Paraparesia: o que é, sintomas, causas e tratamento

Revisão clínica: Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
fevereiro 2022

A paraparesia é uma condição caracterizada pela incapacidade de mover parcialmente os membros inferiores, que pode acontecer devido a alterações genéticas, danos na coluna ou infecções virais, resultando em dificuldade para andar, problemas urinários e espasmo musculares.

Os sintomas podem surgir a qualquer momento da vida, sendo percebida, principalmente, a dificuldade para andar devido à perda de força e resistência muscular. Além disso, pode haver espasmos musculares, dificuldade de ereção e problemas urinários.

A paraparesia não tem cura, porém o tratamento é fundamental para melhorar a qualidade de vida da pessoa e reduzir os sintomas, sendo indicada a prática de atividades físicas e fisioterapia.

Sintomas de paraparesia

Os sintomas da paraparesia podem surgir em qualquer momento, principalmente se for causada por alterações genéticas, podendo os sintomas surgirem logo a partir do primeiro ano de vida. Os sintomas são progressivos e acometem os membros inferiores, sendo os principais:

  • Enfraquecimento e rigidez muscular progressiva;
  • Espasmos musculares, em alguns casos;
  • Dificuldades de equilíbrio;
  • Problemas urinários;
  • Disfunção de ereção;
  • Dificuldade para andar;
  • Dor nas costas que pode irradiar para as pernas.

De acordo com a gravidade dos sintomas, a pessoa pode sentir necessidade de usar muleta ou cadeira de rodas, por exemplo. A consulta a um ortopedista ou clínico geral é indicada quando surgem os primeiros sintomas indicativos de paraparesia, pois assim é possível que sejam feitos exames de diagnósticos e seja estabelecido o tratamento, prevenindo a evolução da doença.

Paraplegia é a mesma coisa que paraparesia?

Apesar de indicarem a paralisia dos membros inferiores, paraplegia e paraparesia são diferentes. A paraparesia corresponde a uma incapacidade parcial de movimentar os membros inferiores cujos sintomas podem aparecer a qualquer momento da vida, pois a doença pode ser hereditária ou causada por um vírus.

No caso da paraplegia, a paralisia dos membros inferiores é total, ou seja, a pessoa não consegue mover as pernas em momento algum, se tornando dependente da cadeira de rodas. Essa situação geralmente acontece devido a lesões na medula espinhal e resulta não só na falta de mobilidade dos membros inferiores, mas também à incapacidade de controlar a urina e o intestino. Entenda o que é a paraplegia.

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da paraparesia é feito pelo ortopedista através da avaliação dos sintomas apresentados pela pessoa, assim como por meio da realização de exames como ressonância magnética do cérebro e da medula espinhal e da eletromiografia, que é um exame que verifica lesões musculares e nos nervos por meio do registro da condução do impulso elétrico gerado pelo equipamento. Saiba como é feita a eletromiografia.

Além disso, no caso da paraparesia hereditária, podem ser solicitados exames genéticos para verificar a presença de alguma mutação, bem como histórico familiar, para que seja visto se os parentes próximos possuem a alteração ou os sintomas da doença.

Causas de paraparesia

A paralisia parcial dos membros inferiores pode ser classificada de acordo com a sua causa em dois tipos principais:

  • Paraparesia espástica hereditária, que é caracterizada por alterações genéticas e hereditárias que provocam dano ou degeneração progressiva das vias nervosas. Os sintomas desse tipo de paraparesia podem surgir em qualquer idade, mas normalmente surge entre os 10 e 40 anos e é caracterizada pelo enfraquecimento e enrijecimento progressivo das pernas.
  • Paraparesia espástica tropical, em que a paralisia parcial dos membros inferiores acontece devido à infecção pelo vírus HTLV-1 e os sintomas normalmente demoram para aparecer, sendo geralmente percebidos entre os 40 e 50 anos.

Além da causa genética e infecciosa, a paraparesia também pode acontecer devido a alguma situação que leve à compressão frequente dos membros ou lesão na coluna, como por exemplo acidentes de carro, quedas de cavalo e hérnia de disco, por exemplo, além de poder ser consequência de um quadro de esclerose múltipla.

Como é feito o tratamento

A paraparesia não tem cura, por isso o tratamento é feito com o objetivo de aliviar os sintomas, sendo normalmente recomendado pelo médico o uso de medicamentos capazes de aliviar as dores e os espasmos musculares que podem ocorrer, como o Baclofeno, por exemplo. Além disso, é recomendada a realização de sessões de fisioterapia.

A fisioterapia é essencial no tratamento da paraparesia, pois os exercícios realizados ajudam a manter a mobilidade dos membros e estimular a força muscular, mobilidade e resistência, além de ajudar na prevenção das cãibras e dos espasmos.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em fevereiro de 2022. Revisão clínica por Marcelle Pinheiro - Fisioterapeuta, em fevereiro de 2022.

Bibliografia

  • RODRIGUES, Margarida; CABRAL, Francisco; PINA, Fátima. Paraparesia espástica tropical --- abordagem anestésica. Revista Brasileira de Anestesiologia. Vol 67. 6 ed; 651-654, 2017
  • CORRADINI, Sandra; MOTA, Renata S.; MACÊDO, Maíra C. et al. Parâmetros para reabilitação da marcha em pessoas com Paraparesia Espástica Tropical: estudo transversal. Rev. Pesqui. Fisioter. Vol 9. 1 ed; 18-27, 2019
Revisão clínica:
Marcelle Pinheiro
Fisioterapeuta
Formada em Fisioterapia pela UNESA em 2006 com registro profissional no CREFITO- 2 nº. 170751 - F e especialista em dermatofuncional.