Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.

11 sintomas de depressão infantil e como lidar

Alguns sintomas que podem indicar depressão durante a infância incluem falta de vontade para brincar, fazer xixi na cama, queixas frequentes de cansaço, dor de cabeça ou barriga e dificuldades no aprendizado.

Estes sintomas podem passar despercebidos ou ser confundidos com birras ou timidez, porém se esses sintomas permanecerem por mais de 2 semanas é aconselhado ir ao pediatra para fazer uma avaliação do estado da saúde psicológica e verificar a necessidade de iniciar tratamento.

Na maioria dos casos, o tratamento inclui sessões de psicoterapia e uso de remédios antidepressivos, porém o apoio dos pais e professores é fundamental para ajudar a criança a sair da depressão, já que esse transtorno pode dificultar o desenvolvimento da criança.

Assista o vídeo com o enfermeiro Manuel Reis de como identificar os sintomas de depressão infantil:

Sintomas que podem indicar depressão

Os sintomas da depressão infantil variam com a idade da criança e o seu diagnóstico nunca é fácil, sendo necessária uma avaliação detalhada por um pedopsiquiatra. No entanto, alguns sinais que podem alertar os pais incluem:

  1. Rosto triste, apresentando olhos sem brilho e não sorrindo e um corpo caído e frágil, como se estivesse sempre cansado e olhando o vazio;
  2. Falta de vontade para brincar nem sozinha nem com outras crianças;
  3. Muita sonolência, cansaço constante e sem energia para nada;
  4. Birras e irritabilidade sem razão aparente, parecendo uma criança com pirraça, com mau humor e má postura;
  5. Choro fácil e exagerado, devido a sensibilidade exagerada;
  6. Falta de apetite que pode levar a perda de peso, porém em alguns casos também pode surgir enorme desejo por doces;
  7. Dificuldade para dormir e muitos pesadelos; 
  8. Medo e dificuldade em se separar da mãe ou do pai;
  9. Sentimento de inferioridade especialmente em relação aos amigos da creche ou escola;
  10. Fraco rendimento na escola, podendo ter notas vermelhas e falta de atenção;
  11. Incontinência urinária ou fecal, depois de já ter adquirido a capacidade de não usar fralda.

Embora estes sinais de depressão sejam comuns nas crianças, eles podem ser mais específicos dependendo da idade de cada criança.

6 meses a 2 anos

Os principais sintomas de depressão na primeira infância, que ocorre até aos 2 anos, são recusa alimentar, pouco peso, estatura pequena e atraso da linguagem e distúrbios do sono.

2 a 6 anos

Na idade pré-escolar, que acontece entre os 2 e os 6 anos, as crianças com depressão, na maioria dos casos, apresentam birras constantes, muito cansaço, pouca vontade para brincar, falta de energia, fazem xixi na cama e eliminam fezes involuntariamente.

Além disso, também podem ter muita dificuldade em separar-se da mãe ou do pai, evitando falar ou conviver com outras crianças e mantendo-se muito isolada. Também podem ocorrer crises intensas de choro e ter pesadelos e muita dificuldade em adormecer.

6 a 12 anos

Já na idade escolar, que ocorre entre os 6 e 12 anos, a depressão manifesta-se através dos mesmos sintomas anteriormente referidos, além de poder apresentar dificuldade para aprender, pouca concentração, notas vermelhas, isolamento, sensibilidade exagerada e irritabilidade, apatia, falta de paciência, dor de cabeça e de estômago e alterações no peso.

Além disso, é frequente o sentimento de inferioridade, em que a criança sente que é as outras crianças e diz constantemente frases do tipo "ninguém gosta de mim" ou “não sei fazer nada”.

Na adolescência, que ocorre a partir dos 12 anos, os sintomas de depressão podem ser diferentes, como problemas de memória ou concentração e sensação de inutilidade, por exemplo. Confira outros sintomas da depressão em adolescentes

11 sintomas de depressão infantil e como lidar

Possíveis causas

Na maioria dos casos a depressão na infância ocorre devido a situações traumáticas como discussões constantes entre familiares, divórcio dos pais, mudança de escola, falta de contato da criança com os pais ou sua morte.

