Ative as notificações para não perder as publicações de saúde e bem estar mais interessantes.
O que você precisa saber?

Epicondilite Medial: Como identificar e tratar

A epicondilite medial, ou cotovelo do golfista, é a inflamação nos tendões dos flexores do punho. Isso geralmente acontece em pessoas que praticam musculação de forma muito intensa, agricultores, depois de uma sessão de jardinagem num fim de semana, ou em pessoas que praticam alguma atividade física de forma constante ou repetitiva, como no caso de lançamento de dardos, futebol americano ou basebol, por exemplo.

Quais são os Sintomas da epicondilite medial

Epicondilite Medial: Como identificar e tratar

Os sintomas da epicondilite medial incluem:

  • Dor no cotovelo na região mais interna, quando o braço está esticado e a mão encontra-se virada para cima. A dor pode se manifestar em todo o tempo, mas geralmente piora ao tentar aparafusar algo, fazer musculação ou fazer qualquer outro movimento parecido com o de jogar golfe;
  • Sensação de falta de força ao segurar um copo de água, abrir uma torneira, ou num aperto de mãos;
  • Pode haver sensação de formigamento no antebraço ou nos dedos.

Não há necessidade de realizar exames, porque a dor é localizada e bastante característica, por isso é fácil o médico chegar ao diagnóstico. No entanto outras causas devem ser avaliadas, como lesão do ligamento colateral medial, neurite da ulna, fratura e distensão muscular, por exemplo. 

Como é feito o Tratamento 

Um dos tratamentos mais simples e eficazes para casos onde a dor no cotovelo acontece depois de um episódio de jardinagem durante o fim de semana, é o descanso. Parar de fazer a atividade que deu surgimento aos sintomas durante alguns dias costuma ser suficiente para combater a dor. 

O uso de pomadas anti-inflamatórias como Diclofenaco pode ser indicado para alívio da dor. A pomada deve ser usada sob indicação do médico, cerca de 2 vezes por dia. Evitar carregar sacolas pesadas também é importante para alívio da dor, mas colocar bolsas de gelo entre 7 e 15 minutos, também pode ser uma boa estratégia caseira. Quando estes tratamentos caseiros não são suficiente, a fisioterapia pode ser indicada, principalmente se dificultar o trabalho e o dia a dia da pessoa. 

Na fisioterapia podem ser usados recursos como tens, ultrassom, laser, exercícios de alongamento dos flexoresdo punho, fortalecimento do ombro, aplicação de fitas de Kinesio tape para uma melhora mais rápida, além da massagem transversa profunda, como mostrada o vídeo a seguir: 

Quando a dor e o desconforto persistem por mais de 6 meses o médico pode indicar as injeções com anestésicos e corticóides no local exato da dor. Outra possibilidade são as ondas de choque extracorporal, que consiste em colocar um aparelho que emite ondas ultrassônicas no local dolorido, durante cerca de meia hora. Isso facilita a regeneração dos tecidos, havendo melhora da dor em pouco tempo. Saiba mais sobre a terapia com ondas de choque. 

O tempo de recuperação varia de acordo com a gravidade da lesão e do tipo de atividade que a pessoa possui, podendo ser de 8 semanas a até mais de 1 ano. 

Mais sobre este assunto:


Carregando
...