Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Exames para endometriose

Os exames para endometriose, normalmente não provocam dor, e servem para diagnosticar a endometriose, que é caracterizada pelo crescimento do tecido do endométrio nos ovários, na bexiga ou nos intestinos.

Na presença de sintomas como cólicas menstruais fortes, dor durante o contato íntimo ou dificuldade em engravidar que possam indicar endometriose, a mulher deve consultar um ginecologista que poderá prescrever alguns exames para detectar a endometriose, os quais podem ser:

  • Exame vaginal e retal: o médico ginecologista observa a vagina e, se necessário, o reto e faz palpação para procurar cistos, que podem indicar endometriose;
  • Exame de sangue: é feito com o objetivo de verificar se há um aumento da substância CA125 no sangue que pode indicar a presença de endometriose, porém este exame não é específico para endometriose.
  • Ultrassonografia transvaginal pélvica: é o exame que determina o diagnóstico de endometriose e é feito quando o exame vaginal e o exame de sangue são positivos. Este exame observa a anatomia do sistema reprodutor feminino através da introdução de um transdutor de ultrassom pela vagina da mulher.

Se o resultado da ultrassonografia vaginal indicar endometriose, o ginecologista poderá recorrer a uma videolaparoscopia para verificar o estadiamento da endometriose e fazer a biópsia do tecido do endométrio encontrado.

Existem outros exames complementares que ajudam a identificar a endometriose como ressonância magnética, uroressonância ou ecoendoscopia retal, por exemplo, os quais ajudam a observar melhor os locais onde o tecido do endométrio está crescendo de forma que o médico consiga avaliar qual é o tipo de endometriose para instituir o melhor tratamento.

Tratamento para endometriose

O tratamento para endometriose depende do tipo de endometriose e também da vontade da mulher em engravidar ou não, podendo ser feito com o uso de remédios hormonais, como a pílula contínua, durante 6 meses. Neste período, o médico pode voltar a repetir a laparoscopia para avaliar a evolução da doença.

Nos casos mais graves, pode ser necessária a realização de cirurgia para retirar o tecido que está crescendo fora do útero, podendo provocar infertilidade se os órgãos pélvicos também forem retirados.

Saiba mais sobre a endometriose em: Sintomas de endometrioseTratamento para endometriose.

Mais sobre este assunto:
Carregando
...