Esquizofrenia infantil: o que é, sintomas, causas e tratamento

A esquizofrenia é um conjunto de transtornos mentais caracterizado por alterações no pensamento, emoções e comportamento, o que interfere nas relações sociais com a família, amigos, na escola e trabalho. Na maioria dos casos, a esquizofrenia desenvolve-se na adolescência e no início da vida adulta, podendo surgir sintomas como delírios, alucinações e comportamento desorganizado.

Apesar da esquizofrenia ser rara nas crianças, é possível que os sintomas se manifestem antes dos 18 anos e, muito raramente, antes dos 13, o que pode ser favorecido pelo fato de se ter familiares diagnosticados com esquizofrenia, sendo mais comum de acontecer em meninos do que em meninas.

Alguns fatores como mal-trato infantil, desnutrição materna durante a gravidez ou complicações no parto podem favorecer o desenvolvimento da esquizofrenia em crianças. O tratamento deve ser orientado por um psiquiatra infantil, que pode indicar o uso de medicamentos antipsicóticos, além de psicoterapia.

Esquizofrenia infantil: o que é, sintomas, causas e tratamento

Sintomas característicos na infância

Quando a esquizofrenia desenvolve-se antes dos 18 anos, a criança pode demonstrar alguns sintomas, sendo os principais:

  • Isolamento social;
  • Alterações do sono;
  • Alterações do apetite;
  • Baixo rendimento escolar;
  • Alucinações, como escutar uma ou várias vozes;
  • Pensamento desorganizado;
  • Fala desorganizada.

É importante que o médico descarte outras doenças e o uso de algum medicamento ou droga. Por isso, é fundamental que o pediatra e o psiquiatra infantil sejam consultados assim que a criança apresente alterações no comportamento que possam ser sugestivas de esquizofrenia. Conheça mais sobre a esquizofrenia.

Causas de esquizofrenia na infância

As causas da esquizofrenia na infância ainda não estão totalmente esclarecidas, no entanto existem fatores que podem aumentar as chances desse transtorno se manifestar, como alterações genéticas, alterações nos neurotransmissores, histórico na família com esquizofrenia, mal-trato ou abuso infantil, complicações durante o parto, consumo de drogas ou medicamentos e pais com idade mais avançada.

Por isso, é importante que as consultas de pré-natal sejam realizados e ter a orientação do pediatra durante toda a gestação, pois assim é possível diminuir os fatores de risco e a chance do bebê desenvolver esse transtorno.

Como é o tratamento

A esquizofrenia não tem cura e, geralmente, o tratamento é realizado com o objetivo de reduzir os sintomas e promover a qualidade de vida da criança. Geralmente, são prescritos pelo psiquiatra infantil antipsicóticos, como risperidona, aripiprazol, haloperidol, quetiapina, paliperidona e olanzapina em adolescentes a partir dos 13 anos.

Além disso, o psiquiatra infantil pode recomendar sessões de psicoterapia para uma melhor adaptação social da criança, melhorando a socialização e a quantidade de vida.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • CLEMENTE, Patrícia. O Funcionamento de uma família com um filho com esquizofrenia. Mestrado em psicologia, 2009. Instituto superior de Psicologia Aplicada.
  • TENGA, Sérgio k.; MAIA, Anne K.. Psicoses funcionais na infância e adolescência. Jornal de Pediatria. 80. 2; 2004
  • American Psychiatric Association. Manual de diagnóstico e estatística das perturbações mentais. 5.ed. Portugal: Climepsi, 2013.
  • ENRIQUEZ-SANCHEZ, Hugo; OCHOA-MADRIGAL, Marta G. Espectro de la esquizofrenia en niños y adolescentes. Revista de la Facultad de Medicina de la UNAM. Vol 62. 4 ed; 9-23, 2019
  • ULLOA, ELENA; SAUER, TIZBE R. ET AL. Guía Clínica: Esquizofrenia en niños y adolescentes. 2010. Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/338015495_Guia_Clinica_Esquizofrenia_en_ninos_y_adolescentes>. Acesso em 31 Ago 2021
Mais sobre este assunto: