Disidrose: o que é, sintomas, causas e tratamento

A disidrose é uma doença da pele que causa a formação de pequenas bolhas preenchidas de líquido, que geralmente aparecem na palma das mãos, nas laterais dos dedos ou na sola dos pés. As bolhas de disidrose causam intensa coceira que pode durar até 3 semanas.

As causas da disidrose não são conhecidas, no entanto parece estar relacionada com alergias de pele, umidade excessiva nas mãos ou nos pés e aumento do estresse físico ou emocional. A disidrose, também conhecida por eczema disidrótico ou desidrose, não é uma doença contagiosa e, por isso, não existe perigo de transmissão, mesmo entrando em contato direto com a pele de outra pessoa. 

Sempre que existir suspeita de disidrose é importante realizar uma consulta com um dermatologista, para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado, que pode incluir cuidados diários com a pele, uso de remédios ou procedimentos como fototerapia ou botox.

Disidrose: o que é, sintomas, causas e tratamento

Principais sintomas

O principal sintoma da disidrose é a formação de pequenas bolhas contendo líquido que causam muita coceira. Além disso, pode ainda surgir:

  • Descamação da pele;
  • Dor nas bolhas ou ao redor;
  • Umidade excessiva em torno da área da pele afetada;
  • Pele seca ou rachada depois que as bolhas desaparecem.

Geralmente, as bolhas secam e descamam em cerca de três semanas após o seu aparecimento.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da disidrose é feito pelo dermatologista através do exame físico da pele, avaliando a severidade dos sintomas como vermelhidão, descamação ou coceira, além do  número de bolhas e a extensão da área afetada. 

Geralmente, não é necessário testes de laboratório para o diagnóstico da disidrose, no entanto, o médico pode pedir exames para excluir outros problemas de saúde, como raspagem da pele afetada para verificar a presença de fungos que podem causar frieira ou teste alérgico a determinadas substâncias, por exemplo. Veja como é feito o teste alérgico.

Possíveis causas

A causa exata da disidrose não é conhecida, no entanto, é mais frequente durante o verão e alguns fatores podem contribuir para o seu aparecimento como:

  • Histórico familiar de eczema disidrótico;
  • Aumento de estresse emocional ou físico;
  • Alergias, como febre do feno;
  • Dermatite atópica ou dermatite de contato;
  • Lavar as mãos com frequência;
  • Exercer atividade profissional que necessite contato frequente com água ou produtos que podem causar irritação na pele;
  • Exposição ou alergia de contato com metais como cobalto, cromo ou níquel;
  • Uso de imunoglobulina intravenosa.

Além disso, alguns estudos relatam que o suor excessivo e constante das mãos ou dos pés, chamado hiperidrose, também pode aumentar o risco de desenvolvimento da disidrose. [1]

Como é feito o tratamento

Os principais tratamentos para disidrose indicados pelo dermatologista incluem:

1. Cuidados com a pele

Os cuidados com a pele ajudam a prevenir a formação das bolhas ou evitar que piorem ou fiquem infeccionadas, e incluem:

  • Aplicar compressas frias, de 2 a 4 vezes por dia, por até 15 minutos de cada vez, ou mergulhar os pés ou as mãos em água fria, para reduzir o desconforto ou a coceira;
  • Usar água morna ao lavar as mãos;
  • Aplicar hidratantes indicados pelo médico que promovem a restauração da barreira protetora da pele. Esses hidratantes devem ser usados com frequência e todos os dias para melhorar a pele seca;
  • Evitar o contato com substâncias que podem causar alergia ou irritação na pele.

Além disso, caso as rotinas da pele não sejam suficientes para melhorar os sintomas, o médico pode recomendar o uso de remédios.

2. Uso de remédios

O tratamento com remédios é indicado pelo médico quando os cuidados com a pele não foram suficientes para melhorar os sintomas ou nos casos mais graves de disidrose, e inclui:

  • Anti-alérgicos na forma de comprimidos, como difenidramina ou loratadina, para ajudar a aliviar a coceira e a vermelhidão da pele afetada
  • Cremes com corticóide, como mometasona ou betametasona, aplicados sobre a pele afetada, em camada fina, para ajudar reduzir a inflamação e secar as bolhas, acelerando o seu desaparecimento. Esse tratamento pode ser feito por até 6 semanas, a não ser que o médico recomende mais tempo de acordo com a gravidade da disidrose; 
  • Creme imunossupressores, como o tacrolimo ou pimecrolimo, indicados pelo médico quando os cremes com corticóide não foram eficazes para reduzir os sintomas ou para pessoas alérgicas aos corticóides. Esse tratamento pode ajudar a evitar surgimento das bolhas na pele, no entanto, por possuírem efeitos sobre o sistema imune, aumentam o risco de infecções na pele;
  • Corticóides na forma de comprimidos, como a prednisona, por exemplo, indicados quando o uso dos cremes com corticóides ou imunossupressores não foram eficazes.

Durante o tratamento, é também recomendado fazer compressas ou banhos de permanganato de potássio ou água boricada a 2%, de duas a três vezes ao dia, até a melhora das lesões, além de fazer a higiene adequada da região afetada com água e sabão, aplicar creme hidratante 2 a 3 vezes por dia e evitar entrar em contato com substância irritantes para a pele, como produtos de limpeza.

Além disso, para a disidrose grave e que não responde aos tratamentos anteriores, o médico pode recomendar outros remédios como azatioprina, metotrexato, micofenolato mofetil, ciclosporina ou etanercept.

3. Fototerapia

A fototerapia é um tipo de tratamento feito em hospital pelo médico, que utiliza luz ultravioleta sobre a pele afetada pela disidrose, indicado nos casos em que os outros tratamentos não foram eficazes para controlar os sintomas.

A luz ultravioleta pode ser usada junto com um remédio por via oral ou tópico, o psoraleno, sendo esse tratamento chamado PUVA, e que consiste em tomar ou aplicar o psoraleno na forma de pomada sobre a pele, e 2 horas depois expor a área que será tratada à radiação ultravioleta. 

4. Botox

Nos casos mais graves, o médico pode recomendar fazer injeções de toxina botulínica, também conhecida como botox, para diminuir o funcionamento das glândulas sudoríparas, reduzindo o suor excessivo, que é uma das causas da disidrose.

5. Opção de tratamento natural

Um bom tratamento caseiro para ajudar a acalmar os sintomas de disidrose consiste em utilizar compressas de calêndula, para complementar o tratamento médico. A calêndula é uma planta medicinal que contém propriedades cicatrizantes e calmantes que ajudam a aliviar a intensa coceira e a secar as bolhas.

Ingredientes

  • 2 colheres (de sopa) de flores calêndula;
  • 200 mL de água fervente.

Modo de preparo

Colocar as flores de calêndula em uma panela com a água fervente e deixar repousar por 10 minutos. Depois, coar e molhar compressas limpas na misturas, aplicando-as sobre a pele afetada durante 5 a 10 minutos. Veja remédios caseiros para disidrose.

Esta informação foi útil?
Atualizado por Manuel Reis - Enfermeiro, em abril de 2022. Revisão médica por Dr.ª Clarisse Bezerra - Médica de Saúde Familiar, em abril de 2020.

Bibliografia

  • TAKCI, Z.; et al. Dyshidrotic eczema and seborrheic dermatitis-like eczematous eruption following intravenous immunoglobulin therapy. Dermatol Ther. 33. 6; e14147, 2020
  • CALLE SARMIENTO, P. M.; CHANGO AZANZA, J. J. Dyshidrotic Eczema: A Common Cause of Palmar Dermatitis. Cureus. 12. 10; e10839, 2020
  • SOCIEDADE BRASILEIRA DE DERMATOLOGIA. Disidrose. Disponível em: <https://www.sbd.org.br/dermatologia/pele/doencas-e-problemas/disidrose/48/>. Acesso em 17 abr 2020
  • MINELLI, Lorivaldo. Disidrose: aspectos clínicos, etiopatogênicos e terapêuticos. An Bras Dermatol.. Vol.83. 2.ed; 107-115, 2008
Mais sobre este assunto: