Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Como identificar e controlar a pressão alta no idoso

A hipertensão arterial no idoso deve ser controlada sempre que for detectada, pois a pressão elevada é um importante fator de risco para desenvolver doenças cardiovasculares, como infarto e AVC. Ao contrário do que se pensa, na maioria das vezes, a pressão alta não causa sintomas, e atua silenciosamente no corpo predispondo às complicações. 

É comum que a pressão aumente com a idade, se tornando mais prevalente nos idosos, por isso, a pressão é considerada alta quando atinge 150 x 90 mmHg, diferente dos adultos jovens, que é quando atinge 140 x 90 mmHg.

Apesar disto, o idoso não deve se descuidar, e quando a pressão já apresenta sinais de aumento, é importante modificar hábitos como diminuir o sal e praticar atividades físicas, e, quando orientado, utilizar os medicamentos prescritos pelo médico, como Enalapril ou Losartana, por exemplo. 

Como identificar e controlar a pressão alta no idoso

Como detectar a hipertensão arterial no idoso

Normalmente, a hipertensão arterial no idoso não provoca sintomas, exceto quando se descontrola subitamente, e o diagnóstico pode ser feito através da medição da pressão arterial da forma convencional pelo enfermeiro ou médico, sendo considerada alta quando atinge valores iguais ou superiores a 150 x 90 mmHg.

Porém, quando há dúvidas em relação ao horário que aumenta ou se realmente está alta, também é possível realizar alguns exames de diagnóstico, como o MRPA, ou monitorização residencial da pressão arterial, com várias medidas semanais em casa ou no posto de saúde, ou através do MAPA, que é a monitorização ambulatorial pressão arterial, feita colocando um aparelho preso ao corpo por 2 a 3 dias, fazendo várias avaliações ao longo do dia.

Veja como medir a pressão arterial de forma correta:

Por que a pressão é mais alta no idoso

Alguns fatores de risco da hipertensão arterial no idoso incluem:

  • Idade superior a 65 anos;
  • Hipertensão na família;
  • Excesso de peso ou obesidade;
  • Diabetes ou colesterol e triglicérides elevados;
  • Consumo de bebidas alcoólicas e ser fumante.

A pressão arterial tende a subir conforme a idade aumenta, pois, ao envelhecer, o corpo sofre algumas alterações, como enrijecimentos e microlesões nas paredes dos vasos sanguíneos, além de alterações de hormônios na menopausa e maior comprometimento na função de órgãos importantes como coração e rins. 

Por isso, é muito importante fazer as consultas anuais de rotina para check-up, com o clínico geral, geriatra ou cardiologista, para que sejam detectadas alterações o mais cedo possível. 

Peculiaridades na hipertensão do idoso

Veja, na tabela a seguir, quais as peculiaridades na hipertensão no idoso:

 Adulto jovem IdosoIdoso com diabetes 
Pressão ideal< 120 x 80 mmHg< 120 x 80 mmHg< 120 x 80mmHg
Pré-hipertenso120 x 80mmHg a 139 x 89mmHg120 x 80mmHg a 149 x 89mmHg120 x 80mmHg a 139 x 89mmHg
Hipertenso> ou = 140 x 90mmHg> ou = a 150 x 90mmHg> ou = 140 x 90mmHg

O valor da pressão alta é um pouco diferente no idoso, pois é considerado natural que a pressão esteja um pouco mais elevada neste período. 

Assim, a pressão ideal para o idoso deve ser até 120 x 80 mmHg, mas é considerada aceitável até 149 x 89 mmHg. Entretanto, a pressão deve ser controlada com mais rigor, devendo ficar abaixo de 140 x 90 mmHg ou 130 x 90 mmHg nos idosos que têm outras doenças, como diabetes, insuficiência renal ou doença cardíaca.

Como é feito o tratamento

Para tratar a hipertensão arterial no idoso, é necessário fazer algumas mudanças no estilo de vida, como:

  • Ir no médico de 3 em 3 meses para avaliar a eficácia do tratamento;
  • Redução do peso, no caso de peso em excesso;
  • Diminuição no consumo de bebidas alcoólicas e parar de fumar;
  • Reduzir o consumo de sal e evitar alimentos ricos em gorduras como embutidos, salgadinhos e comidas prontas;
  • Prática atividade física aeróbica, pelo menos 3 vezes por semana. Veja quais os melhores exercícios para a terceira idade;
  • Consumir alimentos mais ricos em potássio, magnésio, cálcio e fibras;
  • Realizar alguma técnica de relaxamento, como ioga ou pilates.

O tratamento medicamentoso também é realizado, principalmente nos casos em que a pressão está muito alta ou que não reduziu o suficiente com as alterações nos hábitos de vida, feito através do uso de remédios que visam reduzir a pressão e alguns exemplos incluem diuréticos, antagonistas do canal de cálcio, inibidores da angiotensina e betabloqueadores, por exemplo. Para saber mais detalhes sobre estes remédios, veja remédios para controlar a pressão alta

Além disso, é importante realçar que o tratamento para hipertensão do idoso deve ser feito de forma bastante cuidadosa e individualizada, especialmente para aqueles que têm outros problemas de saúde como doenças cardíacas, incontinência urinária e tendência a sentir tonturas ao levantar-se.

Também é orientado seguir uma alimentação rica em vegetais, até porque alguns têm princípios ativos que podem a complementar o tratamento com remédios, como o chá de alho, sucos de berinjela com laranja ou de beterraba com maracujá, por exemplo, que melhoram a circulação e são diuréticos, ajudando a controlar a pressão. Confira algumas receitas de remédios naturais para a pressão alta

Mais sobre este assunto:


Carregando
...