10 formas simples de eliminar o inchaço pós-parto

julho 2022

Algumas formas de eliminar o inchaço pós-parto são aumentar a ingestão de líquidos, elevar as pernas, fazer pequenas caminhadas ou aumentar o consumo de alimentos ricos em potássio, por exemplo, pois ajudam a melhorar a circulação sanguínea e linfática, reduzir a retenção de líquidos e aumentar a eliminação de toxinas, que podem estar causando o inchaço.

É normal a mulher ficar com as pernas, pés ou tornozelos inchados depois do parto, durante cerca de 3 a 8 dias. Esse inchaço acontece principalmente nas mulheres que passam pela cesárea, porque ficam mais tempo deitadas e precisam se recuperar da anestesia, mas também pode afetar as mulheres após o parto vaginal.

No entanto, se o inchaço não melhorar ou ocorrer inchaço no rosto, dor de cabeça, inchaço repentino ou vermelhidão em apenas uma perna ou pé, dificuldade para respirar ou vômitos, deve-se procurar ajuda médica imediatamente ou o pronto-socorro mais próximo. 

Alguns passos simples que podem ser recomendados para desinchar no pós-parto incluem:

1. Ingerir mais líquidos 

Ingerir uma maior quantidade de líquidos, especialmente a água ou chás sem açúcar, ajudam a reduzir o inchaço pós-parto, pois quando o corpo está bem hidratado retém menos líquidos. Além disso, beber mais líquidos estimula a produção de urina, o que acaba eliminando o excesso de água e toxinas do organismo.

Além disso, ingerir uma maior quantidade de líquidos, também favorece a produção de mais leite materno. Veja outras formas de aumentar a produção de leite materno

2. Fazer pequenas caminhadas

Movimentar o corpo, fazendo pequenas caminhadas, dentro do quarto ou dentro de casa, ajudam a reduzir o inchaço nos pés ou nas pernas pós-parto, pois a movimentação das pernas promovem a contração muscular e ajuda no retorno do sangue para o coração, melhorando a circulação sanguínea.

Além disso, as pequenas caminhadas ainda estimulam a saída do lóquio, que é o sangramento que a mulher apresenta depois do parto.

3. Fazer exercícios para os pés

Fazer exercícios com os pés e tornozelos ajuda a contrair os músculos da panturrilha, estimular o retorno do excesso de líquido nas pernas e pés para o coração e melhorar a circulação linfática, diminuindo o inchaço das pernas ou dos pés. 

Além disso, os exercícios para os pés e tornozelos ajudam a prevenir a trombose venosa profunda. Saiba identificar os sintomas da trombose venosa profunda. 

Uma boa forma de fazer exercícios para os pés e tornozelos é dobrar e esticar os pés para cima e para baixo, girar cada pé em um círculo ou levantar-se com as pontas dos pés para ajudar a panturrilha a bombear o sangue das pernas para o coração, por exemplo.

4. Elevar as pernas

Colocar as pernas para cima facilita o retorno do sangue para o coração, melhorando a circulação sanguínea e por isso ajuda a aliviar o inchaço nos pés e tornozelos no pós parto.

Para elevar as pernas deve-se deitar e colocar as pernas para cima apoiadas na cabeceira da cama ou pode-se usar almofadas ou travesseiros embaixo dos pés para que estes fiquem mais elevados que o tronco, durante a amamentação, por exemplo. Essa recomendação pode ser feita regularmente ao longo do dia por 20 minutos. 

5. Fazer um banho de contraste 

Fazer um banho de contraste com água quente e fria ajuda a promover a circulação sanguínea nas pernas e nos pés, aliviando o inchaço pós parto.

Para fazer o banho de contraste deve-se mergulhar os pés numa bacia com água quente e depois na água fria, para ajudar a eliminar o inchaço mais rápido.

Assista o vídeo a seguir com a fisioterapeuta Marcelle Pinheiro com o passo a passo para fazer o banho de contraste:

6. Evitar ficar em pé muito tempo

Ficar em pé muito tempo dificulta o retorno do sangue para o coração, aumentando a retenção de líquidos nas pernas e o acúmulo de líquido nos pés, o que podem causar ou piorar o inchaço nos pés e tornozelos no pós-parto. 

Assim, é recomendado evitar ficar mais de uma hora em pé sem descanso, além de movimentar as pernas, flexionar os joelhos e os tornozelos ou movimentar a panturrilha, levantando o corpo com as pontas dos pés, por exemplo. 

7. Evitar consumir alimentos processados

Os alimentos processados ou embutidos, como bolos, biscoitos, salsicha, linguiça, bacon, presunto, salame e mortadela, são ricos em sódio, o que aumenta a retenção de líquidos, causando ou piorando o inchaço pós parto.

Desta forma, deve-se evitar o consumo de alimentos processados, além de reduzir o consumo de sal na alimentação, optando preparar os alimentos com um sal com baixo teor de sódio ou usar ervas aromáticas, por exemplo. Saiba mais sobre ervas aromáticas para substituir o sal

8. Consumir alimentos ricos em potássio

Outra boa forma de reduzir o inchaço no pós-parto, é aumentar o consumo de alimentos ricos em potássio, como banana, uva passa ou amêndoas, pois ajudam a reduzir a quantidade de sódio no corpo, que causa retenção de líquidos e inchaço.

No entanto, mulheres com problemas nos rins ou no coração, devem evitar alimentos com ricos em potássio. Por isso, a alimentação deve sempre ser orientada pelo médico ou nutricionista.

9. Fazer drenagem linfática

A drenagem linfática ajuda a reduzir o inchaço pós-parto, pois melhorar a circulação linfática e sanguínea, diminuindo a retenção de líquidos e aumentando a eliminação de toxinas do corpo.

No entanto, é importante que a drenagem linfática seja feita somente após a liberação do obstetra, que deve avaliar o estado de saúde da mulher e orientar quando pode ser iniciada, o que varia de alguns dias a semanas, de acordo com o tipo de parto realizado ou da presença de complicações durante a gestação. 

10. Usar meias de compressão

As meias de compressão podem ser usadas sob orientação do obstetra para ajudar a facilitar o regresso do sangue das pernas para o coração, melhorando a circulação sanguínea e linfática, o que ajuda a melhorar o inchaço nos pés e tornozelos no pós-parto. Além disso, as meias de compressão diminuem a sensação de cansaço nas pernas.

Para usar as meias de compressão, deve-se colocar as meias de compressão assim que acordar, ainda na posição deitada e retirar à noite antes de dormir. 

É importante sempre consultar o obstetra antes de utilizar as meias de compressão para utilizar a mais adequada, pois existem vários tipos e tamanhos.

Porque a mulher fica inchada depois do parto 

Durante a gravidez o corpo da mulher tem cerca de 50% a mais de sangue, mas com menos proteínas e hemoglobinas. Depois do nascimento do bebê o corpo da mulher passa novamente por uma grande transformação, de forma mais brusca. O excesso de líquido no espaço entre as células é uma situação comum e esperada, e isso se traduz em inchaço localizado especialmente nas pernas e pés, embora também possa ser notado com menor intensidade nos braços, mãos e também na região da cicatriz da cesárea ou da episiotomia. 

Sinais de alerta para ir ao médico 

O inchaço no pós parto deve durar até 8 dias, reduzindo dia após dia. Caso o inchaço esteja mais presente ou dure mais tempo, deve procurar ajuda médica, porque pode ser preciso avaliar a pressão arterial e verificar se existe alguma alteração importante no coração, rins ou fígado.

Além disso, deve-se procurar ajuda médica imediatamente ou o pronto socorro mais próximo, caso surjam sintomas como:

  • Dor ou inchaço repentino em apenas uma perna ou pé;
  • Aumento do inchaço em uma perna;
  • Vermelhidão na batata da perna;
  • Palpitação cardíaca;
  • Falta de ar ou dificuldade para respirar;
  • Visão embaçada ou aumento sa sensibilidade à luz;
  • Dor no peito;
  • Dor de cabeça muito forte ou contínua;
  • Dor na barriga;
  • Náusea ou ânsia de vômito;
  • Aumento ou diminuição da vontade de urinar.

Não é recomendado tomar nenhum remédio diurético por conta própria porque pode mascarar sintomas que devem ser avaliados pelo médico, dessa forma, os diuréticos só devem ser tomados após prescrição médica. 

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em julho de 2022. Revisão médica por Drª. Sheila Sedicias - Ginecologista, em setembro de 2020.

Bibliografia

  • HAUSPURG, A.; JEYABALAN, A. Postpartum preeclampsia or eclampsia: defining its place and management among the hypertensive disorders of pregnancy. American Journal of Obstetrics and Gynecology. 226. 1; S1211-S1221, 2022
  • HEDAAOO, A, Sameer; BODHANKAR, M, Mitali. Advantages of natural diuretics over synthetic diuretics as part os treatment. World of Journal of Pharmacy and Pharmaceutical Sciences . Vol.8. 3.ed; 310-327, 2019
Mostrar bibliografia completa
  • MAHAN, L. Kathleen et al. Krause: Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 13.ed. São Paulo: Elsevier Editora, 2013.
  • CORTEZ, Lohaina Benson C. A. de Melo. Efeitos sistêmicos da drenagem linfática. Pós-graduação em Fisioterapia Dermato-Funcional , Faculdade Ávila.
  • LEDUC, Albert; LEDUC, Olivier.. Drenagem Linfática: Teoria e prática. 3ª edição. São Paulo: Manole, 2007.
Revisão médica:
Drª. Sheila Sedicias
Ginecologista
Médica mastologista e ginecologista formada pela Universidade Federal de Pernambuco, em 2008 com registro profissional no CRM PE 17459.

Tuasaude no Youtube

  • COMO EMAGRECER AMAMENTANDO

    08:10 | 172244 visualizações
  • 5 DICAS PARA MAMÃES FELIZES | Com Silvia Faro

    09:54 | 13716 visualizações
  • Tratamento caseiro para PÉS INCHADOS

    03:50 | 1988400 visualizações
  • Como emagrecer no pós-parto

    03:32 | 177654 visualizações