Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

Principais causas do excesso de gases e o que fazer

Os gases são naturalmente produzidos por bactérias que fermentam os alimentos durante a digestão e, na maioria das vezes, não cheira muito mal, e nem é indicativo de problemas de saúde. Além da produção por bactérias, os gases podem também surgir quando a pessoa come muito depressa, pois é comum que o ar entre no organismo, aumentando a quantidade de gases formados.

No entanto, a formação de gases pode acontecer como consequência do uso de antibióticos ou consumo de alimentos de digestão mais lenta, isso porque há aumento da fermentação dos microrganismos, o que resulta em maior produção e maior concentração de gases, podendo cheirar muito mal e causar sintomas como inchaço na barriga, mal estar geral e dor abdominal em forma de pontada.

Principais causas do excesso de gases e o que fazer

A formação de gases é muito influenciada pelos hábitos e estilo de vida da pessoa. Assim, as principais causas de gases intestinais são:

1. Engolir ar durante as refeições

Quando se come muito rápido, devido ao estresse ou a ansiedade, por exemplo, pode haver a entrada de ar no organismo, o que provoca a formação de gases, sendo chamada esta condição de meteorismo intestinal, o que pode ser bastante desconfortável e causar inchaço e dor abdominal. Veja como identificar o meteorismo intestinal.

O que fazer: Nesse caso, é importante comer mais devagar para evitar que o ar volte a entrar no organismo durante a alimentação e, assim, os sintomas apareçam novamente. Além disso, é possível aliviar os sintomas através do uso de alguns medicamentos como luftal e dimeticona, por exemplo.

2. Comer alimentos de difícil digestão

Alguns alimentos, principalmente carboidratos, proteínas e gorduras, possuem digestão um pouco mais lenta e aumentam a fermentação no intestino, aumentando a quantidade de gases formados. Os principais alimentos responsáveis pelo excesso de gases intestinais são:

  • Repolho, brócolis, couve-flor, milho, leite;
  • Grão de bico, ervilhas, lentilha, batata;
  • Feijão, batata doce, iogurte, ovos, farelo de trigo;
  • Bebidas com gás, cerveja, cebola, aspargos.

A combinação de alimentos ricos em fibras com alimentos que possuem muita gordura também favorecem a formação de gases. No entanto, um alimento que pode causar gases em uma pessoa pode não causar em outra, e portanto, é importante estar atento ao alimento que levou ao aumento dos gases. 

O que fazer: É importante evitar o alimento responsável pelo aumento dos gases, além de ter uma alimentação leve e de fácil digestão, pois assim é possível promover o equilíbrio da microbiota gastrointestinal e aliviar os sintomas do excesso de gases. Saiba como a dieta pode diminuir a produção de gases.

Além disso, tomar chá de camomila e erva-doce ou chá de cardamomo, por exemplo, podem também ajudar a eliminar os gases mais facilmente. Veja mais sobre os chás para gases no vídeo a seguir: 

3. Tomar antiácidos ou antibióticos

O uso de antiácidos e de antibióticos podem alterar a flora intestinal e, assim, o processo de fermentação dos microrganismos, o que poderia aumentar a produção de gases intestinais.

O que fazer: Nesse caso, é importante consultar o médico para saber se é possível fazer a troca do medicamento ou interromper o seu uso caso os gases estejam causando muito desconforto, além de ser feita uma avaliação da possibilidade do uso de remédios para aliviar o desconforto causado pelos gases.

4. Não praticar atividades físicas

A falta de atividades físicas faz com que o processo de digestão se torne mais lento, aumentando a fermentação dos alimentos. Além disso, pessoas sedentárias tendem a ter prisão de ventre, o que também favorece a formação de gases intestinais devido à permanência das fezes no intestino por mais tempo.

O que fazer: É recomendado iniciar a prática de atividades físicas de forma regular, pois assim é possível melhorar o funcionamento do intestino e diminuir os gases. Assim, para iniciar a prática de atividade física, pode ser interessante fazer uma caminhada de 20 minutos todos os dias e, à medida que a atividade física vai sendo mais frequente, a caminhada pode ser feita por mais tempo ou pode ser iniciada a prática de corrida, por exemplo. Confira algumas dicas para sair do sedentarismo.

5.  Prisão de ventre

A prisão de ventre também pode causar aumento dos gases intestinais, pois como as fezes permanecem mais tempo no intestino, favorecem o aumento da fermentação e dificultam a saída dos gases, causando dor e desconforto abdominal.

O que fazer: É importante investir em hábitos que ajudem a combater a prisão de ventre como alimentação saudável e rica em fibras, ingestão de bastante água durante o dia e prática de atividade física de forma regular. Dessa forma, é possível melhorar o funcionamento do intestino e, assim, diminuir os gases.

6. Bebidas com gás

As bebidas com gás também podem aumentar a produção de gases, isso porque facilitam a deglutição de mais ar.

O que fazer: Nesse caso, o melhor a e fazer é eliminar o consumo de bebidas com gás, pois assim é possível melhorar a necessidade de arrotar e de eliminar gases.

Assista ao vídeo seguinte e confira outras dicas para se livrar dos gases:

Gases intestinais na gravidez

A formação de gases intestinais é um pouco maior na gravidez e isto deve-se também à lentidão da digestão que ocorre nesta fase por consequência do aumento de progesterona na corrente sanguínea. Os sintomas mais comuns de gases na gravidez são:

  • Dor abdominal em forma de pontada;
  • Barulhos na barriga;
  • Distensão abdominal;
  • Sensação de estômago cheio.

Além disso, a prisão de ventre, também comum na gravidez, pode agravar a situação. Para evitar o excesso de gases durante a gestação, é importante evitar os alimentos que causam gases, beber bastante água e praticar algum tipo de exercício físico como a caminhada diariamente. Saiba como eliminar os gases.

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto:

Ajuda
Carregando
...