinas, enzimas e histaminas que provocam a inflamação do organismo em diferentes situações, como na artrite reumatoide e na psoríase, por exemplo. Por isso, essa planta pode ser indicada como complemento ao tratamento dessas doenças

Como usar a passiflora

Para aproveitar alguns problemas de saúde e aproveitar seus benefícios, a passiflora pode ser consumida de diferentes formas, como:

1. Chá

O chá de passiflora pode ser preparado colocando cerca de 2 colheres de sopa em uma xícara de água fervente e deixar por cerca de 10 minutos. Em seguida, coar e beber. Nos casos de insônia, deve-se tomar 1 xícara antes de deitar ou beber cerca de 3 vezes por dia para reduzir o estresse e a ansiedade.

2. Tintura

A tintura de passiflora pode ser encontrada em farmácias ou lojas de produtos naturais e pode ser usada em uma concentração de 1:10 e a dose recomendada é de 40 gotas diluídas em 1 copo de água, 1 a 3 vezes ao dia, de acordo com a orientação do médico ou do fitoterapeuta.

3. Comprimidos

Os comprimidos de passiflora podem ser constituídos com outras plantas medicinais, como a valeriana, e pode ser encontrado em lojas de produtos naturais, sendo a dose recomendada 200 a 500 mg, 2 a 3 vezes ao dia, de acordo com a indicação médica ou do fitoterapeuta.

Possíveis efeitos colaterais 

O principal efeito colateral da passiflora é a sonolência excessiva e por isso é recomendado não operar máquinas, nem dirigir veículos porque os reflexos podem ficar reduzidos. Além disso, pode também diminuir a pressão arterial e os reflexos.

Em casos muito raros podem surgir sintomas como náuseas, vômitos, dor de cabeça e taquicardia.

Quando não é indicado

A passiflora está contraindicada para pessoas com alergia aos componentes da fórmula e não deve ser consumida com bebidas alcoólicas, nem com outros medicamentos calmantes, com efeito sedativo ou anti-histamínico. Além disso, também não deve ser ingerida em simultâneo com aspirina, varfarina ou heparina, antiplaquetários e anti-inflamatórios não esteroides, porque pode levar a sangramentos.

Este fitoterápico também não deve ser consumido durante a gravidez, durante o período de amamentação, nem por crianças com menos de 12 anos de idade.

Assista também o vídeo seguinte e veja outros remédios naturais calmantes, que podem ajudar a reduzir a ansiedade:

Esta informação foi útil?

Atualizado por Equipe Editorial do Tua Saúde, em fevereiro de 2022. Revisão clínica por Tatiana Zanin - Nutricionista, em fevereiro de 2022.

Bibliografia

  • Fariba Fahami, Zahra Asali, Abolfazl Aslani, Nahid Fathizadeh. A comparative study on the effects of Hypericum Perforatum and passion flower on the menopausal symptoms of women referring to Isfahan city health care centers. Pubmed. 2010
  • Sónia Maria Tavares Pereira. O Uso Medicinal da Passiflora incarnata L.. Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra, Portugal: 2014.
Mostrar bibliografia completa
  • Eddy Leonel Xicay A. Alvaro Roca Laboratorio Medin Maya Centro Occidente, Dr. Hugo Icú Perén - Director Nacional Leticia Cortez – Coordinadora Región Centro Nancy Bac – Encargada del Proyecto. MANUAL DE PLANTAS MEDICINALES. Quinta los Apostentos I Chimaltenango, Guatemala. :
  • MARÍA TRÁNSITO LÓPEZ LUENGO. El insomnio. Plantas medicinales con efecto sedante. Elsevier. 2001
  • A Ngan, R Conduit. A double-blind, placebo-controlled investigation of the effects of Passiflora incarnata (passionflower) herbal tea on subjective sleep quality. Pudmed. 2011
  • Ali Movafegh, Reza Alizadeh, Fatimah Hajimohamadi, Fatimah Esfehani, Mohmad Nejatfar. Preoperative oral Passiflora incarnata reduces anxiety in ambulatory surgery patients: a double-blind, placebo-controlled study. Pubmed, 2008
  • AUTORIA: CRUZ, A. P. D. DE A.; PEREIRA, N. DE P.; MORAIS NASCIMENTO, V. E. B. DE; FONSECA, P. P. DA; COSTA, A. M.; GOMES, R. O.; SOARES, D. DE M.. Revisão sistemática de efeitos anti-inflamatórios correlacionados a artrite rematoide junto ao uso de passiflora ssp.. 2021.
  • Mohammad-Reza Mohammadi Tehran University of Medical Sciences Shahin Akhondzadeh Tehran University of Medical Sciences. Passiflora incarnata in the teartment of attention-deficit hyperactivity disorder in children and adolescents. Therapy (Therapy), 2005
  • Shahid Beheshti University of Medical Sciences. Anticonvulsant effects of aerial parts of Passiflora incarnata extract in mice: Involvement of benzodiazepine and opioid receptors. PubMed. 2007
  • Dra. Caridad Jacas García, Dra. Elizabet Polanco Machado, Dr. Luis Ernesto Pelegrín Monpie, Dra. Lilia Rosa Rodríguez García, Dra. Maricel Hechavarría Torres . Efectividad de la tintura de pasiflora asociada al tratamiento convencional de pacientes con hipertensión arterial esencia. Scielo. vol. 21. 2017
  • SIMPÓSIO DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. SEGUIMENTO DO USO DA PASSIFLORA INCARNATA NO TRATAMENTO DA INSÔNIA. 2014. Disponível em: <http://www.saocamilo-sp.br/novo/eventos-noticias/saf/resumo-27.pdf>. Acesso em 22 out 2019
  • GOSMANN, Grace et. al.. Composição química e aspectos farmacológicos de espécies de Passiflora L. (Passifloraceae). Revista Brasileira de Biociências. 9. 1; 88-99, 2011
Revisão clínica:
Tatiana Zanin
Nutricionista
Formada pela Universidade Católica de Santos em 2001, com registro profissional no CRN-3 nº 15097.

Tuasaude no Youtube

  • Calmantes naturais: Melhores plantas para Ansiedade

    08:07 | 187653 visualizações