Esomeprazol: para que serve, como tomar e efeitos colaterais

Atualizado em fevereiro 2023

O esomeprazol é um remédio indicado para o tratamento do refluxo gastroesofágico, esofagite de refluxo erosiva, úlcera no estômago, síndrome de Zollinger-Ellison ou úlcera no duodeno associada à infecção pela bactéria H. pylori.

Esse remédio age reduzindo a produção de ácido no estômago, através da inibição da bomba de prótons presente nas células da parede do estômago. Desta forma, ajuda a diminuir os sintomas de azia, dor no estômago ou regurgitação do ácido do estômago para a garganta.

O esomeprazol pode ser encontrado em farmácias ou drogarias na forma de comprimidos de 20 mg ou 40 mg, como genérico “esomeprazol magnésico tri-hidratado” ou com os nomes comerciais Esmog, Nexium, Esomex ou Gaeso, e deve ser usado somente com indicação do gastroenterologista.

Imagem ilustrativa número 1

Para que serve

O esomeprazol é indicado para o tratamento de:

  • Doença do refluxo gastroesofágico;
  • Esofagite de refluxo erosiva;
  • Úlcera duodenal associada a Helicobacter pylori;
  • Cicatrização de úlceras no estômago causadas pelo uso de anti-inflamatórios não esteroides (AINE’s);
  • Síndrome de Zollinger-Ellison;
  • Erradicação da bactéria H. pylori junto com antibióticos;
  • Prevenir novos sangramentos causados por úlceras no estômago ou intestino.

Além disso, o esomeprazol pode ser indicado para aliviar sintomas os sintomas gastrointestinais ou prevenir o surgimentos de úlceras no estômago ou intestino em pessoas em tratamento com anti-inflamatórios não esteroides.

Qual médico consultar?

No caso de sintomas de azia, queimação no estômago, dor de estômago ou regurgitação do ácido estomacal, deve-se consultar o gastroenterologista, pois é o médico responsável pela avaliação, diagnóstico e tratamento de problemas no estômago ou intestino.

Cuidar da sua saúde nunca foi tão fácil!

Marque uma consulta com nossos Gastroenterologistas e receba o cuidado personalizado que você merece.

Marcar consulta

Disponível em: São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Maranhão, Pará, Paraná, Sergipe e Ceará.

Foto de uma doutora e um doutor de braços cruzados esperando você para atender

Como tomar

O comprimido de esomeprazol 40 mg ou 20 mg, deve ser tomado por via oral, com um copo de água, antes ou após uma refeição, nos horários e pelo tempo de tratamento estabelecidos pelo médico.

A posologia do esomeprazol pode variar de acordo com a condição a ser tratada e inclui:

1. Doença do refluxo gastroesofágico

As doses do esomeprazol para o tratamento de sintomas do refluxo gastroesofágico em adultos ou crianças de 12 a 18 anos é de 20 mg, 1 vez por dia, para pessoas que não apresentam esofagite.

Após 4 semanas de tratamento, se não ocorrer melhora dos sintomas, deve-se consultar o médico novamente para avaliação.

2. Esofagite de refluxo erosiva

Para o tratamento da esofagite de refluxo em adultos ou crianças de 12 a 18 anos, a dose normalmente recomendada é de 40 mg de esomeprazol, 1 vez por dia, durante 4 semanas.

Após esse período, o médico pode recomendar mais 4 semanas de tratamento se não ocorrer melhora dos sintomas ou a esofagite não estiver completamente cicatrizada. O tempo de tratamento para crianças de 12 a 18 anos não deve ultrapassar 8 semanas de uso do esomeprazol.

No caso do tratamento de manutenção para prevenir reaparecimento da esofagite, a dose de esomeprazol normalmente recomendada para adultos é de 20 mg, 1 vez por dia.

3. Úlceras associadas ao uso de AINE's

O esomeprazol para o tratamento ou prevenção de úlceras no estômago ou intestino associadas ao uso de anti-inflamatórios não esteroides (AINE’s) é indicado somente para adultos.

A posologia normalmente recomendada para adultos é:

  • Tratamento de sintomas gastrointestinais associados ao uso de AINE’s: 20 mg de esomeprazol, 1 vez por dia, por 4 semanas de tratamento. Após 4 semanas de tratamento, deve-se consultar o médico novamente se não ocorrer melhora dos sintomas;
  • Cicatrização de úlceras no estômago causadas pelo uso de AINE’s: 20 mg a 40 mg de esomeprazol, 1 vez por dia, por 4 a 8 semanas de tratamento;
  • Prevenir o surgimento de úlceras no estômago ou intestino associados ao uso de AINE’s: 20 mg de esomeprazol, 1 vez por dia, pelo tempo orientado pelo médico.

O esomeprazol nesses casos geralmente é indicado para pessoas que fazem uso prolongado de anti-inflamatórios não esteroides.

4. Úlcera duodenal associada ao H. pylori

A dose do esomeprazol para o tratamento da úlcera duodenal associada ao H. pylori ou erradicação do H. pylori em adultos é de 20 mg de esomeprazol, associado ao tratamento com 1g de amoxicilina e 500 mg de claritromicina, todos 2 vezes por dia, durante 7 dias de tratamento.

5. Síndrome de Zollinger-Ellison

A dose inicial geralmente recomendada para adultos é de 40 mg de esomeprazol, 2 vezes por dia. Essa dose pode ser ajustada pelo médico, dependendo da resposta ao tratamento.

6. Prevenção de ressangramento de úlceras

As doses para adultos normalmente recomendadas para prevenção de novos sangramentos de úlceras no estômago ou intestino são de 40 mg de esomeprazol, 1 vez por dia, durante 4 semanas.

Nesses casos, o tratamento com esomeprazol comprimidos deve ser feito após o tratamento inicial no hospital com 80 mg de esomeprazol sódico injetável, aplicado diretamente na veia por 30 minutos, pelo enfermeiro, sob supervisão médica, seguida de injeção na veia de forma contínua de 8 mg/h, durante 3 dias.

Possíveis efeitos colaterais

Os efeitos colaterais mais comuns que podem surgir durante o tratamento com o esomeprazol são dor abdominal, diarreia, excesso de gases, náuseas, vômitos, prisão de ventre ou dor de cabeça.

Além disso, o esomeprazol pode causar efeitos colaterais mais graves que devem ser comunicados ao médico imediatamente, como dor abdominal intensa, diarreia aquosa, sangue nas fezes ou urina, pouca urina, febre, perda do apetite, dor nas articulações ou convulsões.

Deve-se comunicar ao médico também caso surjam sintomas de magnésio baixo no sangue, como tontura, tremores, batimentos cardíacos acelerados, agitação, nervosismo, espasmos musculares, tosse ou sensação de falta de ar ou asfixia.

O esomeprazol também pode causar novos sintomas ou piorar os sintomas de lúpus, como dor nas articulações ou vermelhidão no rosto ou nos braços.

Quem não deve usar

O esomeprazol não deve ser usado por crianças com menos de 12 anos, mulheres grávidas ou em amamentação, ou por pessoas que tenham problemas renais ou respiratórios, má absorção de glicose-galactose, intolerância à frutose ou insuficiência de sacarase-isomaltase.

Esse remédio também não deve ser usado por pessoas que tenham alergia ao esomeprazol, omeprazol, lansoprazol, pantoprazol ou remédios vermífugos, como albendazol, mebendazol, tiabendazol ou cambendazol, por exemplo.

Além disso, o esomeprazol não deve ser usado por pessoas em tratamento com atazanavir, nelfinavir, saquinavir, varfarina ou clopidogrel.

O esomeprazol deve ser usado com cautela e somente com indicação médica em pessoas que tenham osteoporose, doenças no fígado, lúpus, baixos níveis de magnésio no sangue, ou que estejam em tratamento com cetoconazol, itraconazol, erlotinibe, digoxina, diazepam, fenitoína, cisaprida, amoxicilina, naproxeno, rofecoxibe ou erva-de-São-João, por exemplo.