Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Fimose: o que é e como é o tratamento

A fimose corresponde à incapacidade de se expor a glande, que é a parte terminal do pênis, popularmente conhecida como cabela do pênis, devido ao excesso de pele no local. Esta condição é comum nos bebês meninos e tende a desaparecer na maioria dos casos até 1 ano de idade, em menor proporção até os 5 anos ou somente na puberdade, sem a necessidade de tratamento específico. Porém, quando a pele não cede o suficiente com o passar do tempo, pode ser preciso usar uma pomada específica ou fazer uma cirurgia. 

Existem 2 tipos de fimose masculina:

  • Fimose fisiológica: é a mais comum e está presente desde o nascimento;
  • Fimose secundária: pode surgir em qualquer fase da vida, e ocorre após um quadro de infecção de repetição ou traumatismo local, por exemplo.

Em alguns casos a pele é tão apertada, que até mesmo a urina pode ficar retida dentro da pele, aumentando o risco de infecção urinária. A fimose pode causar complicações como dificuldade na limpeza da região, aumento do risco de infecção urinária, dor nas relações sexuais, maior propensão a ter uma DST, HPV ou câncer de pênis, além de aumentar muito o risco de desenvolver uma parafimose, que é quando o prepúcio fica preso e não volta a recobrir a glande.

Fimose: o que é e como é o tratamento

Como saber se é fimose 

A única forma de confirmar a presença da fimose é tentar retrair a pele que recobre a glande do pênis manualmente. Quando não é possível ver completamente a glande, isso representa a fimose, que pode ser classificada em 5 graus diferentes, embora o grau não seja muito importante para decidir o melhor tratamento, porque depende especialmente a idade do menino. A primeira verificação da presença da fimose é feita no bebê recém-nascido, mas faz parte de todas as consultas com o pediatra até os 5 anos.

No caso da fimose secundária que pode surgir na adolescência ou a vida adulta o próprio homem pode observar se existe alguma dificuldade na retração da pele, e se esta for verificada, recomenda-se uma consulta com um urologista.

Durante a consulta, o médico tenta retrair a pele que recobre a glande e caso não seja possível é feito o diagnóstico de fimose.

Tratamentos para fimose

A fimose infantil tem cura e nem sempre é necessário recorrer a tratamentos específicos e, por isso, o pediatra deverá avaliar a situação, já que ela pode ser naturalmente solucionada até os 4 ou 5 anos da criança. Mas se após essa fase a fimose persistir, ou em caso de fimose secundária, é necessário tratamento específico, que pode ser feito com:

1. Pomadas para fimose

Uso de pomadas à base de corticoides que possuem propriedades anti-inflamatórias, analgésicas e antibióticas com o objetivo de facilitar o deslizamento da pele sobre a glande e, assim, promover maior retração. A pomada indicada pelo médico deve ser aplicada 2 vezes ao dia, durante 1 mês e pode ser suficiente para curar a fimose. Confira quais são e como usar algumas pomadas para fimose

2. Exercício de retração da pele da glande

Uma outra possibilidade, para meninos com mais de 5 anos, é fazer um exercício para retração da pele sem forçar demais ou causar dor, pois desse forma é possível facilitar o deslizamento e, assim, promover a exposição da glande.

Para o exercício deve-se segurar o pênis com uma mão e com a outra aplicar a pomada e puxar a pele para trás lentamente, durante 1 minuto, de 3 a 4 vezes por dia. Esse exercício não deve causar dor, nem desconforto, mas deve ir 'soltando a pele pouco a pouco'. Quando o exercício é feito de forma incorreta além da dor, pode-se formar cicatrizes, novas aderências e um anel de fibrose, que é a característica da parafimose. 

3. Cirurgia para fimose 

Quando o tratamento com pomadas e exercícios não é suficiente, pode-se também fazer uma cirurgia para fimose chamada de postectomia, após os 2 anos de idade. O procedimento cirúrgico deve ser feito pelo médico levando-se em consideração a idade da pessoa e o grau de fimose e pode ser feita removendo completamente o excesso de pele ou realizando pequenos cortes na pele da região para facilitar a exposição da glande. Entenda como é feita e os cuidados necessários após a cirurgia para fimose.

A cirurgia para fimose não pode ser realizada em situações como dificuldade na coagulação sanguínea, infecção local, ou em caso de anormalidades no pênis, pois essas situações há maior risco de complicações e pode ser necessário aproveita a pele retirada para reconstruir algum tecido da região genital.

Fimose feminina

Apesar de raro, é possível que as mulheres tenham fimose, sendo essa situação caracterizada pela aderência dos pequenos lábios da vagina, tapando a abertura vaginal, no entanto essa aderência não chega a cobrir o clítoris ou a uretra, que é o canal pelo qual passa a urina.

Assim como nos meninos, a fimose feminina pode ser resolvida ao longo do tempo de acordo com o desenvolvimento da menina. Porém, caso a aderência seja persistente, pode ser necessário realizar tratamento específico que deve ser recomendado pelo pediatra ou ginecologista. Veja mais sobre a fimose feminina.

Bibliografia >

  • MINISTÉRIO DA SAÚDE. Fimose: o que é, diagnóstico, causas, sintomas e cirurgia. Disponível em: <http://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/fimose>. Acesso em 04 Set 2019
Esta informação foi útil?   
Sim  /  Não

Ficou alguma dúvida. Deixe aqui a sua questão para que possamos melhorar o nosso texto:

Atenção! Só poderemos responder diretamente se deixar o seu email.
Mais sobre este assunto:


Publicidade
Carregando
...
Fechar

Pode perguntar

Fechar
É hora de acabar com todas as suas dúvidas!
Erro
Erro
Erro
Marque a caixa de verificação acima.
Enviar Mensagem