Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Hepatite fulminante: o que é, sintomas, causas e tratamento

A hepatite fulminante, também conhecida como falência hepática fulminante ou hepatite aguda grave, corresponde à inflamação grave do fígado em pessoas que possuem o fígado normal ou doença hepática controlada em que o fígado deixa de ser funcional, podendo resultar em óbito em poucos dias.

Os sintomas da hepatite fulminante são semelhantes aos das outras hepatite, no entanto os sintomas desse tipo de hepatite podem progredir rapidamente, havendo urina escura constantemente, pele e olhos amarelados, febre baixa e mal estar geral. Esses sintomas evoluem de forma rápida devido ao comprometimento progressivo do fígado.

É importante que o diagnóstico e tratamento da hepatite fulminante seja feito o mais rápido possível para que os sintomas possam ser controlados e não haja perda total de função do fígado, sendo necessário que a pessoa fique em internamento para que seja feito o tratamento.

Hepatite fulminante: o que é, sintomas, causas e tratamento

Sintomas de hepatite fulminante

Os sintomas de hepatite fulminante aparecem e evoluem rapidamente devido ao constante comprometimento do fígado, podendo deixar a pessoa bastante debilitada dentro de poucas horas. Os principais sinais e sintomas de hepatite fulminante são:

  • Urina escura;
  • Olhos e pele amarelados, situação chamada de icterícia;
  • Mal estar geral
  • Febre baixa;
  • Náuseas e Vômitos;
  • Dor no lado direito do abdômen;
  • Inchaço abdominal;
  • Insuficiência renal;
  • Hemorragias.

Quando a pessoa está muito comprometida se desenvolve a encefalopatia hepática, que ocorre quando a inflamação atinge o cérebro, causando alterações de comportamento, distúrbios do sono, desorientação, e até coma, sendo indicativo de estado avançado da doença.

Para o diagnóstico da hepatite fulminante o médico deverá observar o paciente e solicitar exames laboratoriais e da biópsia do tecido hepático que permite detectar a gravidade das lesões e algumas vezes as causas da doença. Veja quais são os exames que avaliam o fígado.

Principais causas

A hepatite fulminante normalmente acontece em pessoas que possuem o fígado normal, mas também pode acontecer em pessoas que possuem alterações no fígado controladas, como no caso da hepatite A e B, por exemplo. Assim, na maioria dos casos a hepatite fulminante é consequência de outras situações, sendo as principais:

  •  Doenças auto-imunes como Síndrome de Reye e Doença de Wilson;
  •  Uso de medicamentos, na maioria das vezes como consequência da automedicação;
  •  Consumo de chás para emagrecimento em excesso e sem orientação;
  •  Falta de oxigênio nos tecidos hepáticos;
  •  Excesso de gordura no fígado durante a gravidez.

Quando alguma destas situações está presente, o fígado da pessoa pode ser gravemente afetado, deixando de ser capaz de filtrar o sangue para eliminar suas impurezas e de armazenar vitaminas e minerais, levando ao aparecimento de sinais e sintomas de hepatite fulminante.

Quando o tratamento não é iniciado prontamente, o fígado deixa de converter a amônia em ureia e a doença progride afetando o cérebro, dando início a um quadro chamado encefalopatia hepática, que pode ser seguida de falha ou falência de outros órgãos como rins ou pulmão, e possível coma.

Como é o tratamento

O tratamento para hepatite fulminante é feito em no hospital e consiste no uso de medicamentos para desintoxicar o fígado. É importante que a pessoa fique em jejum por um período e depois receba uma alimentação adequada, isenta de gorduras. Por vezes, a diálise para purificar o sangue é necessária.

Contudo, isto nem sempre é suficiente para curar a hepatite fulminante, já que muitas vezes a inflamação hepática é extensa e não há chance de reversão. Assim, pode ser recomendada a realização de transplante de fígado para que possa ser possível alcançar a cura. Entenda como é feito o transplante de fígado.

No entanto, como a hepatite fulminante é consequência de outras alterações, é importante que a sua causa seja identificada e tratada, evitando novos danos ao fígado.

Bibliografia >

  • GOTTHARDT, Daniel et al. Fulminant hepatic failure: etiology and indications for liver transplantation. Nephrology Dialysis Transplantation. Vol 22. 8 ed; 2007
  • FONSECA-NETO, Olival C. L. Falência hepática fulminante: etiologia, manejo e indicação para o transplante de fígado. ABCD Arq Bras Cir Dig. Vol 21. 4 ed; 201-204, 2008
  • PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE HEPATOLOGIA. Falência hepática aguda. Disponível em: <http://www.sbhepatologia.org.br/pdf/FASC_HEPATO_27_FINAL.pdf>. Acesso em 18 Mai 2020
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Irá receber um email com um link que deverá aceder para confirmar que o email lhe pertence.
Mais sobre este assunto:

Publicidade
Carregando
...
Fechar Simbolo de finalizado

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem