Somos REDE D'OR
icon de informação icon de telefone 3003-3230
Número disponível apenas em território brasileiro, com custo de chamada local.

Gentamicina: para que serve, como usar e efeitos colaterais

Revisão clínica: Flávia Costa
Farmacêutica
janeiro 2023
  1. Para que serve
  2. Posologia e como usar
  3. Efeitos colaterais
  4. Contra-indicações

A gentamicina é um antibiótico aminoglicosídeo utilizado no tratamento de infecções bacterianas como meningite, pneumonia, impetigo e foliculite, podendo também ser indicada para tratar infecções oculares e do ouvido.

A dose e a duração do tratamento com este medicamento geralmente depende da indicação do médico, que leva em consideração o histórico de saúde da pessoa, o local da infecção e a gravidade, por exemplo

A gentamicina deve ser utilizada apenas com orientação médica e pode ser encontrada em farmácias na forma de pomadas e soluções para uso otológico, oftálmico e injetável, com nomes comerciais como Gentamisan, Gentagran, Diprogenta ou Trok-G.

Imagem ilustrativa número 1

Para que serve

A gentamicina é indicada para o tratamento de:

  • Infecções na pele, como impetigo, foliculite e furunculose;
  • Infecções abdominais;
  • Infecções gastrointestinais e biliares;
  • Infecções urinárias;
  • Infecções ósseas;
  • Meningite;
  • Sepse, incluindo bacteremia e sepse neonatal;
  • Pneumonia.

Além disso, a gentamicina também pode ser indicada para algumas infecções oculares como conjuntivite, úlceras de córnea ou blefarite e, especialmente quando combinada com betametasona em remédios para o ouvido, no tratamento de otite externa.

Posologia e como usar

A forma de usar a gentamicina depende da sua apresentação:

1. Gentamicina injetável

A gentamicina injetável normalmente é encontrada na forma de frascos de 1 ml com 20 e 40 mg de gentamicina e frascos de 2 ml com 80 mg, podendo ser indicada para uso por via intramuscular ou na veia.

As doses de gentamicina geralmente indicadas são:

  • Adultos: a dose diária recomendada para adultos é de 3 a 5 mg/kg de peso corporal por dia, dividida em 3 doses.
  • Prematuros e recém-nascidos até 1 semana de idade: a dose diária recomendada é de 5 a 6 mg/kg de peso corporal por dia, dividida em 2 doses;
  • Bebês com mais de 1 semana de vida até 2 anos de idade: a dose diária recomendada é de 7,5 mg/kg de peso corporal por dia, dividida em 3 doses;
  • Crianças acima de 2 anos: acima de 2 anos de idade, a dose diária recomendada é de 6 a 7,5 mg/kg de peso corporal por dia, dividida em 3 doses.

Em caso de insuficiência renal, a dose precisa ser ajustada pelo médico levando em consideração o funcionamento dos rins da pessoa para evitar efeitos colaterais, como dano aos rins ou baixa audição.  

2. Gentamicina oftálmica e otológica

A gentamicina para uso oftalmológico e otológico (no ouvido) normalmente é encontrada combinada com outras substâncias, como a betametasona, sendo indicada para o tratamento de infecções bacterianas do olho e do ouvido.

O sulfato de gentamicina (5 mg/ml) normalmente não é indicado para crianças, já o sulfato de gentamicina + fosfato dissódico de betametasona (3 mg/ml + 1 mg/ml), pode ser utilizado em crianças a partir de 8 anos de idade.

A gentamicina em solução oftálmica e otológica pode ser utilizada da seguinte forma: 

  • Uso oftalmológico: a dose deve ser ajustada às necessidades de cada caso e conforme orientação médica. A duração do tratamento pode variar dependendo do tipo de gravidade da lesão ocular. Em geral, recomenda-se aplicar 1 a 2 gotas da solução no olho, 3 a 4 vezes ao dia;
  • Uso otológico (gentamicina + betametasona): a recomendação é de 3 a 4 gotas, 2 a 4 vezes ao dia. A pessoa deve se deitar com o ouvido afetado voltado para cima e permanecer nessa posição por alguns minutos após a aplicação, para garantir a entrada do medicamento no ouvido. A dose deve ser reduzida gradualmente quando se começar a notar melhora, parando o medicamento quando o ouvido estiver curado.

O número de aplicações diárias e a duração do tratamento podem ser modificados de acordo com a orientação do médico.

3. Gentamicina pomada ou creme

Algumas pomadas de gentamicina também contêm corticoides, como a betametasona, na sua composição e geralmente são indicadas no tratamento de infecções de pele, especialmente em caso de dermatoses, como dermatite atópica e líquen plano.

A pomada de dipropionato de betametasona + sulfato de gentamicina (0,5 mg/g + 1 mg/g) pode ser utilizada da seguinte forma:

  • Adultos e adolescentes: aplicar uma fina camada na área afetada 2 vezes ao dia, de manhã e à noite. A duração do tratamento varia de acordo com a orientação do médico.

Esta pomada não é recomendada para crianças menores de 2 anos.

Possíveis efeitos colaterais

A gentamicina injetável, especialmente quando utilizada em doses elevadas e por longos períodos, pode causar efeitos colaterais como diminuição da função renal, diminuição da audição, vertigem, zumbido, perda do equilíbrio, sonolência, dor de cabeça e alterações em exames de sangue, como hepatograma e hemograma, por exemplo.

Nos casos mais graves, a gentamicina injetável pode causar insuficiência renal aguda, reações alérgicas graves e anafilaxia, necessitando de atenção médica imediata. Conheça os sintomas da anafilaxia.

Já no caso da gentamicina oftálmica ou otológica, podem surgir efeitos colaterais como irritação local, vermelhidão nos olhos, sensação de ardência momentânea e, raramente, dificuldade para enxergar ou glaucoma, por exemplo.

Quando a pomada de gentamicina é utilizada, podem surgir vermelhidão, coceira, clareamento da pele, irritação e dermatite de contato no local em que é aplicada, por exemplo.

Quem não deve usar

A gentamicina é contraindicada em pessoas com histórico de alergia a antibióticos aminoglicosídeos e não deve ser usada durante a gravidez, devido ao risco de danos nos rins e ouvidos do bebê.

Além disso, este antibiótico é eliminado no leite materno, podendo afetar a saúde do bebê caso esteja amamentando. Por isso o médico pode indicar a interrupção da amamentação ou evitar o tratamento com este medicamento em alguns casos.

Já as soluções oftálmicas e otológicas também devem ser evitadas em caso de perfuração do tímpano ou infecções causadas por fungos ou vírus.

Esta informação foi útil?

Atualizado e revisto clinicamente por Flávia Costa - Farmacêutica, em janeiro de 2023.

Bibliografia

  • ANVISA. Garasone - Mantecorp Farmasa. Disponível em: <https://consultas.anvisa.gov.br/#/bulario/q/?nomeProduto=garasone>. Acesso em 29 dez 2022
  • ANVISA. dipropionato de betametasona + sulfato de gentamicina (0,5 mg/g + 1 mg/g) - GERMED. Disponível em: <https://consultas.anvisa.gov.br/#/bulario/q/?nomeProduto=dipropionato%20de%20betametasona%20%2B%20sulfato%20de%20gentamicina>. Acesso em 29 dez 2022
Mostrar bibliografia completa
  • ANVISA. Gentamicin - Fresenius Kabi Brasil Ltda. Disponível em: <https://consultas.anvisa.gov.br/#/bulario/q/?nomeProduto=gentamicin>. Acesso em 29 dez 2022
  • STATPEARLS. Gentamicin. 2022. Disponível em: <https://www.ncbi.nlm.nih.gov/books/NBK557550/>. Acesso em 29 dez 2022
  • CIMA. GENTAMICINA. 2022. Disponível em: <https://cima.aemps.es/cima/publico/home.html>. Acesso em 29 dez 2022
  • ANVISA. Sulfato de gentamicina (5 mg/ml) - Allergan. Disponível em: <https://consultas.anvisa.gov.br/#/bulario/q/?nomeProduto=gentamicina>. Acesso em 29 dez 2022
  • ANVISA. Sulfato de gentamicina (40 mg/ml) - Hipolabor. Disponível em: <https://consultas.anvisa.gov.br/#/bulario/q/?nomeProduto=sulfato%20de%20gentamicina>. Acesso em 29 dez 2022
Revisão clínica:
Flávia Costa
Farmacêutica
Formada em Farmácia pelo Centro Universitário Newton Paiva em 2003. Mestre em Ciências Biomédicas pela UBI, Portugal.