O que fazer quando o bebê engasga

setembro 2022

O bebê pode engasgar ao se alimentar, tomar mamadeira, mamar, ou mesmo com a própria saliva, causando sintomas como tosse, respiração ofegante, dificuldade para respirar, e, nos casos mais graves, lábios azulados e palidez. Nesses casos, é importante seguir algumas orientações para eliminar a causa do engasgo e, assim, o bebê conseguir voltar a respirar normalmente. Dessa forma, o que se deve fazer é: 

1. Peça ajuda médica

  • Ligar rapidamente ou pedir que alguém ligue para o 192, para chamar uma ambulância ou SAMU, ou 193, para chamar os bombeiros;
  • Observar se o bebê consegue respirar sozinho;

Mesmo que o bebê esteja respirando com dificuldade, isso é bom sinal, pois as vias aéreas não estão completamente fechadas. Neste caso, é normal ele tossir um pouco. Deixe-o tossir o quanto for preciso e nunca tente tirar o objeto de sua garganta com as mãos porque ele pode entrar ainda mais profundamente na garganta.

2. Inicie a manobra para desobstruir

A manobra para desobstruir ajuda a retirar o objeto que está causando o engasgamento. Para fazer essa manobra deve-se:

  1. Deitar a criança sobre o braço com a cabeça um pouco mais baixa que o tronco e observar se existe algum objeto em sua boca que possa ser removido facilmente;
  2. Inclinar o bebê, com a barriga sobre o braço, para que o tronco fique mais baixo que as pernas, e dar 5 palmadas com a base da mão nas costas;
  3. Se ainda assim não for suficiente, deve-se virar a criança de frente, ainda sobre o braço, e efetuar 5 compressões com os dedos médio e anular sobre o tórax, na região entre os mamilos.
  4. Repetir a manobra até que a criança apresente choro ou tosse sem dificuldade. Caso a criança fique inconsciente, é indicado iniciar a massagem cardíaca enquanto espera pelo socorro.

Mesmo que a criança apresente melhora, caso ainda exista suspeita de obstrução das vias aéreas por algum objeto ou alimento é importante procurar um pronto socorro para uma avaliação.

Como saber se o bebê está engasgado

Os sinais mais claros de que o bebê engasgou são:

  • Tosse, espirro, ânsia de vômito e choro durante a alimentação, por exemplo;
  • A respiração pode estar rápida e o bebê ficar ofegante;
  • Não conseguir respirar, o que pode pode causar lábios azulados e palidez ou vermelhidão na face;
  • Ausência de movimentos respiratórios;
  • Fazer muito esforço para respirar;
  • Emitir sons incomuns ao respirar;
  • Tentar falar mas não emitir nenhum som.

A situação é mais grave se o bebê não conseguir tossir ou chorar. Nesse caso os sintomas presentes são pele azulada ou arroxeada, esforço respiratório exagerado e eventual perda de consciência. 

Certos bebês podem parecer ter engasgado mas quando os pais tem certeza de que ele não colocou nada na boca, devem levar a criança para o hospital o mais rápido possível porque existe a suspeita de que ele alergia a algum alimento que tenha ingerido, o que causou inchaço das vias aéreas e está impedindo a passagem do ar. 

Principais causas de engasgo no bebê

As causas mais comuns que levam o bebê a engasgar são:

  • Tomar água, suco ou mamadeira na posição deitado ou recostado;
  • Enquanto está mamando; 
  • Quando os pais colocam o bebê deitado depois dele comer ou mamar sem ter arrotado ou regurgitado ainda;
  • Ao comer grãos de arroz, feijão, pedaços de fruta escorregadias como manga ou banana;
  • Pequenos brinquedos ou peças soltas;
  • Moedas, botão;
  • Bala, chiclete, pipoca, milho, amendoim;
  • Pilhas, bateria ou íman que podem estar nos brinquedos.

No entanto, o bebê que engasga de forma frequente pode estar com dificuldade para engolir, o que pode indicar doenças como paralisia cerebral ou miopatia congênita. Por isso, principalmente se outros sinais, como atraso do desenvolvimento e dificuldade de alimentação, ocorrerem é importante consultar um neuropediatra ou pediatra para que possa identificar o que está acontecendo.

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Dr.ª Sani Santos Ribeiro - Pediatra e Pneumologista infantil, em setembro de 2022.

Bibliografia

  • BURNS, Dennis A. R. et al. Tratado de Pediatria da Sociedade Brasileira de Pediatria . 4.ed. Barueri, SP: Editora Manole, 2017. 137-147.
Revisão médica:
Dr.ª Sani Santos Ribeiro
Pediatra e Pneumologista infantil
Médica formada pela Universidade Federal do Rio Grande com CRM nº 28364 e especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria.