Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Listeriose: o que é, sintomas e como tratar

A listeriose é uma doença infecciosa causada pela bactéria Listeria monocytogenes, que pode ser encontrada no solo, lodo e água, podendo ser transmitida através do consumo de água e alimentos contaminados, como leite não pasteurizado, queijos, verduras, frutos do mar e salsicha. 

A infecção pode ser muitas vezes assintomática, no entanto os sintomas podem aparecer em crianças, gestantes, idosos e portadores de doenças crônicas, já que o sistema imunológico está comprometido. Os sintomas iniciais da listeriose podem ser confundidos com os da gripe, uma vez que há febre, dor no corpo e calafrios, por exemplo, no entanto é comum que existam dores no corpo e diarreia, por exemplo.

Para evitar essa bactéria é importante lavar sempre as mãos e os alimentos antes de consumi-lo, além disso é indicado sempre que houver confirmação da listeriose, notificar à vigilância sanitária para que se possa investigar a causa da infecção.

 Listeriose: o que é, sintomas e como tratar

Sintomas da listeriose

A Listeria monocytogenes possui tempo de incubação variável, ou seja, o tempo entre o contato com a bactéria e o aparecimento dos primeiros sintomas pode variar entre 3 e 60 dias. Os sintomas variam de acordo com a pessoa infectada, sendo os sintomas mais graves quando o sistema imunológico encontra-se mais debilitado. Os principais sintomas da listeriose são:

  • Dores musculares;
  • Febre alta, superior a 38ºC;
  • Vômitos;
  • Calafrios;
  • Dor de cabeça;
  • Perda de apetite;
  • Diarreia;
  • Confusão mental;
  • Cansaço.

Em casos mais graves e raros, a Listeria monocytogenes pode se espalhar pela corrente sanguínea e chegar no sistema nervoso, onde pode provocar meningite, que é uma inflamação nas membranas que envolvem o cérebro. Além disso, a infecção nas gestantes pode ser grave e resultar em morte do bebê, parto prematuro ou infecção no momento do parto.

Como ocorre a transmissão

A Listeria monocytogenes pode ser encontrada em vários alimentos por conta da sua capacidade de sobrevivência a diferentes temperaturas e condições ambientais, principalmente temperaturas mais baixas, e variações de pH enormes. Sendo assim, é capaz de sobreviver a todo o sistema de processamento e manipulação do alimento.

A transmissão desse agente infeccioso acontece a partir principalmente do consumo de água e alimentos contaminados, como por exemplo leite não pasteurizado, derivados do leite, frutas, verduras, legumes, carnes, peixes, frutos do mar defumados e congelados, e embutidos, como a salsicha.

Apesar desses alimentos poderem conter a bactéria, não significa que sempre possuem esse agente infeccioso e nem que ao ingerir o alimento a pessoa será infectada e terá sintomas. A bactéria também pode ser encontrada no solo, água e vegetações, sendo importante lavar as mãos e os alimentos antes de comer.

 Listeriose: o que é, sintomas e como tratar

Como é feito o diagnóstico

O diagnóstico da listeriose é feito em laboratório a partir do isolamento do microrganismo. A bactéria pode ser isolada de vários materiais biológicos, podendo ser sangue, liquor, líquido amniótico, placenta, lavado gástrico ou fezes, dependendo dos sintomas e da indicação do médico. 

Qual o tratamento da listeriose

O tratamento da listeriose é feito com o uso de antibióticos, sendo normalmente recomendado pelo médico o uso de Penicilina ou Ampicilina associada a Aminoglicosídeos, como a Gentamicina. Em caso de alergia a Penicilina, a alternativa é fazer uso do Sulfametoxazol-Trimetoprim, conhecido como Bactrim.

Como prevenir e evitar a listeriose

Para evitar a contaminação pela Listeria, é importante adotar algumas medidas de higiene, como:

  • Lavar as mãos antes das refeições;
  • Lavar bem os alimentos como frutas, legumes e verduras antes de comer;
  • Armazenar corretamente a comida;
  • Manter a geladeira limpa;
  • Evitar o consumo de alimentos processados e não pasteurizados.

A listeriose no Brasil é uma doença subnotificada, ou seja, quando se faz a identificação da bactéria normalmente não se comunica a vigilância sanitária e epidemiológica, não sendo possível investigar a fonte de contaminação. Dessa forma, assim que surgirem os primeiros sintomas e for confirmada a listeriose é indicado informar à vigilância sanitária para que medidas eficazes de prevenção sejam implantadas, como interdição de produtos e programas educacionais. 


Bibliografia

  • AUTORIDADE DE SEGURANÇA ALIMENTAR E ECONÔMICA. Listeria. Link: <www.asae.gov.pt>. Acesso em 15 Jul 2019
  • SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO. Doenças transmitidas por água e alimentos - Listeria monocytogenes. 2013. Link: <www.saude.sp.gov.br>. Acesso em 15 Jul 2019
  • DE SOUZA, Ana Paula O.; ARAUJO, Guilherme M. B.; FERREIRA, Maria José. Listeriose na gravidez. Rev Méd Minas Gerais. Vol 20. 432-434, 2010
  • DIREÇÃO GERAL DE SAÚDE. Listeriose. Link: <www.dgs.pt>. Acesso em 15 Jul 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Se ficou com alguma dúvida ou encontrou algum erro escreva aqui para que possamos melhorar o texto. Não lhe iremos responder directamente. Se quiser uma resposta clique em Contato.

Enviar Carregando elementos na página
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem