Riscos da Luz Pulsada e cuidados necessários

Revisão médica: Drª. Aleksana Viana
Dermatologista
julho 2022

A Luz Intensa Pulsada é um tratamento estético indicado para remoção de alguns tipos de manchas na pele, para o rejuvenescimento facial e também para remoção de olheiras e como forma prolongada de depilação. No entanto este tipo de tratamento tem seus riscos podendo causar manchas na pele ou grandes queimaduras quando o procedimento não é devidamente realizado. 

A melhor época do ano para utilizar o tratamento com a luz pulsada é no outono e no inverno, quando as temperaturas são mais baixas e a exposição solar é menor, pois a pele bronzeada é uma contraindicação para o uso do aparelho de LIP devido ao risco aumentado de queimaduras que podem ser provocadas pelo aparelho.

Como é feito o tratamento 

O tratamento com Luz Intensa Pulsada deve ser feito por um dermatologista ou fisioterapeuta especialista em dermato funcional e acontece a partir da aplicação de feixes de luz na pele, que são absorvidos pelas células e substâncias presentes na pele. Cada sessão dura em média 30 minutos, podendo variar de acordo com o objetivo da pessoa, e devem acontecer em intervalos de 4 semanas. 

A LIP é menos dolorosa que o laser tradicional, e durante o tratamento pode-se sentir uma ligeira de queimação que passa em menos de 10 segundos.

O tratamento com a luz intensa pulsada não é recomendado para pessoas que estejam fazendo uso de Roacutan, corticoides, anticoagulantes ou remédios fotossensibilizantes, já que a pele fica mais sensível, podendo resultar em manchas na pele caso o procedimento seja realizado. Além disso, a LIP não é indicada para pessoas que estão com a pele bronzeada, possuem pelos brancos na região a ser tratada, apresentam sinais de infecção na pele ou ao redor de feridas, ou que possuem câncer de pele.

Essas contraindicações devem ser levadas em conta no momento da avaliação do paciente pelo profissional para que sejam evitadas complicações durante ou após o tratamento, como por exemplo muita vermelhidão da área tratada, coceira e formação de bolhas, que pode indicar queimadura na pele, devendo o tratamento ser suspenso até a pele esteja íntegra novamente.

Possíveis riscos para saúde 

O tratamento com laser ou Luz Intensa Pulsada não causa, nem aumenta o risco de câncer e diversos estudos já foram realizados comprovando que este é um procedimento seguro. No entanto, quando o tratamento não é devidamente realizado existe risco de: 

  •  Queimadura da pele: Isso pode acontecer caso o equipamento esteja mal calibrado, quando a pele está bronzeada ou quando o equipamento é mal utilizado. Caso durante a aplicação da técnica a sensação de queimação demore mais do que 10 segundos para passar e seja semelhante à sensação de uma queimadura de fogo, deve-se graduar novamente o equipamento para não provocar mais queimaduras. Se a pele já estiver queimada deve-se parar o tratamento e usar uma pomada cicatrizante para queimaduras, sob orientação do dermatologista. Conheça uma pomada caseira para queimadura que pode ajudar a complementar o tratamento. 
  •  Manchas claras ou escuras na pele: Se no local do tratamento a região ficar mais clara ou um pouco mais escura, é sinal de que o equipamento não tinha o melhor comprimento de onda para a tonalidade da pele da pessoa. O risco das manchas surgirem é maior em pessoas morenas ou que estão bronzeadas e por isso é importante ajustar o aparelho se houver alterações na tonalidade de pele da pessoa entre uma sessão e outra. Em caso de mancha escura na pele podem ser usados cremes clareadores indicados pelo dermatologista. 
  • Lesão ocular: Quando o terapeuta e o paciente não utilizam o óculos de proteção durante todo o tratamento podem surgir alterações graves nos olhos, afetando a íris. Mas para eliminar esse risco basta usar o óculos de proteção de forma correta durante todo procedimento. 

Os aparelhos que possuem a possibilidade de resfriamento após cada disparo de flash são mais confortáveis porque a ponteira fria alivia a sensação de queimação após cada disparo.

Cuidados durante o tratamento 

Durante a sessão o terapeuta e o paciente deverão usar óculos apropriados para proteger os olhos da luz emitida pelo equipamento. Se for preciso realizar o tratamento em regiões com tatuagem pode ser preciso colocar uma folha branca para cobrir a tatuagem, para evitar queimaduras ou a sua despigmentação.

Após o tratamento, é normal que a pele fique avermelhada e inchada, sendo necessário o uso de cremes ou pomadas cicatrizantes com filtro solar, que protejam a pele. A exposição solar não é recomendada durante 1 mês antes e depois de cada sessão, a pele pode descamar e surgir pequenas crostas, que não devem ser arrancadas manualmente, esperando que elas caiam sozinhas. Se a pele do rosto descamar não é recomendado usar maquiagem, dando preferência ao uso de cremes hidratantes com efeito refrescante ou calmante várias vezes ao dia. 

Além disso, não é aconselhável tomar banho com água muito quente no mesmo dia do tratamento e é indicado usar roupas leves que não friccionam a pele.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em julho de 2022. Revisão médica por Drª. Aleksana Viana - Dermatologista, em fevereiro de 2016.
Revisão médica:
Drª. Aleksana Viana
Dermatologista
Especialista em Dermatologia pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais, em 2007 com registro profissional no CRM/PE – 16907.