Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Misoprostol: o que é, para que serve e como é usado

janeiro 2023

O misoprostol é uma prostaglandina sintética que geralmente é utilizada no hospital para indução do trabalho de parto, preparo do colo uterino para curetagem e aborto legal. Em alguns países, também pode ser indicada para o tratamento e prevenção da úlcera gástrica. 

Este medicamento, quando usado na gestação, pode causar diminuição dos batimentos cardíacos do bebê e morte fetal, não devendo ser usado por mulheres grávidas sem orientação médica. Além disso, pode causar efeitos colaterais como diarreia, dor no abdome e vômitos.

No Brasil, o misoprostol não é vendido em farmácias, sendo encontrado apenas nos hospitais, com o nome comercial de Prostokos, e na forma de comprimidos de 25, 100 e 200 mcg. Seu uso deve sempre ser orientado por um médico. 

Imagem ilustrativa número 1

Mecanismo de ação

O misoprostol tem ação direta sobre as células da parede do estômago, diminuindo a produção do suco gástrico e estimulando a circulação sanguínea da mucosa, secreção muco e bicarbonato. 

Além disso, o misoprostol também age sobre o útero, estimulando a contração da parede uterina e provocando o amolecimento do colo uterino, favorecendo a sua dilatação.

Para que serve

O misoprostol é indicado para:

  • Indução do trabalho de parto;
  • Esvaziamento do útero, em caso aborto retido ou óbito fetal;
  • Amolecimento do colo do útero, antes da curetagem ou AMIU;
  • Tratamento da hemorragia pós-parto;
  • Indução do aborto legal, em caso de violência sexual ou anencefalia, por exemplo.

Além disso, em alguns países o misoprostol também é indicado no tratamento e prevenção de úlceras gástricas, especialmente em pessoas que fazem uso de anti-inflamatórios não esteroidais ou que tenham elevado risco de úlceras. Confira os remédios mais indicados no tratamento da úlcera gástrica.

Como é usado

No Brasil, o misoprostol pode ser usado apenas em hospitais e a forma de uso depende da sua indicação:

  • Indução do parto: 1 comprimido de 25 mcg de 6/6 horas, por via vaginal;
  • Interrupção da gestação em torno das 30 semanas: 1 ou 2 comprimidos de 25 mcg em uma única aplicação, por via vaginal;
  • Indução de parto com feto morto antes de 30 semanas: 2 comprimidos de 25 mcg, por via vaginal e, caso não seja suficiente após 6 horas, a dose é aumentada para 4 comprimidos de 25 mcg ou 1 comprimido de 100 mcg;
  • Aborto legal: 1 comprimido de 200 mcg de 6/6 horas, por via vaginal.

Além disso, as doses de misoprostol podem variar de acordo com protocolos específicos de cada hospitais e, dependendo da orientação do médico, o misoprostol também pode ser usado por via retal, oral ou sublingual.

Este medicamento não deve ser utilizado sem orientação médica, especialmente em mulheres grávidas, podendo colocar em risco a saúde da mãe e do bebê.

Possíveis efeitos colaterais

Os principais efeitos colaterais do misoprostol são:

  • Dor no abdome;
  • Diarreia;
  • Flatulência;
  • Náusea;
  • Vômitos;
  • Má digestão;
  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Sangramento vaginal;
  • Irregularidade menstrual.

Estes efeitos tendem a ser leves, sendo mais comuns quando o misoprostol é utilizado em doses altas. Além disso, outros possíveis efeitos colaterais, embora sejam menos frequentes, incluem pressão baixa, vertigem, batimentos cardíacos fetais acelerados, rotura uterina e morte fetal, por exemplo.

Riscos do misoprostol para o bebê

O misoprostol pode aumentar o risco síndrome de Moebius e malformações cerebrais no bebê, especialmente quando usado no primeiro trimestre da gravidez, em caso de tentativa de aborto.

Além disso, mesmo quando o misoprostol é utilizado com orientação médica, pode causar efeitos colaterais no bebê como batimentos cardíacos acelerados e, nos casos mais graves, morte fetal.

Contraindicações do misoprostol

O misoprostol normalmente é contraindicado em caso de:

  • Cicatrizes no útero;
  • Histórico de cesárea anterior;
  • Doenças dos vasos afetando o cérebro ou coração, como doença coronariana;
  • Ingestão de anti-inflamatórios não esteroides nas últimas 4 horas;
  • Reação alérgica anterior a medicamentos com prostaglandina.

Além disso, o misoprostol também é contraindicado para homens e não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica, devido aos riscos para a saúde do bebê.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Jonathan Panoeiro - Neuropediatra, em janeiro de 2023.

Bibliografia

  • CAS. Protocolo Assistencial Multiprofissional - Uso de misoprostol. 2019. Disponível em: <https://www.as.saude.ms.gov.br/wp-content/uploads/2021/03/PROTOCOLO-USO-DE-MISOPROSTOL-AAMI-2019-3-1.pdf>. Acesso em 17 jan 2023
  • AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA - ANVISA. Anvisa proíbe a propaganda de medicamentos à base de misoprostol. Disponível em: <https://www.gov.br/anvisa/pt-br/assuntos/noticias-anvisa/anos-anteriores/anvisa-proibe-a-propaganda-de-medicamentos-a-base-de-misoprostol>. Acesso em 17 jan 2023
Mostrar bibliografia completa
  • MACHADO, Leticia O; TAQUETTE, Stella R. The use of misoprostol in the termination of pregnancy: a review of studies carried. Cien Saude Colet. Vol.27, n.8. 3079-3090, 2022
  • ALFIREVIC, Zarko; AFLAIFEL, Nasreen; WEEKS, Andrew. Oral misoprostol for induction of labour. Cochrane Database Syst Rev. Vol.2014, n.6. CD001338, 2014
  • ANVISA. PROSTOKOS. 2020. Disponível em: <https://consultas.anvisa.gov.br/#/bulario/q/?nomeProduto=Prostokos>. Acesso em 17 jan 2023
  • SILVA, Flávia P. R; RAMOS, Michelle S; PARTATA, Anette K . Misoprostol: propriedades gerais e uso clínico. Rev. Científica ITPAC. Vol.6. 1-10, 2013
  • STATPEARLS. Misoprostol. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK539873/>. Acesso em 17 jan 2023
Equipe editorial constituída por médicos e profissionais de saúde de diversas áreas como enfermagem, nutrição, fisioterapia, análises clínicas e farmácia.