Além disso, maus tratos, como violações ou convívio diário com pais alcoólatras ou dependentes de drogas também pode contribuir para desenvolver depressão.

Como diagnosticar a depressão infantil

O diagnóstico normalmente é feito através de testes realizados pelo médico e análise de desenhos, pois a criança na maioria dos casos não consegue referir que está triste e deprimida e, por isso, os pais devem estar muito atentos a todos os sintomas e dizer ao médico para facilitar o diagnóstico.

No entanto, o diagnóstico desta doença não é fácil, especialmente porque pode ser confundido com alterações da personalidade como timidez, irritabilidade, mau humor ou agressividade e, em alguns casos, os pais podem até considerar os comportamentos normais para a idade.

Desta forma, se for identificada uma mudança significativa no comportamento da criança, como chorar constantemente, ficar muito irritada ou perder peso sem razão aparente, deve-se ir no pediatra para que seja avaliada a hipótese de estar passando por uma alteração psicológica.

Como é feito o tratamento

Para curar a depressão na infância, é necessário ter acompanhamento do pediatra, psicólogo, psiquiatra, familiares e professores e o tratamento deve durar pelo menos 6 meses para evitar recaídas.

Geralmente, até os 9 anos o tratamento é feito apenas com sessões de psicoterapia com um psicólogo infantil, através da terapia cognitivo-comportamental, que ajuda a criança a lidar melhor com os problemas e permite que crie hábitos melhores. No entanto, depois dessa idade ou quando não se consegue curar a doença apenas com psicoterapia, é necessário o uso de antidepressivos, como fluoxetina, sertralina ou paroxetina, por exemplo, indicados pelo psiquiatra. Além disso, o médico pode recomendar outros remédios como estabilizadores de humor, antipsicóticos ou estimulantes.

Normalmente, o uso do antidepressivos só começa a ter efeito após 20 dias de tratamento e mesmo que a criança já não apresente sintomas deve manter o uso dos remédios para evitar uma depressão crônica. Saiba mais sobre o tratamento da depressão infantil.

Para ajudar na recuperação, os pais e os professores devem colaborar no tratamento, elogiando a criança constantemente, estimulando a criança a brincar com outras crianças, fazer esportes e participar em atividades ao ar livre.

Como lidar com a criança deprimida

Conviver com uma criança com depressão não é fácil, porém os pais, familiares e professores devem ajudar a criança a ultrapassar a doença para que esta se sinta apoiada e que não está sozinha. Assim, deve-se:

  • Respeitar os sentimentos da criança, mostrando que os compreendem;
  • Incentivar a criança a desenvolver atividades que gosta sem causar pressão;
  • Elogiar a criança constantemente de todos os pequenos atos e não corrigir a criança na frente de outras crianças;
  • Dar muita atenção à criança, afirmando que estão ali para a ajudar;
  • Levar a criança para brincar com outras crianças para aumentar a interação;
  • Não deixar a criança brincar sozinha, nem ficar no quarto sozinha vendo televisão ou jogando videogames;
  • Incentivar a comer de 3 em 3 horas para se manter nutrida;
  • Manter o quarto confortável para ajudar a criança a adormecer e dormir bem.

Estas estratégias vão ajudar a criança a ganhar confiança, evitando o isolamento e melhorando a sua autoestima, contribuindo para que a criança consiga curar a depressão.

Esta informação foi útil?

Bibliografia

  • CHARLES, Julian; FAZELI, Mandana. Depression in children. Aust Fam Physician. 46. 12; 901-907, 2017
  • MENDELSON, Tamar; TANDON, S. Darius. Prevention of Depression in Childhood and Adolescence. Child Adolesc Psychiatr Clin N Am. 25. 2; 201-218, 2016
Mais sobre este assunto:

Carregando
...