Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Encefalopatia hepática

A encefalopatia hepática é uma doença caracterizada pelo mau funcionamento do cérebro devido a problemas no fígado como insuficiência hepática, tumor ou cirrose. 

Uma das funções do fígado é filtrar o sangue vindo da digestão pois ele é responsável por metabolizar substâncias consideradas tóxicas para alguns órgãos. Quando o fígado não consegue filtrar corretamente este sangue, algumas substâncias tóxicas como a amônia chegam até o cérebro e ao sistema nervoso central causando a encefalopatia hepática.

Sintomas da encefalopatia hepática

Os sintomas da encefalopatia hepática podem ser:

  • Lentificação do pensamento;
  • Sonolência;
  • Tremores;
  • Descoordenação motora;
  • Distúrbios comportamentais;
  • Pele e olhos amarelados;
  • Abdômen inchado;
  • Mau hálito;
  • Esquecimentos frequentes;
  • Confusão mental;
  • Piora na escrita.

Estes sintomas podem ir surgindo pouco a pouco e aparecerem de repente.

Classificação da encefalopatia hepática

A classificação da encefalopatia hepática é:

  • Encefalopatia hepática tipo A: com falência hepática aguda;
  • Encefalopatia hepática tipo B: com encefalopatia associada a bypass porto-sistêmico;
  • Encefalopatia hepática tipo C: quando é associada a cirrose e hipertensão portal.

A encefalopatia hepática pode ainda se manifestar de forma esporádica, persistente ou mínima. Sendo que:

  • Encefalopatia hepática esporádica: precipitada, espontânea e recorrente;
  • Encefalopatia hepática persistente: leve, grave, tratamento-dependente;
  • Encefalopatia hepática mínima: manifestações pré clínicas que necessitam de meios de diagnóstico especiais. Antigamente era chamada de encefalopatia latente e encefalopatia sub-clínica.

Causas da encefalopatia hepática

As causas da encefalopatia hepática estão relacionadas ao mau funcionamento do fígado. Algumas situações que podem desencadear uma encefalopatia hepática são:

  • Consumo excessivo de proteínas;
  • Toma inadequada de diuréticos;
  • Alteração nos eletrólitos da corrente sanguínea como pode ocorrer em caso de bulimia ou desidratação;
  • Sangramento do esôfago, estômago ou intestino;
  • Toma excessiva de bebidas alcoólicas;
  • Doença renal;
  • Uso inadequado de medicamentos.

Diagnóstico da encefalopatia hepática

Para o diagnóstico da encefalopatia hepática deve-se realizar vários exames de sangue, tomografia computadoriza, ressonância magnética e eletroencefalograma.

Tratamento para encefalopatia hepática

O tratamento para encefalopatia hepática consiste em descobrir a sua causa e então eliminá-la. Pode ser necessário diminuir a ingestão de proteínas e a toma dos medicamentos deve ser feita corretamente. Alguns medicamentos que podem ser utilizados são: Lactulose, neomicina, rifaximina.

Referência Bibliográfica:

Edna Strauss. Encefalopatia hepática: atualização terapêutica. Acesso em Abril, 2013.

Links úteis: 

Mais sobre este assunto:
Carregando
...