Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Estenose crânio facial

A estenose crânio facial ou cranioestenose como também é conhecida, é uma alteração genética que faz com que os ossos que compõem a cabeça fechem-se antes do tempo previsto, gerando algumas alterações na cabeça e na face do bebê. Ela pode ou não estar relacionada a alguma síndrome e não há comprometimento intelectual da criança. Contudo, esta deve enfrentar algumas cirurgias durante a vida para evitar que o cérebro fique comprimido dentro de um pequeno espaço, comprometendo outras funções do organismo.

Características da estenose crânio facial

As características do bebê com estenose crânio facial são:

  • olhos ligeiramente mais afastados um do outro;
  • órbitas mais rasas que o normal, que faz com que os olhos pareçam ser saltados para fora;
  • diminuição do espaço entre o nariz e a boca;
  • cabeça pode ficar mais alongada que o normal ou em formato de triângulo dependendo da sutura que tenha fechado precocemente.

Causas da estenose crânio facial

Existem diversas causas para a estenose crânio facial. Ela pode ou não estar relacionada a alguma doença genética ou síndrome, como na Síndrome de Crouson ou na síndrome de Apert, ou pode ser causada pela toma de medicamentos durante a gravidez, como por exemplo o Fenobartital, um medicamento utilizado contra a epilepsia.

Estudos comprovam que mães fumantes ou que vivem em locais de grande altitude têm maiores chances de gerar um bebê com estenose crânio facial devido a diminuição do oxigênio que passa para o bebê durante a gravidez.

Tratamento para estenose crânio facial

O tratamento para a estenose crânio facial consiste na realização de uma cirurgia para afastar as suturas ósseas que compõem os ossos da cabeça e assim permitir um bom desenvolvimento cerebral. Dependendo da gravidade do caso podem ser realizadas 1, 2 ou 3 cirurgias até o final da adolescência. Após as cirurgias o resultado estético é satisfatório.

O uso de aparelho nos dentes faz parte do tratamento para evitar o desalinhamento entre eles, para evitar o comprometimento dos músculos da mastigação, da articulação têmporo-madibular e para ajudar a fechar os ossos que formam o céu da boca.

Referência Bibliográfica

ASSENCIO-FERREIRA VJ; ABRAHAM R; VEIGA JCE; SANTOS KCD. Cranioestenose da sutura metópica: efeito teratogênico do valproato de sódio. Relato de caso. Acesso em Ab. 2012.

Mais sobre este assunto:


Carregando
...