Exame toxicológico: o que é, para que serve e como é feito

O exame toxicológico é um exame laboratorial que tem como objetivo verificar se a pessoa consumiu ou esteve exposta a algum tipo de substância tóxica ou droga nos últimos 90 ou 180 dias, sendo esse exame obrigatório desde 2016 para emissão ou renovação da carteira de motorista das categorias C, D e E, devendo ser realizado em laboratórios autorizados pelo DETRAN.

Apesar de ser muito utilizado no processo de emissão e renovação da habilitação, o exame toxicológico também pode ser realizado no hospital quando houver suspeita de envenenamento por substâncias tóxicas ou ansiolíticos, por exemplo, informando em algumas situações o grau de exposição a essa substância, além de ser utilizado em casos de overdose para identificar a substância responsável pela situação.

Exame toxicológico: o que é, para que serve e como é feito

Para que serve

O exame toxicológico serve para identificar identificar quais as substâncias que a pessoa fez uso ou entrou em contato nos últimos 90 ou 180 dias e indicar a concentração dessas substâncias no organismo, sendo as principais substâncias detectadas:

  • Maconha e derivados, como o Haxixe;
  • Anfetamina (Rebite);
  • LSD;
  • Crack;
  • Morfina;
  • Cocaína;
  • Heroína;
  • Ecstasy.

Esse exame, porém não detecta o uso de antidepressivos, esteroides ou anabolizantes, devendo ser feito outro tipo de análise caso seja necessário verificar se a pessoa faz uso dessas substâncias.

Além disso, no exame toxicológico não está incluído o teste para consumo de bebidas alcoólicas, não havendo problema de se realizar o exame 1 dia depois de beber uma cerveja, por exemplo. Pelo fato de não estar incluído no exame toxicológico, algumas empresas podem optar por além de solicitarem o exame toxicológico, solicitar o exame para detectar a quantidade de álcool no sangue ou até mesmo no cabelo, sendo importante que haja esse indicação na requisição do exame.

Caso alguém esteja fumando maconha no mesmo ambiente, isso será detectado no exame?

Não, pois o exame detecta os metabólitos gerados pelo consumo em altas concentrações da droga. Ao respirar a fumaça da maconha que uma pessoa no mesmo ambiente esteja fumando, por exemplo, não há interferência no resultado do exame.

No entanto, caso a pessoa respire muito rápido, permaneça muito tempo exposto à fumaça em um ambiente pouco ventilado, é possível que exista contaminação externa. Porém, para evitar que exista interferência da contaminação externa no resultado, a amostra é devidamente preparada no laboratório antes da análise, evitando contaminação externa.

Exame toxicológico: o que é, para que serve e como é feito

Quando é indicado

O exame toxicológico é principalmente indicado como parte do processo de admissão caminhoneiros e motoristas de ônibus, por exemplo, pois assim é possível que seja comprovada a aptidão da pessoa e se a contratação do profissional não represente risco para ele e para as pessoas transportadas, por exemplo. Além de ser usado no exame admissional, o exame toxicológico também pode ser usado no exame demissional para justificar a demissão por justa causa, por exemplo.

Além disso, o exame é obrigatório desde 2016 para as pessoas que irão renovar ou tirar a carteira de habilitação nas categorias C, D e E, que correspondem às categorias de transporte de cargas, transporte de passageiros e condução de veículos com duas unidades, respectivamente.

Esse exame pode ser indicado também em alguns concursos públicos, em casos judiciais e no hospital quando há suspeita de envenenamento por substâncias tóxicas ou medicamentos, por exemplo, além de poder ser realizado em caso de overdose para que se saiba qual a substância responsável.

Como é feito

Para fazer o exame toxicológico não é necessário qualquer tipo de preparo, sendo apenas necessário que a pessoa se dirija para o laboratório que realiza esse tipo de exame para que o material seja coletado e enviado para análise. As técnicas de detecção variam entre os laboratórios e material analisado, no entanto todos os métodos são seguros e não há chance de resultados falso positivos. Quando o exame detecta a presença de drogas, o teste é feito novamente para confirmar o resultado.

O exame pode ser feito com vários tipos de materiais biológicos, como sangue, urina, saliva, cabelo ou pelos, sendo estes dois últimos os mais utilizados, isso porque quando a droga é consumida, espalha-se rapidamente pela corrente sanguínea e acaba por nutrir os bulbos capilares, sendo possível detectar a droga tanto nos cabelos quanto nos pelos corporais. Dependendo do material coletado, é possível obter diferentes informações, como por exemplo:

  • Sangue: permite a detecção do consumo de drogas nas últimas 24 horas;
  • Urina: detecção do consumo de substâncias tóxicas nos últimos 10 dias;
  • Suor: identifica se houve uso de drogas no último mês;
  • Cabelo: permite a identificação do consumo de drogas nos últimos 90 dias;
  • Pelos: detecta o uso de drogas nos últimos 6 meses.

O cabelo e os pelos são os materiais que melhor fornecem informações relacionadas ao contato com substâncias tóxicas, isso porque a droga quando consumida se espalha rapidamente pelo sangue e acaba por nutrir os bulbos capilares, sendo assim possível a detecção do consumo de drogas.

Esta informação foi útil?
Mais sobre este assunto: