Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Hepatite aguda

Hepatite aguda é a inflamação do fígado causada por vírus, que dura até 6 meses sendo solucionada até este período de tempo. Ela pode ser causada ainda por determinados medicamentos ou por algumas doenças. De forma geral, independente da causa, é importante que se faça o diagnóstico precoce da hepatite aguda para que o tratamento seja instituído de forma mais rápida e eficaz.

Numa abordagem inicial deve-se questionar sobre o uso de drogas ou medicações que possam ser tóxicas ao fígado, uso de álcool e a possibilidade de exposição a agentes infecciosos para que o diagnóstico seja realizado.

Normalmente as hepatites agudas evoluem de forma benigna, mas, se não tratadas da forma correta, mesmo quando estão associadas a causas menos agressivas como o vírus da hepatite A, podem levar à morte.

Causas da hepatite aguda

As causas da hepatite aguda podem ser:

  • Infecção com o vírus da hepatite A,B,C,D ou E;
  • Citomegalovírus, parvovírus, herpes, febre amarela;
  • Sífilis secundária, leptospirose, salmonelose, malária, toxoplasmose;
  • Abscesso no fígado;
  • Medicamentos;
  • Doenças auto-imunes;
  • Alterações no metabolismo do cobre e ferro;
  • Alterações circulatórias;
  • Obstrução biliar aguda;
  • Agravamento de hepatite crônica;
  • Distúrbios no metabolismo das gorduras;
  • Câncer;
  • Agentes tóxicos.

Sintomas da hepatite aguda

Os sintomas da hepatite aguda variam pouco, independente da causa. Normalmente, numa fase inicial as pessoas apresentam um quadro semelhante a gripe, caracterizado por:

  • dores musculares,
  • febre,
  • dores nas articulações,
  • cansaço,
  • perda parcial do apetite,
  • mal-estar,
  • dores de cabeça,
  • náuseas,
  • vômitos.

Após alguns dias do início das queixas, a depender da causa, os primeiros sintomas tendem a desaparecer, podendo surgir uma coloração amarela na pele chamada icterícia, acompanhada ou não de coceira na pele. Posteriormente, a pessoa entra no período de recuperação, com diminuição dos sinais e sintomas, evoluindo frequentemente para a cura da doença.

Durante a fase aguda das hepatites pode haver complicações para insuficiência aguda do fígado, a qual deve ser feito o diagnóstico precoce para que sejam feitas rápidas intervenções terapêuticas, como o transplante do fígado.

Hepatite aguda fulminante

Hepatite aguda fulminante é também conhecida como hepatite aguda grave. Trata-se de uma das doenças mais graves do fígado, podendo matar pelo menos 50% dos seus portadores.

É uma doença onde a pessoa previamente sadia, em dias ou semanas, pode ficar gravemente doente. Os sintomas iniciais são iguais aos de uma hepatite comum, acrescentando a presença de urina escura, olhos amarelos, perturbações do sono, voz imprecisa e raciocínio lento.

É importante realçar que raramente as hepatites evoluem para a forma fulminante pois a maior parte das pessoas procuram auxílio médico logo após o aparecimento dos primeiros sintomas.

Hepatite aguda e crônica

Hepatite é o termo genérico utilizado para designar inflamação no fígado, a qual pode se apresentar como forma aguda ou crônica. Na maior parte dos casos, a hepatite aguda é curada em até 6 meses, mas se ultrapassar esse tempo, como pode acontecer nos casos causados por vírus da hepatite B e C, pode-se tornar crônica. Os aspectos clínicos da hepatite crônica são bastante variáveis, sendo a presença elevada das transaminases séricas nos exames, os únicos sinais que confirmam essa doença.

Veja um dos exames que podem ser feitos para identificar a hepatite:

Mais sobre este assunto:


Carregando
...