Impetigo: o que é, sintomas, causas e tratamento

setembro 2022
  1. Sintomas
  2. Causas
  3. Tratamento
  4. Prevenção

O impetigo é uma infecção de pele contagiosa causada por bactérias e que leva ao surgimento de pequenas feridas que contém pus e uma casquinha dura, que pode ser de cor dourada ou cor de mel. O tipo mais comum de impetigo é o não bolhoso, e nesse caso, as feridinhas costumam surgir no nariz e ao redor dos lábios, no entanto, outros tipos de impetigo se manifestam nos braços ou nas pernas e pés.

A transmissão do impetigo acontece por meio do contato com o pus liberado pelas lesões. Assim, é aconselhado que a criança, ou o adulto, fique em casa até 2 dias após iniciar o tratamento, para evitar contagiar outras pessoas.

Na presença de sinais e sintomas indicativos de impetigo, é recomendado consultar o dermatologista ou o pediatra, no caso das crianças, para que seja feita uma avaliação das lesões e seja indicada a realização de exame que permita identificar a causa do impetigo e, assim, seja possível iniciar o tratamento mais adequado, que normalmente envolve o uso de pomadas antibióticas.

Impetigo não-bolhoso
Impetigo não-bolhoso

Sintomas de impetigo

Os sintomas de impetigo podem variar de acordo com o tipo de impetigo, sendo os principais:

1. Impetigo comum ou não bolhoso

Os sintomas do impetigo comum, também conhecido como impetigo não bolhoso, surgem em 1 semana, sendo notado o aparecimento de pequenas lesões e/ou feridas em volta do nariz e da boca, que podem evoluir para crostas que possuem a cor mais amarelada/ dourada.

2. Impetigo bolhoso

Os principais sintomas de impetigo bolhoso são:

  • Feridas vermelhas na pele e lesões que evoluem rapidamente para bolhas contendo líquido amarelo e que surgem principalmente nos braços, pernas, peito e barriga;
  • Coceira e vermelhidão na pele em volta das bolhas;
  • Surgimento de crostas amarela;
  • Febre acima de 38ºC;
  • Mal estar geral;
  • Falta de apetite.

Conheça mais sobre o impetigo bolhoso.

3. Ectima

Na ectima, os sintomas costumam ser um pouco mais graves, já que atinge as camadas mais profundas da pele. Nesse caso, pode ser notado o aparecimento de feridas abertas com pus, crostas grandes e amareladas e vermelhidão em volta das crostas. Veja mais sobre o ectima.

Causas do impetigo

O impetigo é causado por bactérias presentes na pele, como Streptococcus pyogenes ou Staphylococcus aureus e que normalmente não causam sinais ou sintomas de doença. No entanto, devido a alterações na imunidade, é possível que essas bactérias proliferem e alcancem as camadas mais internas da pele, principalmente se existir algum ferimento, resultando no impetigo.

Assim, essa condição é mais comum de acontecer em crianças, idosos e pessoas com alterações autoimunes.

Como é feito o tratamento

O tratamento para o impetigo deve ser feito de acordo com a orientação do pediatra, no caso das crianças, ou dermatologista, no caso dos adultos, sendo normalmente indicada a aplicação de pomadas antibióticas 3 a 4 vezes por dia durante 5 a 7 dias. É importante que o tratamento seja iniciado o mais rápido possível para evitar que a bactéria atinja regiões mais profundas da pele, cause complicações e torne o tratamento mais difícil.

Quando a pessoa apresenta pequenas feridas com crosta na pele estas podem ser removidas com água e sabão, o que costuma ser suficiente. No entanto, quando as feridas são grandes, tendo mais de 5 mm de diâmetro não se deve remover a crosta, mas sim passar a pomada ou a loção recomendada pelo médico.

Além disso, como o impetigo é contagioso, é recomendado que a pessoa fique em isolamento e que toda a roupa, tolhas, lençóis e objetos de uso pessoal para evitar que a doença passe para outras pessoas.

Remédios para impetigo

Alguns outros remédios para Impetigo que podem ser indicadas pelo médico são:

  • Loção antisséptica, como o Merthiolate, por exemplo, para eliminar outros microrganismos que possam estar presentes e causar complicações;
  • Pomadas antibióticas como Neomicina, Mupirocina, Gentamicina, Retapamulina, Cicatrene, ou Nebacetin por exemplo;
  • Amoxicilina + Clavulanato, que pode ser usado em bebês e crianças, quando há muitas lesões ou sinais de complicações;
  • Compridos antibióticos, como Eritromicina ou Cefalexina, quando há muitas lesões na pele.

Além disso, o médico pode recomendar passar soro fisiológico para amolecer as feridas, aumentando a eficácia da pomada. O tratamento dura entre 7 e 10 dias, e mesmo que as feridas na pele desapareçam antes, é preciso manter o tratamento durante todos os dias indicados pelo médico.

Como evitar

Para evitar ter impetigo novamente deve-se seguir o tratamento indicado pelo médico até que as feridas estejam totalmente curadas. Além disso, manter as unhas curtas, principalmente no caso das crianças, ajuda a evitar o desenvolvimento de impetigo, pois assim é possível prevenir feridas que favoreçam a entrada das bactérias nas camadas mais profundas da pele.

Além disso, durante o tratamento é muito importante ter alguns cuidados como:

  • Limpar o nariz com soro fisiológico;
  • Não partilhar lençóis, toalhas ou outros objetos que estejam em contato com área afetada;
  • Manter as feridas cobertas por uma gaze limpa ou roupa;
  • Evitar mexer ou cutucar as feridas, lesões ou crostas;
  • Lavar as mãos frequentemente, especialmente antes de entrar em contato com outras pessoas;

No caso dos bebês e crianças, é muito importante deixá-los brincar apenas com brinquedos laváveis, pois devem ser lavados 48 horas após o inicio do tratamento para evitar que a infecção volte a surgir devido a bactérias que fiquem na superfície dos brinquedos.

É importante que o tratamento seja feito conforma a orientação do médico, pois assim é possível haver o desenvolvimento de complicações, como celulite infecciosa, osteomielite, artrite séptica, pneumonia, glomerulonefrite ou septicemia, por exemplo, principalmente nas pessoas que possuem o sistema imune mais comprometido.

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Dr.ª Sani Santos Ribeiro - Pediatra e Pneumologista infantil, em setembro de 2022.

Bibliografia

  • MEDSCAPE. Impetigo. Disponível em: <https://emedicine.medscape.com/article/965254-overview?src=refgatesrc1>. Acesso em 03 abr 2019
  • AAFP. Diagnosis and Treatment of Impetigo. Disponível em: <https://www.aafp.org/afp/2007/0315/p859.html>. Acesso em 03 abr 2019
Mostrar bibliografia completa
  • BPJ. Management of impetigo. Disponível em: <https://bpac.org.nz/bpj/2009/february/docs/bpj19_impetigo_pages_8-11.pdf>. Acesso em 03 abr 2019
  • NURSING PRACTICE. Impetigo: treatment and management. 2014. Disponível em: <https://www.nursingtimes.net/Journals/2014/03/07/u/t/g/120314-Impetigo-treatment--and-management.pdf>. Acesso em 03 abr 2019
Revisão médica:
Dr.ª Sani Santos Ribeiro
Pediatra e Pneumologista infantil
Médica formada pela Universidade Federal do Rio Grande com CRM nº 28364 e especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria.