Epicondilite lateral: o que é, sintomas, causas e tratamento

abril 2022

A epicondilite lateral é um processo inflamatório que ocorre nos tendões, que são a parte final do músculo que se liga ao ossos, causando dor na região lateral do cotovelo que pode irradiar para o braço ou o pulso, o que pode causar dificuldade para movimentar a articulação e limitar algumas atividades do dia a dia.

A epicondilite lateral, também conhecida como cotovelo de tenista, é mais comum em atletas que praticam tênis, mas também pode ocorrer em pessoas que realizam movimentos muito repetitivos no seu dia a dia, como no caso de pessoas que trabalham com digitação, escrita ou desenho, por exemplo.

O diagnóstico da epicondilite é feito pelo ortopedista ou clínico geral, que pode indicar tratamento mais adequado que pode ser feito com uso de remédios anti-inflamatórios e fisioterapia, por exemplo. 

Principais sintomas

Os sintomas de epicondilite lateral podem surgir sem causa aparente, podem ser constantes ou acontecer de uma hora para outra, sendo os principais:

  • Dor ou sensação de queimação no cotovelo, na parte lateral externa, principalmente quando a mão está virada para cima;
  • Dormência ou formigamento no antebraço, punhos ou mãos, principalmente quando o cotovelo está dobrado;
  • Piora da dor durante aperto de mão, ao abrir a porta, pentear o cabelo, escrever ou digitar;
  • Rigidez ou dor ao esticar o braço;
  • Inchaço e sensibilidade ao toque na articulação do cotovelo;
  • Dor que irradia para o antebraço ou pulso;
  • Diminuição da força no braço ou no pulso, o que pode tornar difícil segurar um copo de água.

Quando a dor no cotovelo acontece também na região mais interna, é caracterizada a epicondilite medial, cuja dor tende a piorar quando se está praticando musculação, por exemplo. Saiba mais sobre a epicondilite medial

Os sintomas da epicondilite lateral podem surgir de forma gradual ao longo de semanas ou meses e devem ser avaliados pelo clínico geral ou ortopedista.

Como confirmar o diagnóstico

O diagnóstico da epicondilite lateral é feito pelo ortopedista, através da avaliação dos sintomas, histórico de atividades que possam causar os sintomas, e exame físico, em que é solicitado que o paciente realize a extensão do punho ao mesmo tempo em que o médico realiza resistência, havendo dor durante a realização desse movimento no caso de epicondilite.

Além disso, o médico também pode solicitar exames de imagem, como raio X, ultrassom, ressonância magnética ou tomografia computadorizada, por exemplo, para avaliar os danos nos tendões e músculos.

Principais causas

Apesar de ser conhecida popularmente como cotovelo do tenista, a epicondilite lateral não é exclusiva de pessoas que praticam esse esporte. Isso porque esse tipo de epicondilite acontece como consequência de movimentos repetitivos, o que pode lesionar os tendões presentes no local, causando inflamação.

Alguns fatores podem contribuir para o desenvolvimento da epicondilite lateral como:

  • Atividades profissionais que repetição dos movimentos ou levantamento de peso, como carpintaria, encanamento, jardinagem, pintura, digitação, desenho ou escrita de forma excessiva e/ou frequente;
  • Idade, sendo mais comum de ocorrer em pessoas dos 30 aos 50 anos, embora possa também ocorrer em qualquer idade;
  • Prática de esportes, que exijam uso de equipamentos e realização de impulso, como tênis, baseball, squash ou arremesso de peso.

Além disso, a epicondilite lateral pode ocorrer devido a atividades que envolvam dobrar o cotovelo repetidamente, como tocar violino, por exemplo.

Como é feito o tratamento

O tratamento da epicondilite lateral é feito pelo ortopedista com o objetivo de reduzir a inflamação do tendão e aliviar os sintomas, podendo variar de acordo com a intensidade dos sintomas, sendo que a recuperação total pode levar semanas a meses.

Os principais tratamentos que podem ser indicados pelo médico, são:

1. Repouso

O repouso da articulação do cotovelo ajuda na recuperação da epicondilite lateral e alivia a dor e o desconforto que surgem ao se movimentar, devendo-se para isso evitar ou diminuir atividades que necessitem dobrar o cotovelo, por várias semanas a meses, conforme orientação do médico. 

2. Compressas frias

Aplicar compressas frias no cotovelo ajuda a diminuir a dor e reduzir o inchaço, por aliviar a inflamação nos tendões.

Para fazer a compressa fria, deve-se colocar gelo dentro de uma bolsa térmica ou colocar um saco de gel no congelador para resfriar, e depois envolver a bolsa ou o saco de gel, em uma toalha limpa e seca, e aplicar na região afetada, deixando agir por 15 a 20 minutos, de 2 a 3 vezes por dia. 

3. Remédios

Os remédios para a epicondilite lateral que podem ser indicados pelo médico são anti-inflamatórios orais, como ibuprofeno ou naproxeno, para combater a inflamação dos tendões do cotovelo e aliviar a dor. 

Geralmente, os anti-inflamatórios orais são usados por curto período de tempo, devido aos possíveis efeitos colaterais como dor de estômago, náusea, aumento dos gases intestinais, gastrite, tonturas, vertigens ou aumento da pressão arterial.

Outros remédios que o médico pode indicar são as pomadas anti-inflamatórias para uso tópico no cotovelo, como o diclofenaco dietilamônio, por exemplo. 

4. Fisioterapia 

A fisioterapia pode ser indicada pelo médico e deve ser feita com orientação do fisioterapeuta, com exercícios de alongamento e fortalecimento da musculatura do antebraço para aumentar a flexibilidade e melhorar a estabilidade do cotovelo, ajudando a controlar a dor e a melhorar os movimentos.

O tratamento fisioterápico deve ser escolhido pelo próprio fisioterapeuta de forma individualizada, podendo ainda ser indicado o uso de equipamentos como TENS, ultrassom, laser, ondas de choque ou iontoforese, por exemplo. 

Além disso, o fisioterapeuta pode indicar o uso do kinesio tape, pois ajuda a restringir o movimento dos músculos e do tendões afetados, promovendo melhora dos sintomas. Veja para que serve e como funciona a kinesio.

Outra opção de tratamento que o fisioterapeuta pode realizar são as técnicas de massagem transversa para ajudar a acelerar a recuperação.

Assista o vídeo a seguir com dicas de como fazer a massagem corretamente para epicondilite lateral:

5. Injeção de corticoides 

O médico pode também aplicar uma injeção de corticoides diretamente na região com dor ao redor do cotovelo, sendo geralmente indicado quando as outras opções de tratamento não foram eficazes para aliviar os sintomas da epicondilite lateral.

Geralmente, é utilizada a cortisona, um tipo de anti-inflamatório forte que ajuda a combater a inflamação e aliviar os sintomas rapidamente. 

6. Plasma rico em plaquetas

O plasma rico em plaquetas é uma porção do sangue retirado da própria pessoa e filtrado em laboratório, que pode ser usado na forma de injeção aplicada pelo médico na região do cotovelo, sendo feita em ambiente hospitalar, para ajudar na cicatrização dos tendões e aliviar a dor da epicondilite lateral.

7. Cirurgia

A cirurgia para epicondilite lateral é indicada pelo médico nos casos em que nenhuma outra opção de tratamento foi eficaz, e a dor persiste, mesmo após 6 a 12 meses de tratamento.

Essa cirurgia é feita pelo médico retirando o tecido danificado do cotovelo. Normalmente é necessário fazer sessões de fisioterapia após a cirurgia para acelerar a recuperação.

Esta informação foi útil?

Atualizado por Marcela Lemos - Biomédica, em abril de 2022. Revisão médica por Dr. Francisco Couto Valente - Ortopedista, em fevereiro de 2022.

Bibliografia

  • DUNCAN, J.; et al. Lateral epicondylitis: the condition and current management strategies. Br J Hosp Med (Lond). 80. 11; 647-651, 2019
  • BRUMMEL, J.; et al. Epicondylitis: lateral. Sports Med Arthrosc Rev. 22. 3; e1-6, 2014
Mostrar bibliografia completa
  • MA, K. L.; WANG, H. Q. Management of Lateral Epicondylitis: A Narrative Literature Review. Pain Res Manag. 2020. 6965381, 2020
  • LECH, Osvandré; PILUSKI, Paulo César F.; SEVERO, Antônio L. Epicondilite lateral do cotovelo. Rev Bras Ortop. Vol 38. 8 ed;
  • COHEN, Márcio; FILHO, Geraldo R. M. Epicondilite lateral do cotovelo. Rev Bras Ortop. Vol 47. 4 ed; 414-420,
Ortopedista
Médico ortopedista formado pela Faculdade Souza Marques em 2011, com CRM.RJ 52.92679-5 e Membro da Sociedade Brasileira de Ortopedia.

Tuasaude no Youtube

  • O fim da TENDINITE em 7 minutos | Tati & Marcelle

    07:23 | 1490563 visualizações